×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 28 de junho de 2022

Agenda tóxica: Governo Bolsonaro teve liberação recorde de 945 agrotóxicos

Agenda tóxica: Governo Bolsonaro teve liberação recorde de 945 agrotóxicosFoto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Muitos produtos autorizados são produzidos na China, no entanto nada se ouve do presidente sobre “agrotóxicos chineses

Marcos Pedlowski Rba / Brasil De Fato - 04/01/2021 - 09:00:11

Em 2015, no governo Dilma Rousseff, foram liberados 139 agrotóxicos; Em 2020, sob Bolsonaro, 470 produtos foram autorizados

Se está patinando em adquirir até insumos básicos para viabilizar a vacinação da população brasileira para debelar a pandemia da covid-19, em seus dois anos de existência o governo Bolsonaro fez a alegria dos fabricantes de venenos agrícolas. É que, fechado o ano de 2020, podemos contabilizar a liberação de 945 agrotóxicos (ver planilha completa aqui ). E muitos deles de alta periculosidade para a saúde humana e o meio ambiente (incluindo águas e solos).

:: Como a política pró-agrotóxicos de Bolsonaro transfere riquezas para fora do país ::

Já ressaltei em postagens anteriores. Um claro cinismo marca a atitude do presidente Jair Bolsonaro em face do uso da CoronaVac, vacina produzida e comercializada pela empresa chinesa Sinovac. É que todas as vacinas já desenvolvidas por outras empresas dependem de insumos produzidos na China para poderem ser produzidas. E vendidas a preços relativamente mais altos do que a da Sinovac. Além disso, uma parcela significativa dos agrotóxicos que tiveram liberação nos dois anos de governo Bolsonaro são produzidos exclusivamente na China. E sem que se ouça qualquer menção do presidente ou de algum dos seus filhos sobre o processo de envenenamento dos brasileiros pelos “agrotóxicos chineses”.

:: 3 das 4 empresas com mais agrotóxicos liberados por Bolsonaro têm um pé na China ::

Desatenção

Mas é preciso reconhecer que um dos grandes méritos da máquina de propaganda do governo Bolsonaro é desviar a atenção dos assuntos que realmente interessam. E inocular elementos paliativos e insignificantes na narrativa que molda a agenda política brasileira.

Um dos complicadores acerca do debate necessário sobre o grave risco que o uso abusivo e indiscriminado de agrotóxicos altamente tóxicos pelos grandes latifundiários que controlam a pauta de exportação brasileira é que os partidos da esquerda institucional, mormente o PT, aparentemente não veem isso como um problema. A única exceção significativa nessa situação de aprovação tácita de um modelo de agricultura envenenada é o Psol. Sua atuação resultou em 2016 na apresentação de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade ( a ADI 553 ). A ação questiona as imorais isenções fiscais dadas aos fabricantes de venenos agrícolas.

Mas a falta de uma maior capacidade de mobilização política em torno da questão vem permitindo que a ADI 553 tramite na velocidade de um cágado de pata quebrada. E permitindo que o tsunami de aprovações de agrotóxicos gere bilhões de reais em lucros para as corporações que fabricam agrotóxicos.

O estudo aqui divulgado em que são demonstradas alterações no DNA de trabalhadores rurais expostos a agrotóxicos durante suas atividades profissionais em Goiás é apenas a ponta do iceberg de problemas infringidos à saúde humana no Brasil.

Só aqui

Antecipo que, apesar de todas as dificuldades de financiamento à pesquisa científica, ainda iremos ver emergindo evidências cientificamente corroboradas de outros distúrbios causados à saúde dos brasileiros por causa da exposição direta ou indireta a agrotóxicos. Muitos deles banidos em seus países de origem, incluindo a China que hoje domina o fornecimento de venenos agrícolas no nosso país. Exemplo disso é o herbicida Paraquate, que apesar de oficialmente banido continua sendo usado no Brasil em função de estratégias legais usadas pelos representantes do setor produtor de venenos agrícolas e associações que defendem os interesses do latifúndio agroexportador.

Antecipo que veremos a continuidade da aprovação expedita de agrotóxicos pelo governo Bolsonaro em 2021. Por isso mesmo, a partir do Observatório dos Agrotóxicos, o Blog do Pedlowski continuará documentado as aprovações e oferecendo as principais informações contidas nos atos oficiais de liberação de mais produtos para um mercado ambicionado pelas grandes corporações multinacionais. Apesar de trabalhosa, essa ação será continuada porque a última coisa que podemos nos permitir enquanto durar o governo Bolsonaro é o direito à ignorância.

Comentários para "Agenda tóxica: Governo Bolsonaro teve liberação recorde de 945 agrotóxicos":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Diferentes técnicas mostram possibilidades da arte NFT

Diferentes técnicas mostram possibilidades da arte NFT

Apesar de a arte digital ter uma maior intimidade com a tecnologia de NFT, artistas plásticos, fotógrafos e afins também encontram espaço para vender e expor seus trabalhos por meio da tecnologia.

Museu do Pontal ajuda a preservar arte popular brasileira

Museu do Pontal ajuda a preservar arte popular brasileira

O Museu do Pontal é um espaço que revela toda a riqueza e diversidade das raízes artísticas brasileiras.

Livro traz aplicação de 150 espécies nativas da flora brasileira

Livro traz aplicação de 150 espécies nativas da flora brasileira

Série Biodiversidade está disponível gratuitamente em versão digital

Mausoléu do Patriarca da Independência será restaurado em Santos

Mausoléu do Patriarca da Independência será restaurado em Santos

O local vai ganhar uma estátua de Bonifácio, com conceito

Com menos nudez e mais debate, 'Pantanal' volta a bater recordes

Com menos nudez e mais debate, 'Pantanal' volta a bater recordes

Durante as gravações de Matí no Pantanal, poucos profissionais foram escalados de forma a evitar superestímulos na onça

Nélida Piñon doa seu acervo para Instituto Cervantes no Rio de Janeiro

Nélida Piñon doa seu acervo para Instituto Cervantes no Rio de Janeiro

Muitos dos livros têm dedicatórias de amigos escritores

Descubra quem está por trás do hit “Acorda, Pedrinho”, que viralizou no TikTok

Descubra quem está por trás do hit “Acorda, Pedrinho”, que viralizou no TikTok

Música virou sucesso na plataforma de vídeos e já foi compartilhada por grandes celebridades

Caravana do Patrimônio Cultural percorre cidades do interior

Caravana do Patrimônio Cultural percorre cidades do interior

Estreia será no dia 20 no município maranhense de Pindaré Mirim

"Amo minhas filhas, mas não gosto tanto de ser mãe", revela Samara Felippo em livro

Caroline Dias de Freitas, CEO da DISRUPTalks, e Samara Felippo, nova autora do selo.

Turma da Mônica e WWF-Brasil lançam cartilha sobre proteção do meio ambiente

Turma da Mônica e WWF-Brasil lançam cartilha sobre proteção do meio ambiente

A publicação conta com ensinamentos sobre como recuperar o planeta após anos de agressões contra o meio ambiente.

Festival de cinema apresenta 27 filmes com temática LGBTQIA+

Festival de cinema apresenta 27 filmes com temática LGBTQIA+

Evento é online, gratuito e vai até a próxima quarta-feira