×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 28 de janeiro de 2022

Agenda tóxica: Governo Bolsonaro teve liberação recorde de 945 agrotóxicos

Agenda tóxica: Governo Bolsonaro teve liberação recorde de 945 agrotóxicosFoto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Muitos produtos autorizados são produzidos na China, no entanto nada se ouve do presidente sobre “agrotóxicos chineses

Marcos Pedlowski Rba / Brasil De Fato - 04/01/2021 - 09:00:11

Em 2015, no governo Dilma Rousseff, foram liberados 139 agrotóxicos; Em 2020, sob Bolsonaro, 470 produtos foram autorizados

Se está patinando em adquirir até insumos básicos para viabilizar a vacinação da população brasileira para debelar a pandemia da covid-19, em seus dois anos de existência o governo Bolsonaro fez a alegria dos fabricantes de venenos agrícolas. É que, fechado o ano de 2020, podemos contabilizar a liberação de 945 agrotóxicos (ver planilha completa aqui ). E muitos deles de alta periculosidade para a saúde humana e o meio ambiente (incluindo águas e solos).

:: Como a política pró-agrotóxicos de Bolsonaro transfere riquezas para fora do país ::

Já ressaltei em postagens anteriores. Um claro cinismo marca a atitude do presidente Jair Bolsonaro em face do uso da CoronaVac, vacina produzida e comercializada pela empresa chinesa Sinovac. É que todas as vacinas já desenvolvidas por outras empresas dependem de insumos produzidos na China para poderem ser produzidas. E vendidas a preços relativamente mais altos do que a da Sinovac. Além disso, uma parcela significativa dos agrotóxicos que tiveram liberação nos dois anos de governo Bolsonaro são produzidos exclusivamente na China. E sem que se ouça qualquer menção do presidente ou de algum dos seus filhos sobre o processo de envenenamento dos brasileiros pelos “agrotóxicos chineses”.

:: 3 das 4 empresas com mais agrotóxicos liberados por Bolsonaro têm um pé na China ::

Desatenção

Mas é preciso reconhecer que um dos grandes méritos da máquina de propaganda do governo Bolsonaro é desviar a atenção dos assuntos que realmente interessam. E inocular elementos paliativos e insignificantes na narrativa que molda a agenda política brasileira.

Um dos complicadores acerca do debate necessário sobre o grave risco que o uso abusivo e indiscriminado de agrotóxicos altamente tóxicos pelos grandes latifundiários que controlam a pauta de exportação brasileira é que os partidos da esquerda institucional, mormente o PT, aparentemente não veem isso como um problema. A única exceção significativa nessa situação de aprovação tácita de um modelo de agricultura envenenada é o Psol. Sua atuação resultou em 2016 na apresentação de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade ( a ADI 553 ). A ação questiona as imorais isenções fiscais dadas aos fabricantes de venenos agrícolas.

Mas a falta de uma maior capacidade de mobilização política em torno da questão vem permitindo que a ADI 553 tramite na velocidade de um cágado de pata quebrada. E permitindo que o tsunami de aprovações de agrotóxicos gere bilhões de reais em lucros para as corporações que fabricam agrotóxicos.

O estudo aqui divulgado em que são demonstradas alterações no DNA de trabalhadores rurais expostos a agrotóxicos durante suas atividades profissionais em Goiás é apenas a ponta do iceberg de problemas infringidos à saúde humana no Brasil.

Só aqui

Antecipo que, apesar de todas as dificuldades de financiamento à pesquisa científica, ainda iremos ver emergindo evidências cientificamente corroboradas de outros distúrbios causados à saúde dos brasileiros por causa da exposição direta ou indireta a agrotóxicos. Muitos deles banidos em seus países de origem, incluindo a China que hoje domina o fornecimento de venenos agrícolas no nosso país. Exemplo disso é o herbicida Paraquate, que apesar de oficialmente banido continua sendo usado no Brasil em função de estratégias legais usadas pelos representantes do setor produtor de venenos agrícolas e associações que defendem os interesses do latifúndio agroexportador.

Antecipo que veremos a continuidade da aprovação expedita de agrotóxicos pelo governo Bolsonaro em 2021. Por isso mesmo, a partir do Observatório dos Agrotóxicos, o Blog do Pedlowski continuará documentado as aprovações e oferecendo as principais informações contidas nos atos oficiais de liberação de mais produtos para um mercado ambicionado pelas grandes corporações multinacionais. Apesar de trabalhosa, essa ação será continuada porque a última coisa que podemos nos permitir enquanto durar o governo Bolsonaro é o direito à ignorância.

Comentários para "Agenda tóxica: Governo Bolsonaro teve liberação recorde de 945 agrotóxicos":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Complexo Cultural Samambaia é entregue, reformado

Complexo Cultural Samambaia é entregue, reformado

Equipamento do GDF ganhou melhorias estruturais e passa por obras na edificação

Espelho Labirinto exibe obras de 86 artistas brasileiros em Brasília

Espelho Labirinto exibe obras de 86 artistas brasileiros em Brasília

Mostra gratuita pode ser vista até 13 de março no CCBB

Iluminação externa da Catedral de Brasília ganha 39 refletores novos

Iluminação externa da Catedral de Brasília ganha 39 refletores novos

“Quando um refletor apaga, já sentimos a diferença; agora que estão todos acesos, fica ainda mais bonito e seguro trabalhar aqui”, afirma o pipoqueiro Marcos Almeida

Lixão no Distrito Federal vai se transformar em um parque de ipês

Lixão no Distrito Federal vai se transformar em um parque de ipês

Executado pelo SLU e o Polo Norte do programa GDF Presente, o plano para acabar com o lixão começou nesta semana, com a limpeza da área |

Cine Brasília exibe filmes premiados no Festival de Cinema

Cine Brasília exibe filmes premiados no Festival de Cinema

Programação especial terá início nesta quinta-feira (27)

Monumentos de Brasília estão entre as melhores fotos turísticas do mundo

Monumentos de Brasília estão entre as melhores fotos turísticas do mundo

O Museu Histórico de Brasília está entre as imagens do fotógrafo brasiliense classificadas para a final do concurso da Wikipedia

Evento de rock promete reunir mil músicos em Brasília

Evento de rock promete reunir mil músicos em Brasília

Rockin’1000 é a reunião de mil músicos profissionais e amadores que, juntos, irão executar uma seleção de músicas de Rock Nacional e Internacional.

Cine Itapuã, no Gama, mais perto de ser devolvido ao público

Cine Itapuã, no Gama, mais perto de ser devolvido ao público

Estão sendo investidos R$ 463 mil; reforma vai pôr fim a 18 anos de descaso com o espaço que é parte da história da cultura no DF

Plataforma digital da Biblioteca Nacional de Brasília entra em operação

Plataforma digital da Biblioteca Nacional de Brasília entra em operação

Repositório institucional já disponibiliza a Coleção BNB, com o registro de mais de 70 itens sobre a biblioteca

‘O Caixeiro da Taverna’ abre Curso Internacional de Verão

‘O Caixeiro da Taverna’ abre Curso Internacional de Verão

Ópera foi apresentada na noite de domingo (16), no Teatro Levino de Alcântara

Cultura popular é tema de festival; confira outras atrações

Cultura popular é tema de festival; confira outras atrações

Boi do Seu Teodoro é homenageado no Festival Via Satélite