×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de outubro de 2021

Conheça a iniciativa que leva alimentos sem veneno a famílias em Maricá (RJ)

Conheça a iniciativa que leva alimentos sem veneno a famílias em Maricá (RJ)Foto: Pablo Vergara-MST

O projeto existe há três anos e promove a formação teórica e prática da população em agroecologia

Brasil De Fato - Rio De Janeiro (rj) - 05/04/2019 - 17:19:43

O projeto propicia que famílias produzam de 90 a 180 caixas de hortaliça por semana em uma área de 400 m²

No município de Maricá, na região metropolitana do Rio de Janeiro, uma parceria entre a prefeitura e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) tem proporcionado a várias famílias o direito à alimentação saudável. A Cooperar, uma cooperativa de trabalho em assessoria e empresas sociais em assentamentos de reforma agrária, mantém um convênio com a cidade que permite aos moradores de Maricá cultivar os próprios alimentos e até mesmo comercializá-los, gerando assim uma fonte de renda para jovens e adultos.

Em entrevista ao programa Brasil de Fato Rio de Janeiro na última terça-feira (2), a agrônoma e técnica da Cooperar, Joana Duboc Bastos, explicou que o projeto existe desde 2016 e tem como principal objetivo promover a formação teórica e prática em agroecologia da população local. O projeto é constituído por uma unidade produtiva demonstrativa, que produz alimentos cotidianamente e é cuidada com vários tipos de técnicas de solo e manejo, ao mesmo tempo que acontece a formação com as famílias interessadas em aprender a produzir. São ensinados desde o processo de preparo do solo, cultivo de mudas, a própria forma de comercialização, como acessar as políticas públicas da alimentação escolar e muito mais.

"A gente faz todo um processo de formação para que caso a família tenha interesse, ela melhore a sua forma de produzir a partir das bases da alimentação saudável, sem agrotóxicos que a agroecologia proporciona”, destacou Duboc.

A iniciativa, que ocorre no bairro Manu Manuela, também atua em conjunto com outros programas da prefeitura, como as hortas comunitárias e hortas escolares. Duboc explica que nas hortas comunitárias cada família tem acesso a 400 m², sem a posse da terra, mas sim o direito de uso. As famílias apreendem com a cooperativa as técnicas e passam a ter direito à área para fazer seu plantio e poder passar a consumir produtos de qualidade diversificada.

O início foi um desafio. Duboc contou que a área não tinha plantio e era extremamente ácida. Hoje com o manejo feito no solo, as famílias produzem de 90 a 180 caixas de hortaliça por semana em cada área de 400 m².

"O objetivo desse projeto é fomentar o desenvolvimento local a partir da agroecologia. O que a gente vê de retorno é que, a partir do trabalho, as famílias começam a ter esperança, porque muitas não acreditavam que era possível. Elas passam a querer produzir e a melhorar a sua forma de lidar com a alimentação, começam a produzir produtos que elas não conheciam, enfim, abrem o leque de possibilidades”, relatou.

Aqueles que quiserem conhecer a experiência podem entrar em contato com o e-mail joanaduboc@gmail.com e agendar uma visita. Para capacitações e oficinas basta acessar o site da prefeitura e participar das chamadas abertas.

Edição: Jaqueline Deister / Redação: Flora Castro / Entrevista: Denise Viola

Comentários para "Conheça a iniciativa que leva alimentos sem veneno a famílias em Maricá (RJ)":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Eis que o sol ajuda ainda mais nas produções agrícolas do DF

Eis que o sol ajuda ainda mais nas produções agrícolas do DF

Por meio de fundo distrital rural, GDF já investiu R$ 1 milhão em projetos de energia fotovoltaica de onze propriedades locais

Brasil oferece novas variedades de melão durante entressafra da Europa

Brasil oferece novas variedades de melão durante entressafra da Europa

A Seminis®, que integra a plataforma Vegetables by Bayer, traz novidades nessa área: são mais de 20 variedades de melões e melancias disponibilizadas comercialmente. Ao todo, o portfólio da empresa contempla mais de 20 diferentes tipos de culturas de hortifrúti comercializadas no Brasil.

Dia da Pecuária reforça importância do setor para o DF

Dia da Pecuária reforça importância do setor para o DF

Bovinos integram grande parte da cadeia produtiva, que inclui ainda outras espécies

Cresce 180% número de produtores da avicultura

Cresce 180% número de produtores da avicultura

Criação de galinhas tem crescido nos sistemas semi-intensivos de produção

Governo Federal publica novas regras para registro de defensivos agrícolas

Governo Federal publica novas regras para registro de defensivos agrícolas

Decreto que altera legislação deve simplificar registro de produtos

Falta de fiscais agropecuários fragiliza inspeção e pode encarecer alimentos ainda mais

Falta de fiscais agropecuários fragiliza inspeção e pode encarecer alimentos ainda mais

Tarefa de reinspeção de produtos importados de origem animal foi assumida em 18 de agosto pela Vigiagro, que atua nas fronteiras

Nova fase de iniciativa Carbono Bayer reúne mais de 1.800 agricultores no Brasil

Nova fase de iniciativa Carbono Bayer reúne mais de 1.800 agricultores no Brasil

Inovação colaborativa

Produtoras rurais do DF aprendem a fazer panetone

Produtoras rurais do DF aprendem a fazer panetone

O curso dá às produtoras rurais uma opção de complementação de renda para o fim do ano, quando esse tipo de pão é mais consumido

Altas produtividades no algodão passam pelo manejo adequado de pragas e doenças

Altas produtividades no algodão passam pelo manejo adequado de pragas e doenças

Manejo começa pela biotecnologia

Por que agricultores e pesquisadores defendem que agroecologia pode sanar a fome no Brasil

Por que agricultores e pesquisadores defendem que agroecologia pode sanar a fome no Brasil

"A agroecologia nos oportuniza pensar e agir, e consequentemente transformar muitas realidades, territórios e vida", afirma a presidenta da ABA

Pequeno agricultor distribui alimentos, mas não tem acesso a dieta saudável, critica ONU

Pequeno agricultor distribui alimentos, mas não tem acesso a dieta saudável, critica ONU

“811 milhões de pessoas passam fome e 2,4 bilhões sofrem insegurança alimentar, enquanto a obesidade e as carências de nutrientes crescem velozmente”, diz o relatório.