×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de agosto de 2022

Corte de bolsas de estudos poderá interromper pesquisas sobre câncer, dengue e HIV no Rio de Janeiro

Corte de bolsas de estudos poderá interromper pesquisas sobre câncer, dengue e HIV no Rio de Janeiro

Foto: Tomaz Silva-Agência Brasil

Fiocruz e UFRJ estão entre as instituições de referência que serão prejudicadas com medida do Ministério da Educação

Por Eduardo Miranda-brasil De Fato - Rio De Janeiro (rj) - 16/05/2019 - 09:36:44

Hospital Universitário da UFRJ é uma das instituições que será mais atingida pelos cortes promovidos por Bolsonaro.

O corte de bolsas de pesquisa anunciado pelo governo federal em programas de pós-graduação de universidades e de instituições como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) poderá interromper pesquisas de ponta sobre câncer, dengue, zika, chikungunya, o desenvolvimento de testes para evitar a transmissão de HIV e hepatites B e C, além de diversas outras doenças.

Na última semana, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o congelamento de quase cinco mil bolsas de pesquisa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em todo o país. Há riscos, ainda, de mais cortes de bolsas também pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), outra importante agência de financiamento ligada ao Ministério de Ciência e Tecnologia.

Com o congelamento de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado, o país corre o risco de sofrer um apagão científico. Em entrevista ao Brasil de Fato, a coordenadora de pós-graduação e pesquisa do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), professora Silvana Allodi, criticou a alegação de “balbúrdia” nas universidades por setores radicais do governo e disse que as preocupações deveriam se voltar para o desenvolvimento.

“Existem problemas reais para se fazer pesquisa no Brasil. A importação de equipamentos e reagentes importantes às vezes demora cinco meses em razão de entraves burocráticos. Essa deveria ser a preocupação do governo. Mas o que estamos vendo é um corte aleatório que, graças à reação da população, pode ser parcialmente revertido”, afirmou a pesquisadora.

O Centro de Ciências da Saúde que ela coordena é composto por 31 programas de pós-graduação, dentre os quais dois do Instituto de Biofísica (que perderam 16 bolsas de doutorado), Ciências Morfológicas (que perdeu 6 bolsas de pesquisa), Farmacologia (4 bolsas), Química Biológica (3 bolsas) e Química de produtos naturais (2 bolsas).

Saúde coletiva

Além das pesquisas voltadas para o tratamento imediato de doenças graves e crônicas, o CCS/UFRJ possui também programas como o de Saúde Coletiva, cuja pós-graduação é coordenada pelo professor Armando Meyer. Ele explica que algumas das investigações que são financiadas por bolsas da Capes são pensadas para o bem-estar e saúde da população no longo prazo.

“Temos um estudo com 75 mil adolescentes de todo o país para identificar antecipadamente os riscos de doenças cardiovasculares. Essa pesquisa é inovadora porque essa abordagem só é realizada com adultos. Também pesquisamos a repercussão da poluição ambiental na saúde com o acompanhamento de todos os nascimentos na maternidade-escola da UFRJ, entrevistando e fazendo exames com mães que foram expostas a substâncias tóxicas na gestação”, enumerou o professor.

“Uma vez que se identificam os fatores de risco para determinadas doenças, podemos atuar na prevenção daquela doença e minimizar estes fatores. Isso está relacionado ao impacto e aos gastos que a saúde pública deixará de ter no futuro”, lembra Meyer, lamentando que o programa de Saúde Coletiva perdeu sua única bolsa de pesquisa de pós-doutorado.

Dengue, zika e chikungunya

A importância das pesquisas científicas pode ser avaliada no curto prazo. No momento em que o Rio de Janeiro passa por um surto de dengue, zika e chikungunya, com mais de 15 mil casos suspeitos, a Fiocruz esta semana lançou uma nova tecnologia de testagem rápida para as três doenças que foi desenvolvida durante um ano e meio. O teste exibe o resultado em 15 minutos e identifica se a infecção está no início ou se já se instalou há mais tempo.

A Fiocruz poderá produzir 10 milhões de testes por ano. A Fundação investe em pesquisas de vacinas e na produção de medicamentos para diversas doenças em institutos como o Bio-Manguinhos e o Farmanguinhos. Procurada pelo Brasil de Fato, a Fiocruz informou que ainda não tem um levantamento preciso das áreas afetadas com os cortes de bolsas de pesquisa e que precisa aguardar mais um tempo para ter essas informações.

Para esta quarta-feira (15) está programada uma greve geral, com atos em diversas cidades brasileiras, contra os cortes e o desmonte da educação e da ciência públicas.

Edição: Mariana Pitasse

Comentários para "Corte de bolsas de estudos poderá interromper pesquisas sobre câncer, dengue e HIV no Rio de Janeiro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro