×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de novembro de 2021

Campanha alerta sobre os riscos do feminicídio

Campanha alerta sobre os riscos do feminicídioFoto: Agência Brasil

O Ligue 180 é uma das principais ferramentas

Por Agência Brasil - São Paulo - 20/11/2021 - 17:58:25

Os riscos do feminicídio é o tema da campanha lançada neste sábado (20), com o slogan “Violência contra a mulher: sua evolução leva ao feminicídio. Observe os sinais. Denuncie”. A iniciativa, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), integra as ações dos 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

A campanha nacional abrange a produção de vídeos, spots para uso em rádio comunitárias e parceiras, cards educativos, enquetes interativas destinadas às redes sociais, cartazes, folders e outras peças de cunho publicitário. Os materiais também têm a proposta de estimular a cultura da denúncia.

Folder da campanha contra o feminicídio

Folder da campanha contra o feminicídio - Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

O Ligue 180, a Central de Atendimento à Mulher, é uma das principais ferramentas para iniciar o acionamento de toda a rede de proteção às pessoas em situação de violência.

No que se refere aos números do Ligue 180, apenas de julho do ano passado a novembro deste ano, mais de 97,4 mil denúncias de violência doméstica e familiar contra a mulher foram registradas. Outras violações somaram mais de 24,5 mil casos no período.




Fatores de risco


A secretária Nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto, explica que, segundo o Código Penal brasileiro, o feminicídio consiste no assassinato cometido em razão do sexo feminino. Em resumo, é quando o crime envolve violência doméstica e familiar ou menosprezo e discriminação à condição de mulher.

“Lembro a todos que o feminicídio é o final do chamado ciclo da violência. Até chegar nessa situação, geralmente começa com algo considerado por muitos como simples, seja um empurrão ou agressão verbal, por exemplo. Nós mulheres precisamos estar atentas aos sinais que envolvem violência física, psicológica, moral, sexual, patrimonial e as situações de risco”, alerta a gestora.

Entre os fatores de risco para o feminicídio, estão o isolamento social, a ausência de rede de serviços de saúde e proteção social bem estruturada e integrada, a pouca consciência de direitos, histórico de violência familiar, transtornos mentais, uso abusivo de bebidas e drogas, dependência afetiva e econômica, presença de padrões de comportamento muito rígidos, exclusão do mercado de trabalho, deficiências, vulnerabilidades relacionadas a faixas etárias e escolaridade.

Ativismo

O movimento proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU), 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, ocorre todos os anos em mais de 150 países, com atividades de conscientização e mobilização. No Brasil, os eventos são promovidos durante 21 dias. A programação começa de forma antecipada em 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, e vai até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos

Comentários para "Campanha alerta sobre os riscos do feminicídio":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Congresso é iluminado de laranja pelo fim da violência contra a mulher

Congresso é iluminado de laranja pelo fim da violência contra a mulher

Campanha 16 dias de ativismo começou nesta quinta-feira

OAB de SP elege Patrícia Vanzolini, 1ª mulher a presidir a entidade em 91 anos

OAB de SP elege Patrícia Vanzolini, 1ª mulher a presidir a entidade em 91 anos

Criminalista Patricia Vanzolini, eleita presidente da OAB-SP

‘Vamos começar a treinar mulheres para que sejam líderes nas comunidades’, diz secretária

‘Vamos começar a treinar mulheres para que sejam líderes nas comunidades’, diz secretária

Programa Empodera vai capacitar público feminino para lutar por causas comuns; a secretária da Mulher, Ericka Filippelli, diz como isso vai funcionar

Projeto Curta Maria alcança 1,2 mil jovens na 14ª Jornada

Projeto Curta Maria alcança 1,2 mil jovens na 14ª Jornada

O Curta Maria foi objeto de monografia de conclusão de Curso de Bacharelado em Direito, no Paraná

Em Dia Internacional, Guterres pede mudanças para eliminar violência contra mulheres

Em Dia Internacional, Guterres pede mudanças para eliminar violência contra mulheres

ONU defende estratégias abrangentes e de longo prazo que protejam direitos das mulheres e meninas

Mercosul lança campanha digital contra o feminicídio

Mercosul lança campanha digital contra o feminicídio

Iniciativa defende anonimato em denúncias de violência contra mulheres

ONU Mulheres inicia campanha de 16 dias de ativismo contra violência de gênero

ONU Mulheres inicia campanha de 16 dias de ativismo contra violência de gênero

Iniciativa Utopiar, marca de roupa feminina ensina técnicas têxteis a mulheres que sofreram violência doméstica

Para 90% dos brasileiros, local de maior risco de feminicídio é dentro de casa

Para 90% dos brasileiros, local de maior risco de feminicídio é dentro de casa

Participaram da pesquisa 1.503 pessoas (1.001 mulheres e 502 homens), com 18 anos de idade ou mais, entre 22 de setembro e 6 de outubro de 2021 em todo o País. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais.

WTA diz que conversa de chinesa Peng com presidente do COI não basta

WTA diz que conversa de chinesa Peng com presidente do COI não basta

Entidade defende investigação sobre denúncia de agressão sexual

Corinthians conquista título da Libertadores Feminina

Corinthians conquista título da Libertadores Feminina

Timão vence a competição pela terceira vez na história

Sophia Medina ganha etapa internacional de surfe e repete feito do irmão Gabriel

Sophia Medina ganha etapa internacional de surfe e repete feito do irmão Gabriel

A conquista da irmã foi comemorada nas redes sociais, inclusive por Gabriel Medina, que está um pouco mais distante de sua família, mas fez questão de elogiar Sophia. "Campeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!