×
ContextoExato
Responsive image

Cabo de guerra: Dificuldades na articulação entre o GDF e distritais na Câmara Legislativa

Cabo de guerra: Dificuldades na articulação entre o GDF e distritais na Câmara LegislativaFoto: Sindate DF

Cabo de guerra

Correio Braziliense - 08/07/2020 - 09:24:39

Cabo de guerra

As dificuldades na articulação entre o GDF e distritais na Câmara Legislativa que flutuam com posições alinhadas com a base e com a oposição ficaram evidentes nos últimos dias. Fazem parte desse grupo nomes como Eduardo Pedrosa (PTC) e Reginaldo Sardinha (Avante). Incomodou muito ao Executivo que parlamentares com indicações de cargos na estrutura do governo votassem contra projetos considerados fundamentais pelo Buriti, como o Refis 2020 (que foi rejeitado) e as mudanças na Previdência. Em retaliação, uma série de exonerações no comando de regiões administrativas foi feita. A relação atual, dizem fontes do governo, é “a mais difícil possível”. Os parlamentares alegam que, no processo, está havendo muito pouco diálogo.

CPI

No meio de tudo isso, o pedido de abertura de uma CPI para apuração dos gastos do GDF na pandemia esquentou mais o clima. A proposta é do deputado distrital Leandro Grass (Rede), que se posiciona de maneira dura contra o governo Ibaneis. Com a retaliação do GDF, no entanto, uma série de parlamentares que não faz oposição declarada ao Executivo apoiou o pedido. Desse grupo de centro, além de Pedrosa e Sardinha, assinaram o documento Roosevelt Vilela (PSB) e Daniel Donizet (PSDB).

Barreiras

A base do governo se mobiliza para atrapalhar a abertura da CPI e o regimento interno da Casa pode ser o argumento para barrar a iniciativa. A norma prevê que apenas duas CPIs podem ser tocadas simultaneamente na Câmara Legislativa. Atualmente, já está em andamento a CPI do Feminicídio e um pedido para criação de uma CPI contra fake news foi lido em Plenário, mas a comissão não chegou a ser publicada. Se a instalação da comissão das notícias falsas se concretizar, um outro caminho seria conseguir 13 assinaturas apoiando o grupo para investigar os gastos na pandemia. Até agora, oito parlamentares deram suporte à ideia. O imbróglio só deve ser efetivamente resolvido quando as sessões da Casa, atualmente suspensas, voltarem a ocorrer.

 (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Possíveis adversários

A reunião da comissão criada por parlamentares do DF no Congresso Nacional para acompanhar as ações do Executivo local contra a covid-19 é um bom termômetro de quem deve tentar se fortalecer como contraponto ao governador Ibaneis Rocha (MDB) e até concorrer contra ele em 2022. Estavam no debate o senador Izalci Lucas (PSDB) e as deputadas federais Paula Belmonte (Cidadania), Bia Kicis (PSL) e Erika Kokay.

 (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

Veto

Uma emenda da deputada federal Erika Kokay (PT-DF) tornava obrigatório o uso de máscara de proteção individual para todos os servidores de presídios e unidades de cumprimento de medidas socioeducativas. Ao sancionar o projeto que tratava do tema, no entanto, a medida foi vetada pelo presidente Jair Bolsonaro. “É mais uma expressão de desrespeito e desprezo de Bolsonaro pela vida. O presidente tem sido incapaz de adotar as medidas necessárias para o enfrentamento da covid-19 e ainda atrapalha os esforços do parlamento em conter o avanço do vírus e das mortes”, reclamou a parlamentar.

 (Iano Andrade/CB/D.A Press)

Mais um cotado

O cientista político e professor da Universidade de Brasília (UnB) Ricardo Caldas entrou na lista dos cotados para assumir o comando do Ministério da Educação (MEC). Depois da saída de Abraham Weintraub e de Carlos Alberto Decotelli e Renato Feder quase assumirem o posto, a indefinição continua na pasta. Analista político e pesquisador, Caldas é frequentemente acionado por jornalistas para comentar o contexto brasileiro.

“Corruptovírus”

O Distrito Federal está entre as 18 unidades da federação que apareceram nas 50 denúncias recebidas até agora pela plataforma Corruptovírus, criada pelo Instituto Não Aceito Corrupção para concentrar informações sobre possíveis ilegalidades durante a pandemia. As reclamações são filtradas pela equipe do grupo e encaminhadas para o Ministério Público. Apoiam a iniciativa instituições como a Associação Nacional de Procuradores da República.

Só papos

 (Minervino Junior/CB/D.A Press)

"Importante o Mandado de Segurança Coletivo protocolado pelos partidos PT, PSol, PSB, Rede e UP, que pede ao TJDFT a suspensão da reabertura de escolas e de todos os serviços não essenciais. Espero que o governador retome a postura adotada no início da pandemia de priorizar a vida"

Arlete Sampaio (PT), deputada distrital

 (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

"Hoje é um dia histórico! Obrigado ao governador Ibaneis pela sensibilidade em atender nosso pedido (reabertura de salões de beleza e academias) e de todos os profissionais da área. Tenho certeza que Brasília logo estará com a sua economia estabilizada"

Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF), deputado federal

Comentários para "Cabo de guerra: Dificuldades na articulação entre o GDF e distritais na Câmara Legislativa":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório