×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 22 de maio de 2022

A verdade sobre 'o novo patamar da carne' no Brasil

A verdade sobre 'o novo patamar da carne' no BrasilFoto: Divulgação

Fugindo do embate entre defensores e opositores do governo Jair Bolsonaro, País viu-se obrigado à prática de uma nova precificação em virtude de uma demanda maior de um de seus mais possantes clientes: a China

Roberto Dumas* - Estadão Conteúdo - 03/12/2019 - 10:54:44

Não sei se a falta de conhecimento de economia básica extrapolou os limites da decência intelectual ou a ignorância econômica já ultrapassou as limítrofes da desonestidade intelectual.

A carne subiu de preço no mercado doméstico. Não vou entrar nessa de discussão de acéfalos entre bolsominions e petralhas. Já ultrapassou os limites do bom senso e da coerência acadêmica essa história. O Brasil emburreceu?


Mas cabe uma provocação reflexiva. Alguém já exclamou: “Ora, que o governo obrigue essas empresas a venderem no mercado doméstico”. Calma lá. E ignorar o princípio básico de oferta e demanda? “Que essas empresas percam margem a favor do bem-estar da população” gritam os pseudo defensores da justiça social.

Fazer o bem é bom e louvável. Mas vamos supor que essas empresas “especuladoras e ungidas pelo espírito do sete peles” resolvessem fazer a justiça social e vender no mercado doméstico a um preço inferior ao que pudessem obter vendendo para a China.

Diante do contexto de bem-estar social colocado acima, vem a inevitável pergunta: O que o gestor do fundo de investimento deveria fazer com a ação ou título corporativo dessa empresa, que busca a justiça divina, sabendo que sua decisão não maximizaria o retorno de seus acionistas ou de seus credores?

Mais: você manteria em sua carteira de investimentos os títulos e/ou ações dessas empresas que não buscam maximizar o retorno de seus acionistas e credores? Toparia ganhar menos e continuar ganhando a menor em nome da justiça social? Talvez você, ungido pelo espírito santo, dissesse sim.

Cabe observar, no entanto, que a maioria desses credores e acionistas diriam não, o que prejudicaria a possibilidade de novas emissões de ações ( follow on ), bem como a emissão de novas debêntures.

O Brasil é um país único que busca mais liberalismo e maior intervenção do estado. Dois objetivos conflitantes, mas não totalmente excludentes.

Quando a ministra da Agricultura Tereza Cristina afirmou que era para se acostumar com preços maiores da carne, não faltou com a verdade. A demanda explodiu. Na China e um pouco no Brasil. Maior demanda e oferta constante levam a maiores preços. E assim que funciona uma economia de mercado.

Se alguém defende a intervenção na formação de preços, que limita sobremaneira a informação para os mercados, almeja subliminarmente um governo intervencionista, preocupado com o bem estar social, sem visão sistêmica, que obriga um produtor de proteína animal a produzir seus bens sem promessa de maximizar seus lucros e dividendos e de seus acionistas e credores. Se assim fosse, como conseguiria recursos para investir na própria produção? Alguém toparia entrar nessa empreitada em prol do bem comum? Como buscar investidores ou credores neste empreendimento que certamente não lograria maximizar os lucros de seus investidores?

Resumindo: a nova precificação da carne não passa de um ajuste econômico para garantir que os produtores continuem faturando. Para que os investidores sigam comprando ações e para que o País siga obtendo mais e mais lucros em relação ao mercado chinês e ao seu próprio mercado interno. Tudo o mais que vem sendo dito não passa de briga de torcidas. O que não nos leva a lugar nenhum.

*Roberto Dumas é mestre em Economia pela Universidade de Birmingham na Inglaterra, mestre em Economia Chinesa pela Universidade de Fudan (China), graduado e pós-graduado em administração e economia de empresas pela FGV e Chartered Financial Analyst conferido pelo CFA Institute (USA). Representou o banco Itaú BBA em Shanghai e atuou no banco dos Brics em Shanghai (New Development Bank) nas áreas de operações estruturadas e risco de crédito.

Comentários para "A verdade sobre 'o novo patamar da carne' no Brasil":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
“Racistas estão cada vez mais à vontade” diz diretor do Observatório Racial no Futebol

“Racistas estão cada vez mais à vontade” diz diretor do Observatório Racial no Futebol

Desde o início do ano, foram registrados 33 casos de racismo envolvendo o futebol brasileiro

USP projeta 816 mil médicos em 2030, mas má distribuição continua no Brasil

USP projeta 816 mil médicos em 2030, mas má distribuição continua no Brasil

O estudo Radiografia das Escolas Médicas Brasileiras, concluído em 2020 pelo CFM, mostrou que 92% das instituições de ensino superior que oferecem vagas para Medicina não atendem pelo menos um dos três parâmetros considerados ideais

Operação no Pará interdita garimpo ilegal de manganês e apreende 2.4t de minério

Operação no Pará interdita garimpo ilegal de manganês e apreende 2.4t de minério

No último domingo, 15, cerca de 800 toneladas de manganês foram apreendidas pela PRF na BR-155, em Marabá. O minério estava sendo transportado de forma ilegal, num comboio de 14 carretas

Projeto da ONU busca preservar a floresta amazônica no Maranhão

Projeto da ONU busca preservar a floresta amazônica no Maranhão

Unep Grid Arendal/Riccardo Pravettoni Plantações na Amazônia brasileira

Crise climática pode ser combatida com monetização de reflorestamento

Crise climática pode ser combatida com monetização de reflorestamento

Brasil tem vantagem competitiva com créditos de carbono

“É difícil lidar com um sistema que engessa a gente”, diz curadora indígena que deixou o Masp

“É difícil lidar com um sistema que engessa a gente”, diz curadora indígena que deixou o Masp

Sandra Benites pediu demissão do museu depois que seis fotos sobre o MST e a luta indígenas foram vetadas de uma mostra

Como os indígenas preservam o pirarucu

Como os indígenas preservam o pirarucu

Comunidades adotam o plano de manejo que gera renda e salva o gigante amazônico da extinção

Santa Catarina é destaque na geração de empregos no país

Santa Catarina é destaque na geração de empregos no país

Ampla oferta não garante contratação imediata

Pandemia evidencia violação de direitos humanos na agropecuária

Pandemia evidencia violação de direitos humanos na agropecuária

Antes da crise sanitária, 19,2% do total de pessoas empregadas na América Latina já estava em emprego rural

Biogás ganha protagonismo no setor de energia do Brasil através de investimentos e novas regulações

Biogás ganha protagonismo no setor de energia do Brasil através de investimentos e novas regulações

Segundo associações de gás brasileiras, 25 novas usinas têm orçamento de mais de R$ 55 bilhões para, até 2030, ofertar 30 milhões de m3/dia do combustível. O biogás também é uma alternativa para volatilidade do preço do óleo diesel.

Mais de 20% de médicos recém-formados migram para outros estados

Mais de 20% de médicos recém-formados migram para outros estados

'A migração interna de médicos é determinada por questões econômicas, sociais e demográficas, há fatores individuais e profissionais associados à decisão de mudar', afirma Mauro Ribeiro, presidente do CFM