×
ContextoExato
Responsive image

Dinheiro que Serra recebeu da Odebrecht nunca foi usado em campanhas, diz MPF

Dinheiro que Serra recebeu da Odebrecht nunca foi usado em campanhas, diz MPFFoto: O Antagonista

Não há provas de que o dinheiro tenha sido trazido ao Brasil para uso nas campanhas presidenciais de 2006 e 2010.

Por Pedro Canário - O Antagonista - 05/07/2020 - 19:08:49

Não existem “quaisquer indícios” de que José Serra (PSDB-SP) usou o suborno que teria recebido da Odebrecht em suas campanhas presidenciais, disse o MPF à Justiça Federal de São Paulo.

O dinheiro era “propina angariada em proveito próprio e mantida de maneira dissimulada no exterior a fim de ocultar tanto sua origem ilícita quanto sua efetiva titularidade”, segundo os procuradores. Corrupção, portanto.

Em documento enviado à 6ª Vara Federal Criminal de SP, a que O Antagonista teve acesso, os procuradores da Lava Jato contaram que o dinheiro foi mantido na Suíça, fora de suas campanhas, pelo menos até 2014.

Leia também:

Prima de Serra também fez transação com operador do tucano

O promotor eleitoral que ignorou indícios contra Serra

Vídeo: O cerco à Lava Jato e a perseverança da força-tarefa

Em nota, Aécio diz que Bruno Covas tem 'fixação' nele

Busca contra Serra teve intenção de constranger, diz defesa

A informação contradiz a tese da defesa de Serra, de que o dinheiro foi doado ao senador pela empreiteira para suas campanhas presidenciais. O crime, defende o tucano, seria de caixa 2, já que ele não declarou a verba ao TSE.

Mas o MPF também observou que foram poucas movimentações financeiras na época. Entre 2006 e 2007, Serra recebeu 936 mil euros da Odebrecht em contas na Suíça. Até 2014, só US$ 141 mil foram transferidos entre contas naquele país em 2007, ano não eleitoral.

E não há provas de que o dinheiro tenha sido trazido ao Brasil para uso nas campanhas presidenciais de 2006 e 2010.

A defesa dele só demonstrou ter trazido a quantia em 2014, para sua campanha ao Senado – depois que a Lava Jato já havia sido deflagrada.

Seriam tentativas de transformar corrupção num crime menos grave, na visão do MPF. Um “eufemismo do agente corrupto para disfarçar o real destino da vantagem indevida”, disseram os procuradores.

As informações foram enviadas pelos procuradores da Lava Jato à 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo em complemento à denúncia contra Serra e sua filha Verônica, na sexta (3/7).

Leia trecho do documento:

O senador é acusado de receber R$ 4,5 milhões em propina da Odebrecht, em troca de favorecer a empresa nos contratos do Rodoanel.

O dinheiro foi recebido em contas em nome do lobista José Amaro Pinto Ramos, que depois o depositou em contas no nome de Verônica Serra. Mas Serra seria o beneficiário final, segundo o MPF.

Leia AQUI a íntegra do documento.

Leia mais: O combate à corrupção parece estar sob ameaça mais uma vez no Brasil. Clique aqui para ler na íntegra

Comentários para "Dinheiro que Serra recebeu da Odebrecht nunca foi usado em campanhas, diz MPF":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório