×
ContextoExato
Responsive image

Brasilienses reagem a Weintraub

Brasilienses reagem a WeintraubFoto: CorreioWeb

Cabeleireiros e barbearias fechados

Ana Maria Campos - Correioweb - 23/05/2020 - 08:26:55

Políticos brasilienses reagiram às declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, sobre a cidade. Como a Eixo Capital antecipou nesta semana, Weintraub esculhambou Brasília na famosa reunião com presidente Jair Bolsonaro em 22 de abril. Disse que a capital é uma “porcaria”, um “cancro de corrupção e privilégio”, com olhos de quem só enxerga a Esplanada e a Praça dos Três Poderes. O deputado Professor Israel (PV-DF) rebateu: “Weintraub não é só um ministro ruim. O pior da história. É um ser humano desprezível. Suas declarações no vídeo só confirmam o que já sabíamos, trata-se de um sujeito repugnante e vil”. A senadora Leila Barros comentou: “ As palavras de Abraham Weintraub demonstram o desconhecimento dele sobre o que é Brasilia. Temos o céu mais belo do país, lindos parques, cachoeiras e um povo honesto e trabalhador. Se Brasília incomoda tanto, o ministro poderia deixar a cidade e o cargo“.

Cabeleireiros e barbearias fechados

Nas novas restrições para conter a propagação do coronavírus, publicadas ontem, o governador Ibaneis Rocha (MDB), como a coluna havia antecipado, ignorou solenemente o decreto do presidente Jair Bolsonaro que tornou barbearias e cabeleireiros serviços essenciais. Essas atividades continuam suspensas porque podem representar risco de contaminação.

 (Ed Alves/CB/D.A Press)

Esporte na rua e no lago

As calçadas de Brasília vão continuar repletas de pessoas correndo, caminhando e pedalando. Os parques e as academias continuam fechados no novo decreto do governador Ibaneis Rocha (MDB). Clubes recreativos também. Mas quem tem barco pode navegar no Lago Paranoá.

Projeto para restaurante

A Câmara Legislativa vai construir um restaurante, um abrigo para ambulância e uma praça do servidor em suas dependências. O custo estimado da obra será R$ 1.829.157,89. Uma licitação vai definir a empresa de engenharia responsável pela obra.

 (Vinicius Cardoso/CB/D.A Press)

Volta atrás

O bloco parlamentar “Brasília em evolução” pediu à Presidência e à Mesa Diretora da Câmara Legislativa que tornem nula a votação do Projeto de Resolução que trata da inclusão de ex-deputados e seus familiares no plano de saúde da Casa. Tudo em nome da moralidade e da transparência no trato com o dinheiro público, segundo nota oficial divulgada pelo grupo. Para compensar, o bloco também apresentou um Projeto de Resolução que proíbe ex-deputados distritais de usarem o plano de saúde. “Entendemos que o momento é de crise, e a população espera compromisso e responsabilidade dos deputados e demais agentes públicos”, diz a nota assinada pelo líder do bloco, Eduardo Pedrosa (PTC). Nada como a reação da população. Um dos integrantes do bloco, Iolando (PSC), é autor da emenda que causou tanta repercussão.

Siga o dinheiro

R$ 34.400

Valor destinado à confecção de 204 condecorações da Ordem do Mérito Legislativo, por meio de ata de registro de preços. Contrato com a empresa Marcio Sandro Mallet Pezarim.


Só papos

 (Evaristo SA/AFP)

“O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”

General Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, sobre o pedido de apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro

 (Minervino Junior/CB/D.A Press)

"A intimidação do General Augusto Heleno é uma ameaça clara às instituições e ao regime democrático. Se há suspeição de obstrução de Justiça e de interferência na PF, Bolsonaro tem que ser investigado e toda e qualquer prova apreendida. Um presidente não está acima de tudo e de todos, inclusive da lei”

Deputada Fernanda Melchionna (RS), líder do PSol na Câmara dos deputados, sobre a nota do general Heleno

A pergunta que não quer calar….

O presidente Jair Bolsonaro vai manter o ministro da Educação, Abraham Weintraub, no governo depois de dizer que os ministros do STF são vagabundos e que deveriam ser presos?

Comentários para "Brasilienses reagem a Weintraub":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório