×
ContextoExato
Responsive image

Arquipélago de Bougainville pode se tornar um novo país

Arquipélago de Bougainville pode se tornar um novo paísFoto: Mar Sem Fim

Arquipélago de Bougainville

Estadão Conteúdo - 18/01/2020 - 07:45:34

A imensidão do Pacífico, os ecos da mitológica viagem do capitão Cook no século 18, e as imagens que nos chegam das ilhas da região, mexem com a cabeça de viajantes há tempos. Quem nunca teve curiosidade em conhecê-las? Pois agora teremos mais uma oportunidade. O arquipélago de Bougainville, hoje parte de Papua Nova Guiné, pode ser tornar o país de número 194 (A partir de matéria da National Geographic ).

mapa mostra localização do Arquipélago de Bougainville

Arquipélago de Bougainville

NG : “O grupo de ilhas do Pacífico Sul de Bougainville está a caminho de se tornar o país mais novo do mundo depois que os moradores votaram esmagadoramente (98%) pela independência da Papua Nova Guiné (PNG) em um referendo histórico em dezembro de 2019. Embora o resultado não torne Bougainville automaticamente independente – ele precisa negociar termos de separação complexos com PNG primeiro – significa que poderia se tornar o 194º membro das Nações Unidas é uma perspectiva muito real.” Segundo a bloomberg.com , ‘as pessoas de Bougainville há muito reclamam diferenças étnicas e culturais com a gente de Papua Nova Guiné, e o sentimento secessionista remonta a mais de um século’.

imagem de praia em Arquipélago de Bougainville
Praia do Arquipélago de Bougainville. Imagem, National Geographic.

Uma breve história do Arquipélago de Bougainville

WP : “Bougainville, uma região autônoma da Papua Nova Guiné. É habitada por humanos há pelo menos 29.000 anos, segundo artefatos encontrados na caverna Kilu, na ilha de Buka. A região recebeu o nome de Ilha Bougainville, a maior ilha do arquipélago das Ilhas Salomão, mas também contém várias ilhas menores. Os Bougainvilleanos são descendentes de uma mistura das duas populações, os australo-melanésiase e a cultura Lapita, as línguas austronésias e não austronésias são faladas até hoje.”

A chegada dos europeus

WP : “Em 1616, os exploradores holandeses Willem Schouten e Jacob Le Maire se tornaram os primeiros europeus a avistar as ilhas. A ilha principal recebeu o nome do almirante francês Louis Antoine de Bougainville, que a alcançou em 1768. O Império Alemão colocou Bougainville sob um protetorado em 1886. Enquanto isso, o restante das Ilhas Salomão se tornou parte do Império Britânico em 1893. Os limites entre Papua Nova Guiné e Ilhas Salomão foram estabelecidos pela Convenção Tripartida de 1899. A Força Expedicionária Naval e Militar Australiana (AN & MEF) ocupou a Nova Guiné Alemã em 1914, após o início da Primeira Guerra Mundial. Depois do fim da guerra, Bougainville e os outros territórios ocupados foram nomeados por um mandato da Liga das Nações, que a Austrália administrava como Território da Nova Guiné.”

Segunda Guerra Mundial

WP : “Durante a Segunda Guerra Mundial, os japoneses invadiram e ocuparam Bougainville para apoiar suas operações no Pacífico. A campanha aliada subsequente para recuperar as ilhas resultou em baixas pesadas. E na eventual restauração do controle australiano em 1945.”

Guerra civil 1988-1998

WP: “Em 1949, depois de reformas administrativas do governo australiano, Bougainville foi incorporada ao território da Papua e da Nova Guiné. A mina de cobre de Panguna foi aberta em 1969 e logo se tornou uma fonte de conflito.” Segundo a Bloomberg, ‘os protestos contra a mina de cobre, de propriedade australiana, se tornaram violentos. Uma guerra civil de uma década se seguiu, que matou até 20.000 vidas”.

Não foi a primeira vez que uma desastrada extração mineral de cobre, cujos rejeitos usam o ‘ sistema de eliminação de rejeitos’ (DSTP), da mina da Newmount Mining, da Indonésia, provocou conflitos na região . A Bloomberg confirma: “No centro do conflito, havia a raiva de as comunidades locais estarem absorvendo os danos ambientais e não recebendo benefícios suficientes do enorme recurso de cobre, que ficou estagnado durante os combates e permanece fechado.”

