×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de outubro de 2021

Ação da Polícia Federal com FBI prende morador de Brasília que usava dark web para crimes

Ação da Polícia Federal com FBI prende morador de Brasília que usava dark web para crimesFoto: Divulgação - Polícia Federal

Suspeito é israelense e tem casa no Lago Sul. Ele intermediava negócios ilegais, cobrava comissão por transações e foi detido em Paris

Por Fernando Caixeta E Mirelle Pinheiro-metrópoles - 07/05/2019 - 18:24:39

A Polícia Federal e o FBI – o Departamento Federal de Investigação dos Estados Unidos – deflagaram uma operação conjunta para combater crimes praticados na internet, especialmente na dark web – camadas da internet que não podem ser acessadas através de mecanismos de busca comuns, como o Google.

O principal alvo da ação é um cidadão israelense que vive em Brasília, responsável por administrar um site na zona obscura da rede para a prática de tráfico de drogas e armas, contrabando e lavagem de dinheiro. O nome do suspeito não foi divulgado pelas autoridades para não atrapalhar as investigações em curso.

O homem, preso na segunda-feira (06/05/2019), também é suspeito de crime de pornografia infantil e foi alvo de mandado de busca e apreensão para investigar o delito em outubro de 2018. Na ocasião, a PF apreendeu R$ 1 milhão em espécie na residência dele em Brasília, além de notebooks e smartphones.

Mais sobre o tema

Em ações simultâneas na segunda-feira, enquanto o investigado era preso no Aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, buscas eram realizadas em sua casa, no Lago Sul.

Policiais federais encontraram dispositivos utilizados para a guarda de criptomoedas e R$ 200 mil em espécie, entre reais e moedas estrangeiras.

Drogas on-line
O israelense também administrava um site na internet que servia como indexador dos principais mercados ilegais da dark web e era utilizado para orientar os usuários sobre a compra de produtos e drogas on-line de forma segura, oferecendo não somente os endereços, mas também diversos tutoriais para os consumidores navegarem anonimamente, evitando a repressão policial.

O portal na internet trabalhava em parceria com os maiores mercados clandestinos na dark web , e o morador de Brasília era remunerado por cada transação realizada por meio do endereço eletrônico, como a distribuição de drogas, medicamentos ilegais, ferramentas hacker, dados bancários, entre outros.

As investigações constataram que o israelense recebeu taxas das transações de cerca de 15 mil usuários, que negociaram os mais diversos produtos ilegais. Uma percentagem dessas transações era direcionada ao israelense.

Deep e dark web
Professor do Departamento de Informática da Universidade de Brasília (UnB), Jorge Fernandes diz que a dificuldade de rastreamento por parte das autoridades torna as redes obscuras da internet um terreno fértil para criminosos. Segundo o especialista, sem fiscalização, o espaço acaba sendo ocupado por bandidos, pedófilos e traficantes de drogas, armas e, até, órgãos.

Segundo o professor, a d eep web é composta de um conjunto de servidores que não são indexados por mecanismos de buscas, como o Google. Por sua vez, a dark web é uma camada ainda mais profunda da rede utilizada por criminosos. “Você tem um submundo de informações que não possui um mapeamento completo dele. Eles fazem assim porque gostam de se esconder.”

Jorge Fernandes explica que endereços na zona mais profunda da rede só podem ser acessados por quem conhece o caminho. “Assim como existe em qualquer grupo social, na internet também acabam criando uma estrutura de submundo.”

De acordo com o especialista, o conjunto de protocolos de acesso que os frequentadores da d eep weeb usam dificulta o trabalho da polícia. “Até porque tem uma dificuldade de jurisdição no mundo. Por exemplo, se um computador que tem um monte de coisas ligadas ao crime está hospedado em outro país, a polícia daqui não tem como forçar sair do ar.” ( Com informações da Polícia Federal)

Comentários para "Ação da Polícia Federal com FBI prende morador de Brasília que usava dark web para crimes":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

O Zé Ninguém

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Em 2020, recusa à doação de órgãos por parentes ficou em 37,8%

Pesquisa revela que maioria dos brasileiros tem intenção de doar órgãos, mas não avisa a família

Pesquisa revela que maioria dos brasileiros tem intenção de doar órgãos, mas não avisa a família

“Seja doador de órgãos e avise sua família” se estenderá por todo ano de 2021. Uma doação pode salvar até oito vidas