×
ContextoExato

Caminhoneiros desistem de apoiar Bolsonaro e convocam nova paralisação para 25 de julho

Caminhoneiros desistem de apoiar Bolsonaro e convocam nova paralisação para 25 de julhoFoto: Tribuna da Internet

Caminhoneiros querem parar novamente as estradas

Cláudio Da Costa Oliveira - Site Da Aepet / Tribuna Da Internet​​​​​​​ - 21/06/2021 - 07:37:13

O Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas – CNTRC, através de nota, convocou toda a categoria de caminhoneiros para uma paralisação por prazo indeterminado a partir do próximo dia 25 de julho, dia do caminhoneiro (São Cristovão). Cristovão significa “aquele que carrega Cristo”.

Dentre as justificativas apresentadas, o Conselho lembra que os reajustes nos preços dos combustíveis promovidos pela Petrobrás, sem explicações adequadas, ferem inclusive determinações do Código de Defesa do Consumidor – CDC.

DIZ O CONSELHO – “A composição abusiva na formação do preço do combustível nacional inclui variações baseadas em moeda estrangeira e critérios não econômicos e em desacordo com a realidade econômica nacional, em distanciamento da finalidade da própria causa de existir da empresa pública, que, ao invés de garantir os recursos energéticos aos nacionais pelo menor preço possível, está sendo aplicada política de preço ao maior preço possível, com lesividade”, afirma a entidade.

A nota do Conselho fala das tentativas de discussão do assunto com a direção da empresa, todas frustradas. E reclama que a proposta de política de preços encaminhada, que recebeu a promessa de análise por parte da companhia, até hoje não teve resposta.

“Simplesmente aumentam os preços e nos apresentam a conta”, diz um dos líderes dos caminhoneiros.

####
NOTA DA REDAÇÃO
– Num país continental como o Brasil, se há uma categoria profissional capaz de derrubar um presidente (além dos militares, é claro), são os caminhoneiros. Mas o governo, ao invés de prestigiar esses trabalhadores essenciais, prefere favorecer os interessados na privatização da refinarias da Petrobras, sem perceber que o aumento exagerado dos combustíveis é uma política suicida. Desde 2016 (governo Michel Temer) a Petrobras adotou a inédita política de Preços Paritários aos de Importação (PPI), ou seja, os combustíveis vendidos nas refinarias têm preços arbitrados como se tivessem sido importados. Assim, estima-se o preço do combustível numa refinaria estrangeira e se somam os custos logísticos de importação, taxas e seguros, além das margens de risco e de lucro dos importadores. Acredite se quiser. (C.N.)

Comentários para "Caminhoneiros desistem de apoiar Bolsonaro e convocam nova paralisação para 25 de julho":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório