×
ContextoExato
Responsive image

A importância da Farmácia Viva na produção de fitoterápicos no Distrito Federal

A importância da Farmácia Viva na produção de fitoterápicos no Distrito FederalFoto: Divulgação

Alguns medicamentos naturais estão em produção há 31 anos na rede pública, melhorando a vida de muitos brasilienses

Agência Brasília* | Edição: Renata Lu - 24/08/2020 - 17:42:12

Garantir medicamentos fitoterápicos, produzidos a partir de plantas medicinais e da maneira mais natural possível, é uma forma de promoção à saúde. Por isso, os fitoterápicos feitos há 31 anos pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal estão inseridos no contexto das políticas públicas e da atuação de vários profissionais que formam uma cadeia produtiva.

“Os fitoterápicos fazem parte das políticas públicas em plantas medicinais do Brasil. Eles estão inseridos no contexto da Atenção Básica em Saúde não só pela valorização do conhecimento tradicional e da biodiversidade brasileira como também pela possibilidade de oferecer à população uma proposta de tratamento que consiga fazer com que o conhecimento tradicional e a ciência perpetuem-se”, explica Nilton Netto Junior, farmacêutico chefe do Núcleo de Farmácia Viva.

Hoje, a Secretaria de Saúde do DF conta com duas unidades, conhecidas como “Farmácias Vivas”, as quais manipulam e ofertam fitoterápicos aos usuários dos serviços de saúde. As formulações seguem o Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira (Anvisa, 2011).

Nilton destaca que alguns fitoterápicos usados na Atenção Básica são únicos, ou seja, o fitoterápico é a única proposta para o alcance à população e o tratamento e intervenção à saúde.

Leia também

Secretaria de Saúde utiliza cada vez mais fitoterápicos em tratamentos médicos

Produção de fitoterápicos é retomada no Cerpis de Planaltina

“Nós temos casos de fitoterápicos da nossa lista produzidos pela nossa Farmácia Viva que estão inseridos neste contexto, um exemplo é a tintura de funcho, o gel de erva baleeira, a tintura de boldo, ou seja, são opções únicas, seguras e eficazes para tratamento à saúde ou proposta de manutenção da qualidade de vida da população”, afirma.

Atualmente, são produzidos e ofertados à população os fitoterápicos oficinais relacionados abaixo:

● Xarope de guaco ( Mikania laevigata ): Expectorante
● Tintura de guaco ( Mikania laevigata) : Expectorante
● Chá medicinal de guaco ( Mikania laevigata ): Expectorante
● Tintura de boldo nacional ( Plectranthus barbatus ): Antidispéptico (má digestão)
● Tintura de funcho ( Foeniculum vulgare ): Antiflatulento, antidispéptico e antiespasmódico.

● Gel de erva baleeira ( Cordia verbenacea ): Anti-inflamatório em dores associadas a músculos e tendões.

● Gel de confrei ( Symphytum officinale ): Cicatrizante, equimoses, hematomas e contusões.

● Gel de babosa (Aloe vera): Cicatrizante
● Gel de alecrim pimenta ( Lippia sidoides ): Antisséptico, antimicótico, escabicida.

Saiba quais são as unidades dispensadoras de fitoterápicos aqui.

* Com informações da Secretaria de Saúde

Comentários para "A importância da Farmácia Viva na produção de fitoterápicos no Distrito Federal":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório