×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 28 de novembro de 2021

Dez anos de Caixa de Pandora

Dez anos de Caixa de PandoraFoto: Correio Braziliense

Vinte e quatro ações penais e 20 de improbidade administrativa surgiram a partir do escândalo. Segundo o MP, prejuízo para os cofres do DF, em valores corrigidos, é de R$ 2,8 bilhões. Processos ainda não foram concluídos

Alexandre De Paula-correio Braziliense - 28/11/2019 - 09:06:29

Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do GDF, gravou diversos vídeos de políticos locais recebendo supostas propinas.

Dez anos depois, o principal escândalo de corrupção da história do Distrito Federal continua a se desenrolar nos tribunais à espera de um desfecho. A Operação Caixa de Pandora, deflagrada em 27 de novembro de 2009, balançou o cenário político da capital e tirou do jogo eleitoral muitos dos principais políticos da cidade. O suposto esquema, que envolvia, segudo o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), pagamento de propinas a distritais em troca de apoio político e caixa dois, gerou 24 ações penais e 20 de improbidade administrativa.

O prejuízo causado aos cofres do DF, segundo as contas dos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), é estimado em R$ 2,8 bilhões, em valores corrigidos. Depois de uma década, R$ 62 milhões em bens em nome dos réus foram bloqueados para ressarcir as perdas apontadas pela Justiça. No âmbito criminal, houve duas condenações em segunda instância — contra o ex-governador José Roberto Arruda e contra a ex-deputada distrital Eurides Brito.

No caso de Arruda, o crime apontado foi falsidade ideológica nos recibos de panetones que, segundo o então governador, foram comprados com o dinheiro recebido de Durval Barbosa.

Como cabem recursos nas Cortes Superiores, ninguém cumpre pena. Nas 20 ações de improbidade administrativa, três condenações transitaram em julgado.

O escândalo estourou depois da delação de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do GDF. Ele aceitou colaborar com as investigações em troca de punição mais branda nos processos decorrupção. Vídeos feitos por Durval mostraram políticos do Executivo e do Legislativo local recebendo dinheiro que seria usado como pagamento de propina. Partes dos recursos, segundo Durval, arrecadados com empresas de informática contratadas pelo GDF, teria abastecido a campanha de Arruda ao Palácio do Buriti, em 2006. Outros valores eram usados para comprar o apoio de deputados distritais ao governo, de acordo com a denúncia. Por isso, o escândalo também ficou conhecido como Mensalão do DEM (partido de Arruda, à época).

A operação da Polícia Federal e do Ministério Público culminou em uma crise política sem precedentes no governo local. Com o desdobramento das investigações e a intensa circulação e exposição dos vídeos, caíram os principais nomes da política do DF. Em fevereiro de 2010, Arruda tornou-se o primeiro governador da história a ser preso no exercício do mandato. Acusado de obstruir as investigações, ele passou dois meses na cadeia e teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).


À época, o vice-governador, o empresário Paulo Octávio, assumiu o cargo, mas renunciou. Ele também se tornou réu da Pandora. A troca de governadores só acabou com a eleição indireta de Rogério Rosso (PSD) para o cargo em abril de 2010.

Na Câmara Legislativa, o escândalo também derrubou o então presidente da Casa, Leonardo Prudente. Ele renunciou em fevereiro de 2010. Imagens feitas por Durval revelaram o ex-parlamentar recebendo valores que, segundo Prudente, seriam destinados a gastos não contabilizados de campanha.


Influência política


Apesar das denúncias e da perda das funções que ocupavam, parte dos atingidos pelas investigações se mantiveram como figuras importantes no cenário político. Arruda chegou a liderar as pesquisas para a disputa de 2014, quando foi impedido de concorrer pela Justiça Eleitoral. Nas eleições de 2018, o ex-governador não concorreu a nenhum cargo eletivo, mas a mulher dele, Flávia Arruda (PL), elegeu-se deputada federal. Ela foi a candidata mais votada e conquistou uma cadeira na Câmara dos Deputados com o apoio de 121,3 mil eleitores.

Leonardo Prudente não se candidatou mais a nenhum cargo, mas emplacou a eleição do filho, Rafael Prudente (MDB), em 2014. Com boa articulação política, Rafael se aproximou do governador Ibaneis Rocha (MDB) e alcançou a chefia da Casa, no início da legislatura. Nesta semana, os distritais aprovaram a reeleição para o cargo, o que pode garantir a Rafael mais dois anos no comando.


Balanço

R$ 2,8 bilhões

Prejuízo aos cofres do DF, em valores corrigidos


24

Ações penais


20

Ações de improbidade administrativa

Saiba mais...

Habeas corpus e inocência

Comentários para "Dez anos de Caixa de Pandora":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Nota Legal dará crédito em dobro durante compras de Natal

Nota Legal dará crédito em dobro durante compras de Natal

Objetivo é aquecer as vendas entre 10 de dezembro de 2021 e 10 de janeiro de 2022: é mais uma medida de apoio ao setor produtivo

Campanha de multivacinação no Distrito Federal continua até terça-feira, dia 30

Campanha de multivacinação no Distrito Federal continua até terça-feira, dia 30

Secretaria de Saúde recomenda que pais ou responsáveis levem os filhos para se imunizarem

DF começa a aplicar dose de reforço em maiores de 40 anos contra Covid-19

DF começa a aplicar dose de reforço em maiores de 40 anos contra Covid-19

Para ser imunizado, é preciso ter completado ciclo vacinal há 5 meses

Ceasa inaugura espaço exclusivo para venda de morango no DF

Ceasa inaugura espaço exclusivo para venda de morango no DF

A Morangolândia vai facilitar o escoamento da produção no DF, praticamente inviabilizada pela falta de um espaço para o comércio da fruta

Aplicativo Detran Digital agora faz emissão da CNH-e, no Distrito Federal

Aplicativo Detran Digital agora faz emissão da CNH-e, no Distrito Federal

Uma parceria com a Senatran torna disponível novo serviço aos condutores, que podem acessá-lo de forma simples e intuitiva

Escolas públicas com contas em dia podem se inscrever para receber recursos

Escolas públicas com contas em dia podem se inscrever para receber recursos

Edital do projeto “Participe da cidade: o patrimônio público é nosso!” fica aberto até 10 de janeiro. Para participar, é preciso comprovar regularidade na prestação de contas e ter contas do Pdaf aprovadas

Operação Genebra: MPDFT consegue a condenação de mais seis réus

Operação Genebra: MPDFT consegue a condenação de mais seis réus

Servidores públicos agiram ilegalmente para obter benefício econômico na contratação da Cruz Vermelha de Petrópolis

População negra é a principal atingida pelo desemprego no DF

População negra é a principal atingida pelo desemprego no DF

As mulheres e homens negros entre 18 e 24 anos correspondem ao maior grupo dentre os desempregados

Vacinação completa contra Covid-19 será obrigatória em eventos no DF

Vacinação completa contra Covid-19 será obrigatória em eventos no DF

Com cobertura vacinal de 74% da população apta à imunização e índice de transmissão de 0,76, novo decreto modifica regras de prevenção

Emoção na festa de 10 anos do Hospital da Criança

Emoção na festa de 10 anos do Hospital da Criança

Atendido pelo HCB desde o ano passado, Luiz Felipe Rodrigues, de 4 anos, cantou a música “O caderno”, de Toquinho, acompanhado do pai e da musicoterapeuta que o atende há seis meses

Pessoas a partir de 57 anos já podem tomar dose de reforço contra a covid no DF

Pessoas a partir de 57 anos já podem tomar dose de reforço contra a covid no DF

Dia D da vacinação ficou abaixo do esperado no último sábado, em diversos pontos do DF