×
ContextoExato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de outubro de 2018


COB quer dez ou mais esportes no pódio nas Olimpíadas 2020

COB quer dez ou mais esportes no pódio nas Olimpíadas 2020

Preparação em 2018 custará RS 153 milhões e objetivo é manter o patamar.

Por Jonas Moura / Do Portal Terra / Foto: Pública - Pixabay - 26/07/2018 - 08:37:45

A dois anos dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) prefere não divulgar uma meta de medalhas para o megaevento, como fez no ciclo anterior. Mas um objetivo é claro. A entidade espera manter ou ampliar o número de modalidades que rendam pódios.

Na preparação para a Rio-2016, o COB projetou que o investimento poderia levar o Brasil ao top 10 em total de medalhas, mas as 19 conquistadas pelo Time Brasil renderam apenas o 12º lugar no quesito. Se for considerado o número de ouros, o país foi o 13º colocado. Hoje, a estratégia é não gerar pressão sobre atletas e confederações com antecedência. Embora os dirigentes já tenham números em mente, eles só serão revelados ao fim de 2019.

"Nosso foco é manter a quantidade de modalidades medalhistas acima de dez. Mas não estabelecemos números neste momento de quantidade de medalhas nem responsabilidade de cada esporte em trazê-las. Avaliaremos nossa real condição de pódios ao final de 2019, ao final de todos os Campeonatos Mundiais", disse o gerente geral de alto rendimento do COB, Jorge Bichara, em apresentação para a imprensa nesta segunda-feira.

No Rio, as medalhas vieram de 12 esportes: os tradicionais atletismo, futebol, judô, vela, vôlei e vôlei de praia; da ginástica artística, considerada "em evolução"; do taekwondo e tiro esportivo, que retornaram ao pódio; e de canoagem velocidade e maratona aquática, modalidades novas no quesito.

Atualmente, 30 atletas ou equipes estão no top 3 do mundo, 25 aparecem entre 4º e 10º e 38 figuram entre 11º e 20º. Atletismo, boxe, canoagem velocidade, canoagem slalom, ciclismo bmx, ciclismo mtb, judô, ginástica artística, hipismo saltos, caratê, maratona aquática, natação, skate, surf, tênis de mesa, vela, vôlei de praia e vôlei tiveram resultados significativos em 2018 e animam os dirigentes para o megaevento. Outros esportes, como o judô, tradicionalmente geram expectativa pelo histórico nos Jogos.

"O judô carrega sempre em nossa história nosso melhor resultado em Jogos Olímpico em quantidade de medalhas. O vôlei é uma modalidade extremamente tradicional. Mas não existe medalha certa e sim trabalho e processos de renovação implantados nas confederações", disse Bichara.

O Comitê projeta 250 atletas classificados para Tóquio-2020. A ambientação ao palco do evento já começou, com visitas de equipes às bases do Time Brasil. Ao todo, serão oito, de aclimatação ou apoio.Só em 2018, o COB informou que terá investido R$ 153 milhões na preparação. Os dirigentes acreditam que será possível manter esse patamar anual nos próximos dois anos. A entidade, como mostrou o LANCE!, intensificou o trabalho de marketing após a Copa do Mundo e pretende mostrar sua nova imagem, após uma série de mudanças nos procedimentos de gestão e aumento de participação dos atletas, para atrair investidores privados.

"Acreditamos que até o final deste ciclo olímpico o montante apresentado para este ano poderá ser mantido", afirmou o gerente geral Rogério Sampaio.

Comentários para "COB quer dez ou mais esportes no pódio nas Olimpíadas 2020":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório