×
ContextoExato
Responsive image

Comércio do DF entra em alerta máximo por causa de chance de segunda onda de covid-19

Comércio do DF entra em alerta máximo por causa de chance de segunda onda de covid-19Foto: ED ALVES/CB/D.A PRESS

Celebra-se, hoje, o Dia da Consciência Negra. Quando a participação dessa população tão importante para o país será mais igualitária na política?

Alexandre De Paula - Correioweb - 20/11/2020 - 07:41:38

Empresários e lojistas do Distrito Federal estão preocupados com a possibilidade de que uma segunda onda da covid-19, como aconteceu na Europa, atinja a capital. O receio principal é de que a situação obrigue o Governo do Distrito Federal (GDF) a fazer novos fechamentos, o que seria considerado trágico pelo setor a poucas semanas do Natal. O governador Ibaneis Rocha (MDB) garantiu que o DF está preparado e que, mesmo que venha a segunda onda, não haverá fechamentos. Ainda assim, o receio entre os comerciantes é grande.

Baixas

Desde o início da pandemia, 850 empresas fecharam as portas no DF, de acordo com dados do Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista-DF) e o total de desempregados ultrapassou 15 mil. No Natal de 2019, houve crescimento de 5% nas vendas. Neste ano, a estimativa é de que o aumento seja de, no máximo, 3% por causa do impacto da pandemia.

Orientações

A avaliação é de que o momento é de alerta. Para tentar evitar a chegada da segunda onda, o Sindivarejista começou a orientar lojistas a reforçar ao máximo o cumprimento das normas sanitárias. “Consumidores devem entrar nas lojas usando máscaras e álcool em gel. O distanciamento deve ser obedecido” ressaltou Edson de Castro, presidente do Sindivarejista.

Recursos para o transporte

O DF quase perdeu R$ 70 milhões em recursos para socorrer o transporte coletivo durante a pandemia da covid-19. O Senado avaliou projeto que autorizava a liberação dos valores para estados e municípios. A proposta aprovada na Câmara destinava à capital federal apenas recursos previstos para os estados. O senador Izalci Lucas (PSDB) pediu ao relator, Eduardo Gomes (MDB-TO), que incluísse o DF também na cota dos municípios dadas as características locais. O pedido foi acatado e o projeto recebeu aval dos senadores com a alteração.

Pontos de apoio

A regulamentação da lei que obriga empresas de transporte de aplicativo a criarem pontos de apoio para entregadores do DF dependeu de articulação intensa para evitar judicialização. Houve conversas entre GDF, empresas e o deputado distrital Fábio Felix (Psol), autor da proposta. Para evitar questionamentos, algumas alterações foram definidas, como a delimitação de que não seria necessário dispor da estrutura em regiões nas quais a demanda pelo serviço era muito pequena.

Revisão da Luos

O Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan) aprovou por unanimidade a revisão da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) em reunião ontem. O assunto agora precisa ser tratado na Câmara Legislativa. A necessidade de alterações se justifica, segundo relatório feito por Ovídio Maia, da Fecomércio, para corrigir erros e inconsistências da legislação atual e pela necessidade de incorporar novos projetos.

A pergunta que não quer calar….

Celebra-se, hoje, o Dia da Consciência Negra. Quando a participação dessa população tão importante para o país será mais igualitária na política?

Só papos

“O Distrito Federal (no início da pandemia) não tinha capacidade de atender a população, caso o número se elevasse. Hoje, caso venha uma segunda onda, nós temos toda a capacidade de atendimento.”
Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal

“Ibaneis afirmou que estamos preparados para segunda onda da covid. Até agora, esperamos o Hospital de Ceilândia. Ibaneis vive em outro DF.”
Leandro Grass, deputado distrital

Comentários para "Comércio do DF entra em alerta máximo por causa de chance de segunda onda de covid-19":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório