×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de outubro de 2021

Corte de bolsas de estudos poderá interromper pesquisas sobre câncer, dengue e HIV no Rio de Janeiro

Corte de bolsas de estudos poderá interromper pesquisas sobre câncer, dengue e HIV no Rio de JaneiroFoto: Tomaz Silva-Agência Brasil

Fiocruz e UFRJ estão entre as instituições de referência que serão prejudicadas com medida do Ministério da Educação

Por Eduardo Miranda-brasil De Fato - Rio De Janeiro (rj) - 16/05/2019 - 09:36:44

Hospital Universitário da UFRJ é uma das instituições que será mais atingida pelos cortes promovidos por Bolsonaro.

O corte de bolsas de pesquisa anunciado pelo governo federal em programas de pós-graduação de universidades e de instituições como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) poderá interromper pesquisas de ponta sobre câncer, dengue, zika, chikungunya, o desenvolvimento de testes para evitar a transmissão de HIV e hepatites B e C, além de diversas outras doenças.

Na última semana, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o congelamento de quase cinco mil bolsas de pesquisa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em todo o país. Há riscos, ainda, de mais cortes de bolsas também pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), outra importante agência de financiamento ligada ao Ministério de Ciência e Tecnologia.

Com o congelamento de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado, o país corre o risco de sofrer um apagão científico. Em entrevista ao Brasil de Fato, a coordenadora de pós-graduação e pesquisa do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), professora Silvana Allodi, criticou a alegação de “balbúrdia” nas universidades por setores radicais do governo e disse que as preocupações deveriam se voltar para o desenvolvimento.

“Existem problemas reais para se fazer pesquisa no Brasil. A importação de equipamentos e reagentes importantes às vezes demora cinco meses em razão de entraves burocráticos. Essa deveria ser a preocupação do governo. Mas o que estamos vendo é um corte aleatório que, graças à reação da população, pode ser parcialmente revertido”, afirmou a pesquisadora.

O Centro de Ciências da Saúde que ela coordena é composto por 31 programas de pós-graduação, dentre os quais dois do Instituto de Biofísica (que perderam 16 bolsas de doutorado), Ciências Morfológicas (que perdeu 6 bolsas de pesquisa), Farmacologia (4 bolsas), Química Biológica (3 bolsas) e Química de produtos naturais (2 bolsas).

Saúde coletiva

Além das pesquisas voltadas para o tratamento imediato de doenças graves e crônicas, o CCS/UFRJ possui também programas como o de Saúde Coletiva, cuja pós-graduação é coordenada pelo professor Armando Meyer. Ele explica que algumas das investigações que são financiadas por bolsas da Capes são pensadas para o bem-estar e saúde da população no longo prazo.

“Temos um estudo com 75 mil adolescentes de todo o país para identificar antecipadamente os riscos de doenças cardiovasculares. Essa pesquisa é inovadora porque essa abordagem só é realizada com adultos. Também pesquisamos a repercussão da poluição ambiental na saúde com o acompanhamento de todos os nascimentos na maternidade-escola da UFRJ, entrevistando e fazendo exames com mães que foram expostas a substâncias tóxicas na gestação”, enumerou o professor.

“Uma vez que se identificam os fatores de risco para determinadas doenças, podemos atuar na prevenção daquela doença e minimizar estes fatores. Isso está relacionado ao impacto e aos gastos que a saúde pública deixará de ter no futuro”, lembra Meyer, lamentando que o programa de Saúde Coletiva perdeu sua única bolsa de pesquisa de pós-doutorado.

Dengue, zika e chikungunya

A importância das pesquisas científicas pode ser avaliada no curto prazo. No momento em que o Rio de Janeiro passa por um surto de dengue, zika e chikungunya, com mais de 15 mil casos suspeitos, a Fiocruz esta semana lançou uma nova tecnologia de testagem rápida para as três doenças que foi desenvolvida durante um ano e meio. O teste exibe o resultado em 15 minutos e identifica se a infecção está no início ou se já se instalou há mais tempo.

A Fiocruz poderá produzir 10 milhões de testes por ano. A Fundação investe em pesquisas de vacinas e na produção de medicamentos para diversas doenças em institutos como o Bio-Manguinhos e o Farmanguinhos. Procurada pelo Brasil de Fato, a Fiocruz informou que ainda não tem um levantamento preciso das áreas afetadas com os cortes de bolsas de pesquisa e que precisa aguardar mais um tempo para ter essas informações.

Para esta quarta-feira (15) está programada uma greve geral, com atos em diversas cidades brasileiras, contra os cortes e o desmonte da educação e da ciência públicas.

Edição: Mariana Pitasse

Comentários para "Corte de bolsas de estudos poderá interromper pesquisas sobre câncer, dengue e HIV no Rio de Janeiro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Final de semana com muitas opções culturais no DF

Final de semana com muitas opções culturais no DF

Exposições, espetáculos teatrais e musicais estão entre as atrações para este sábado e domingo

Concurso vai escolher melhores trabalhos de artesanato

Concurso vai escolher melhores trabalhos de artesanato

Inscrições podem ser feitas até o dia 24 de outubro; premiados serão selecionados por votação popular

Redobre os cuidados ao dirigir no período das chuvas

Redobre os cuidados ao dirigir no período das chuvas

Temporada chuvosa requer atenção ampliada no trânsito |

Dia da Padroeira do Brasil é comemorado com missas em Brasília

Dia da Padroeira do Brasil é comemorado com missas em Brasília

Os atos religiosos serão celebrados no Distrito Federal

Brasília inaugura sistema de bicicletas compartilhadas

Brasília inaugura sistema de bicicletas compartilhadas

Lançamento ocorreu na Estação 18, na entrada do Parque da Cidade

Diversão ao ar livre e em espaços turísticos do DF

Diversão ao ar livre e em espaços turísticos do DF

Público infantil poderá contar com diversidade de opções neste feriado, respeitando as medidas de prevenção à covid-19

Segurança reforçada para os jogos universitários no Distrito Federal

Segurança reforçada para os jogos universitários no Distrito Federal

A PMDF atuará por meio de policiamento ostensivo em todas as regiões, mas poderá acionar unidades especializadas, caso necessário

O que abre e fecha no feriado de 12 de outubro no DF

O que abre e fecha no feriado de 12 de outubro no DF

Zoológico funcionará normalmente, com restrição de público de 2,5 mil pessoas devido à pandemia da covid-19

Aproveite as feiras rurais no DF neste mês de outubro

Aproveite as feiras rurais no DF neste mês de outubro

Nas feiras é possível adquirir o alimento direto do produtor com qualidade, variedade e melhor preço

Festivais e exposições são destaques deste final de semana no DF

Festivais e exposições são destaques deste final de semana no DF

Exposição fica aberta até domingo, 10

Zaragoza chega ao Parque de Esculturas do Museu de Arte de Brasília

Zaragoza chega ao Parque de Esculturas do Museu de Arte de Brasília

As obras do artista e publicitário catalão são parte do lote de 58 peças doado pelo artista, em 2017, ao Museu Nacional da República