Tratado de paz e referendo

WP : “Foi alcançado um acordo de paz em 2001, pelo qual foi acordado que uma região autônoma seria estabelecida. Um referendo de independência seria realizado; o último, 2019.”

Bougainville: informe-se

NG: “Antes de sacar seu passaporte, aqui estão algumas coisas para saber sobre Bougainville. É uma região autônoma no Mar Salomão, composta de ilhas vulcânicas e atóis cerca de 1400 km ao norte de Queensland, na Austrália e 965 km a leste de Papua Nova Guiné. É bem pequeno; com 9000 quilômetros quadrados. O em breve novo país é aproximadamente a metade do tamanho de Fiji ( ameaçada de ser tragada pelo mar ). As duas maiores ilhas são Ilha Bougainville e Ilha Buka.” Outra fonte, o site da www.bloomberg.com/ , diz que ‘o arquipélago é habitado por cerca de 250 mil pessoas’.

Barcos do Arquipélago de Bougainville.
Barcos do Arquipélago de Bougainville. Imagem, National Geographic.

“A própria cidade de Buka é a capital administrativa e a mais desenvolvida com lojas, bares, pousadas e um escritório de informações turísticas. Para os visitantes, serve principalmente como ponto de partida para a Ilha Bougainville e as empresas locais de barcos o levarão por uma pequena taxa.”

danças tribais em Bougainville
As danças tribais ainda são tradição. Imagem,Elizabeth Vuvu/AFP via Getty Images.

Potencial de se tornar meca do ecoturismo

A National Geographic confirma nossa impressão de destino predestinado, e explica: “A Ilha Bougainville é o principal atrativo em termos de beleza natural e tem o potencial de se tornar um dos principais destinos de ecoturismo, com florestas densas, lagoas cristalinas, cachoeiras, cavernas, praias e montanhas deslumbrantes. A maior parte da ilha é segura de explorar após o término da guerra civil em 1998.”

mercado tradicional de rua em Bougainville
O mercado.Imagem, National Geographic.

Observadores de pássaros

NG : “A ilha abriga lindas cidades costeiras como Tinputz, onde você pode organizar caminhadas guiadas até o Lago Namotoa Crater, a partir da casa de hóspedes principal da cidade e Wakunai, o ponto de partida para a caminhada de três dias ao Monte Balbi. Mais ao sul fica Arawa, uma região que está se tornando popular entre observadores de pássaros, caminhantes, ciclistas e mergulhadores que não querem enfrentar multidões, além de amantes da história graças às suas relíquias da Segunda Guerra Mundial.”

imagem de vulcão em Bougainville
A ‘paradisíaca’ Bougainville. Imagem, http://www.millspaughfamily.net/.

Futuro ainda incerto para moradores do Arquipélago de Bougainville

Apesar da National Geographic prever um possível futuro melhor, devido ao turismo, outra fonte, a Bloomberg , não é tão otimista:”Há uma preocupação de que muitos Bougainvilleanos, particularmente em regiões mais isoladas, suponham que uma vitória pela independência leve automaticamente e rapidamente à formação de uma nova nação. E que eles possam reagir violentamente se isso não ocorrer. Se a oposição em Port Moresby se tornar arraigada, isso poderá resultar em moradores descontentes declarando unilateralmente a independência, como tentaram mais de uma vez antes. No pior cenário, isso pode significar outra guerra.”

A independência e a mina de cobre

Ainda segundo a Bloomberg , “A independência de Bougainville poderia encorajar outras províncias remotas a cortar laços. A instabilidade não seria do interesse de uma região frequentemente empobrecida. Isso também comprometeria as tentativas de atrair investimentos e a ajuda estrangeira tão necessária, inclusive da China. Também pode significar que a reconstrução da mina de Panguna, um dos maiores recursos de cobre do mundo, permaneça atrasada indefinidamente.”

Fontes :https://www.lonelyplanet.com/articles/bougainville-could-be-the-worlds-newest-country; https://en.wikipedia.org/wiki/History_of_Bougainville; https://www.bloomberg.com/news/articles/2019-11-20/why-a-part-of-papua-new-guinea-is-eyeing-independence-quicktake.

Comentários para "Arquipélago de Bougainville pode se tornar um novo país":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório