×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de junho de 2022

Como a prática do esporte pode alavancar a performance corporativa

Como a prática do esporte pode alavancar a performance corporativaFoto: Felipe Chaya, executivo da Aceleração de Vendas e atleta de endurance Felipe Chaya

O “quartinho do desenvolvimento” e outras habilidades que o esporte agrega à rotina

Redação Com Agência - 30/05/2022 - 11:43:05

Após sua segunda participação no Ironman 2022, o empresário Felipe Chaya, com o campeão mundial de Aquatlhon, Ademir Paulino, e a médica Dra. Flávia Oliveira, detalham quais habilidades adquiridas no esporte ajudam a alavancar a performance corporativa e a evitar o burnout e o sedentarismo

Neste último domingo (29), ocorreu o maior evento de triathlon da América Latina, o Ironman, na Praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis. Na prova, os atletas precisaram nadar 3,8 km, pedalar 180 km e depois correr 42km, respectivamente. Um dos participantes, o executivo Felipe Chaya, Head de Treinamento e Educação Corporativa, sócio da Aceleração de Vendas e da Consultoria Inside Business Design, em sua segunda participação no Ironman Brasil, leva as experiências de seu primeiro Ironman, em 2018, e outras maratonas, para elevar a performance dos times destacando a importância do processo em qualquer tarefa que seja dada.

“Assim como no esporte, é enorme a importância do processo das coisas também no trabalho. Afinal, ter sucesso demora, e não se pode treinar nove meses em quatro: é preciso testar nossa resiliência, respeitar o tempo de cada coisa. Outro ponto essencial que o esporte me ensinou e aplico na rotina corporativa e nos meus treinamentos é que nem todo dia é um dia bom, mas ainda assim é preciso fazer o que temos que fazer, seja treinar na chuva ou fazer aquele relatório desafiador no trabalho”, explica o sócio da Aceleração de Vendas.

Outro ponto essencial sobre o tema é que, nos últimos anos, não foi só a pandemia da COVID-19 que afetou o Brasil: o país também vem enfrentando uma onda de sedentarismo - e de burnouts. Com 47% dos brasileiros sedentários, de acordo com o IBGE, o Brasil é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) o mais sedentário da América Latina. Classificado como doença ocupacional em 2021, o burnout pode ser descrito como “estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso”. Diante desse cenário, a prática de esportes é uma grande aliada para evitar os dois problemas.

Segundo a médica pediatra, adepta da Medicina do Estilo de Vida e também maratonista, Dra. Flávia Oliveira, "colocar um esporte dentro da rotina tão corrida da vida moderna é aprender a gerenciar o bem mais precioso que temos: o tempo”. Afinal, reforça, “a atividade física praticada de forma regular é um dos pilares para se atingir mais foco, organização e melhores resultados em diversas áreas da vida.”

O “quartinho do desenvolvimento” e outras habilidades que o esporte agrega à rotina

Com uma filosofia forte de reforçar o esporte como uma prática que otimiza a rotina corporativa, a empresa de treinamento e consultoria de pessoas e equipes comerciais que buscam alta performance, utiliza os ensinamentos de Chaya em sua metodologia de trabalho. Um deles é chamado de “quartinho de desenvolvimento” pelo profissional.

“Para testar a resiliência no esporte e no trabalho, é preciso ver o quanto você pode aprender com esse processo. É aí que entra o “quartinho de desenvolvimento”, e digo que todos temos ele na cabeça: é um lugar apertado, ruim, que tentamos evitar, mas que, quanto mais tempo passamos nele, mais ele evolui. Por isso, é preciso cuidar desse lugar mental, onde fica cada treino, cada esforço, aprendizado e motivação para seguir em frente mesmo quando tudo que se quer é desistir”, explica.

A Dra. Flávia e Marcelo Scharra, sócio de Chaya e também fundador da Aceleração de Vendas, têm em comum o treinador e campeão mundial de aquathlon Ademir Paulino. E o profissional também atrela a ideia que, para uma boa performance, seja nos esportes, na arte ou no trabalho, é preciso desenvolver as mesmas habilidades.

"Consciência de onde se quer chegar e constância na prática da atividade, por exemplo, são capacidades superimportantes para que cada um consiga performance em seu potencial máximo”, afirma Ademir, que é o único treinador conhecido por levar os corredores de sua consultoria para treinar com os melhores do mundo no Quênia.

E o esporte está tão arraigado na cultura da empresa que a Dra. Flávia é uma das palestrantes e trainers da Aceleração de Vendas. Junto com Chaya, ela ajuda a disseminar aos clientes e colaboradores da consultoria a importância da prática das atividades físicas e como elas podem potencializar o trabalho e outras áreas da vida.

