×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 25 de janeiro de 2022

Carta assinada por 3 mil entidades lança propostas de combate à covid-19 no Semiárido

Carta assinada por 3 mil entidades lança propostas de combate à covid-19 no SemiáridoFoto: Rafaella Sabino

Carta pede, entre ações, retomada da construção de cisternas para acesso à água potável

Vanessa Gonzaga - Brasil De Fato | Recife (pe) - 25/04/2020 - 00:47:13

Acesso à água, renda e saúde são fundamentais para 1,7 milhão de famílias agricultoras enfrentarem pandemia

Composta por mais de 3 mil organizações, a Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) lançou, nessa quarta-feira (22), uma carta com proposições para que o poder público inicie de forma efetiva o combate à covid-19 no Semiárido, especialmente no campo, onde vivem cerca de 1,7 milhões de famílias agricultoras.

Na carta, a ASA reforça o fortalecimento de políticas que já existem, alertando que “não haverá uma luta justa contra a expansão rápida da covid-19 se não tivermos direitos humanos garantidos, como alimentação saudável e acesso à água de qualidade para as famílias do Semiárido brasileiro”.

:: Programa de cisternas enfrenta "seca" de recursos e fome bate à porta do semiárido ::

Se nas cidades a estrutura do Sistema Único de Saúde (SUS), de água potável e cortes em políticas sociais como o Bolsa Família têm um impacto direto na vida das famílias que vivem nas periferias e em cidades de pequeno porte, no campo, alguns elementos são agravantes, como a falta de assessoria técnica para produzir e comercializar os alimentos e cortes nos programa de Saúde da Família e no Mais Médicos, que são frutos da Emenda Constitucional 95, que impôs um teto nos investimentos públicos, deixando de repassar verba para o SUS e outras políticas essenciais.

Além do cenário de pandemia, outro elemento que pode agravar as condições de vida das população nos próximos meses é a possibilidade de alagamentos, enchentes e enxurradas com as chuvas, já que o inverno deste ano prevê índices pluviométricos maiores do que os dos últimos 12 anos. A chuva, tão esperada pelas famílias, pode se tornar um risco para a vida das pessoas caso ocorra num curto espaço de tempo em regiões onde o desmatamento e o agronegócio alteram o relevo e a vegetação nativa, deixando a terra ainda mais vulnerável.

Eixos de atuação

A carta apresenta nove eixos principais. São eles:

1) ações de comunicação eficazes para orientar a população a como se prevenir e poupar grupos de risco;

2) aquisição e distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de saúde e famílias da zona rural e equipamentos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI);

3) garantias para que as famílias consigam se cadastrar para que recebam o Auxílio Emergencial;

4) retomada de ações como o Programa Cisternas, que amplia o acesso à água para as populações rurais do Semiárido;

5) retomada de programas e políticas de abastecimento alimentar como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE);

6) garantia de recursos no campo da Assistência Técnica e Extensão Rural;

7) garantia de organização e segurança em saúde para o funcionamento das feiras da agricultura familiar;

8) atenção especial de orientação, prevenção e atenção médica às populações Quilombolas e Indígenas;

9) e garantia de investimentos emergenciais e estruturantes para combater a violência contra a mulher no campo.

A carta completa pode ser lida no site da Articulação Semiárido Brasileiro.

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Monyse Ravena

Comentários para "Carta assinada por 3 mil entidades lança propostas de combate à covid-19 no Semiárido":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Orquestra formada por músicos com doenças mentais luta contra estigmas

Orquestra formada por músicos com doenças mentais luta contra estigmas

Quase cem dos músicos regionais farão um concerto intitulado Stigma-Free at Symphony Hall (algo como Sem Estigma no Symphony Hall), às 15h deste domingo, no horário local, no Boston Symphony Hall.

TJSP mantém condenação de dois homens por racismo e injúria contra Maju Coutinho

TJSP mantém condenação de dois homens por racismo e injúria contra Maju Coutinho

Depois, ainda segundo a Promotoria, os réus se reuniam para derrubar páginas do Facebook de pessoas consideradas por eles 'inimigas'

Entenda como o preconceito impede o desenvolvimento das empresas

Entenda como o preconceito impede o desenvolvimento das empresas

Empresas que promovem a diversidade e inclusão se destacam no mercado

"Somos todos seres humanos incompletos e imperfeitos", diz escritor LGBT

Saulo Sisnando levanta a bandeira de que o amor é único e universal

Vacinação infantil: Cada segundo conta, toda vida importa

Vacinação infantil: Cada segundo conta, toda vida importa

Para Bolsonaro e Queiroga, tem mais valor a opinião de leigos do que o conhecimento da Anvisa e de sociedades científicas do mundo inteiro.

Minas Gerais implementa carteira de identidade do autista

Minas Gerais implementa carteira de identidade do autista

Estado usa assinatura eletrônica Gov.br para emissão do documento

União do mesmo gênero cresce e fica mais jovem

União do mesmo gênero cresce e fica mais jovem

A maior aceitação das famílias aos LGBTI+, embora o preconceito ainda seja um problema grave, também está por trás do rejuvenescimento dos noivos

A luta antirracista de Aranha: De goleiro chamado de macaco a escritor

A luta antirracista de Aranha: De goleiro chamado de macaco a escritor

A palavra ganhou um sentido ainda mais potente e atual no livro

Vídeo: Desigualdade em vacinas pelo mundo atrasa fim da pandemia

Vídeo: Desigualdade em vacinas pelo mundo atrasa fim da pandemia

Nações Unidas chamam atenção para desigualdade na distribuição das doses da vacina.

'A economia prateada já move R$ 1,6 trilhão por ano'

'A economia prateada já move R$ 1,6 trilhão por ano'

Apesar do crescimento, essa população não tem sido atendida de forma satisfatória, diz o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit.

Operação foca em rede de extremistas que cultua racismo e homofobia

Operação foca em rede de extremistas que cultua racismo e homofobia

Os investigadores dizem ter identificado, a partir da quebra de sigilo de dados e telefônicos autorizados pela Justiça, grupos que "se autodeclaram nazistas e ultranacionalistas, associados para praticar e incitar atos criminosos".