Hábitos saudáveis também influenciam nos resultados

Quando se fala de obter o potencial máximo de cada indivíduo, trata-se de estar apto para poder correr - ou trabalhar - bem. De acordo com a médica Flávia Oliveira, a atividade física modula o humor, melhora a qualidade do sono, auxilia no manejo do estresse e tem impacto na modulação do apetite.

“Como uma engrenagem, os elementos: sono, atividade física, dieta, manejo de stress, se conectam e se completam, fazendo-a girar de forma harmoniosa. Do ponto de vista empresarial, manter todos os funcionários ativos é uma das ferramentas mais poderosas para se alcançar maior e melhor produtividade: olhar o indivíduo como peça chave para que a empresa como um todo cresça é essencial para uma liderança compassiva e empática”, reforça.

Ainda sobre as lições que os treinos podem levar ao universo corporativo, a pediatra destaca que o esporte traz lições para a vida que podem ser utilizadas em tudo que nos rodeia: “inclusive a paciência frente aos resultados e, mais ainda, na certeza de que controlamos apenas nossas ações e atitudes. Podemos controlar o processo, mas o resultado dele não está em nossas mãos”, finaliza.


Comentários para "Como a prática do esporte pode alavancar a performance corporativa":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
No futebol alemão, pessoas trans decidirão se disputam jogos masculinos ou femininos

No futebol alemão, pessoas trans decidirão se disputam jogos masculinos ou femininos

Brasil tem 4 milhões de pessoas trans e não binárias, revela estudo da Unesp, inédito no país

Coletivos esportivos LGBT+ avançam contra o preconceito com acolhimento e orgulho

Coletivos esportivos LGBT+ avançam contra o preconceito com acolhimento e orgulho

São grupos que unem a diversidade sexual e o acesso ao esporte.

Fifa e FIFPro anunciam parceria para combater discurso de ódio nas redes sociais

Fifa e FIFPro anunciam parceria para combater discurso de ódio nas redes sociais

As organizações vão desenvolver um suporte educacional e conselhos de saúde mental para todos os jogadores participantes dos torneios Fifa durante 2022 e 2023.

Medalhas de Rebeca Andrade impulsionam diferentes gerações de ginastas no Brasil

Medalhas de Rebeca Andrade impulsionam diferentes gerações de ginastas no Brasil

A avaliação é da professora Adriana Alves, coordenadora da ginástica artística feminina da Confederação Brasileira de Ginástica

Em Portugal, Brasil faz campanha histórica no Mundial de natação paralímpica

Em Portugal, Brasil faz campanha histórica no Mundial de natação paralímpica

Delegação brasileira ficou na terceira posição geral com 53 medalhas

Miami se torna sede da Copa do Mundo de 2026. Mundial acontecerá nos EUA, no Canadá e no México

Miami se torna sede da Copa do Mundo de 2026. Mundial acontecerá nos EUA, no Canadá e no México

Esta será a segunda vez que uma cidade da Flórida sediará a Copa do Mundo. A primeira foi em 1994, quando Orlando sediou várias partidas da primeira fase e alguns jogos das oitavas de final.

Tetraplégicos trocam dedos pela boca e mostram que também têm espaço nos eSports

Tetraplégicos trocam dedos pela boca e mostram que também têm espaço nos eSports

O professor Li Li Min, titular do Departamento de Neurologia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), explica que o hábito de jogar provoca ganhos em processos de reabilitação de pessoas com tetraplegia

Conmebol condena expressões racistas da Fifa e questiona mudanças

Conmebol condena expressões racistas da Fifa e questiona mudanças

O segundo ponto de protesto na carta da Conmebol enviada à Fifa é a regulamentação das cinco modificações nos jogos sem uma consulta à entidade.

US Open vai permitir tenistas de Rússia e Belarus competindo sob bandeira neutra

US Open vai permitir tenistas de Rússia e Belarus competindo sob bandeira neutra

A postura da USTA se alinha à ATP e à WTA, que não impediram tenistas de nenhuma nacionalidade no circuito. Apenas vetaram o uso das bandeiras da Rússia e de Belarus por parte dos atletas, o mesmo que fará o US Open neste a

Caio Souza ganha três medalhas em Copa do Mundo na Croácia

Caio Souza ganha três medalhas em Copa do Mundo na Croácia

Brasileiro conquistou duas pratas e um bronze

Fim de semana tem pódio histórico para o Brasil na ginástica rítmica

Fim de semana tem pódio histórico para o Brasil na ginástica rítmica

País também conquista medalhas na canoagem slalom e no vôlei de praia