×
ContextoExato
Responsive image

Diretor-geral do Iges-DF renuncia ao cargo após Ministério Público cobrar documentos de compras sem licitação

Diretor-geral do Iges-DF renuncia ao cargo após Ministério Público cobrar documentos de compras sem licitaçãoFoto: Iges-DF/Divulgação

Sérgio Luiz da Costa alegou 'motivo de saúde'. TV Globo apurou que renúncia, no entanto, tem relação com denúncias de fraudes; reportagem tenta contato com ex-gestor.

Por Gabriel Luiz, Tv Globo - 25/09/2020 - 09:17:31

O diretor-geral do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), Sérgio Luiz da Costa, decidiu renunciar ao cargo de forma permanente. O substituto indicado é o atual diretor de Planejamento do Instituto, o general do Exército Gislei Morais de Oliveira. O nome dele deve ser aprovado pelo Conselho de Administração do Iges.

Em um comunicado enviado aos conselheiros do instituto, na quarta-feira (23), Costa alegou "motivo de saúde". Desde a semana passada, ele estava afastado, de atestado médico, após fazer uma cirurgia bariátrica.

No entanto, a TV Globo apurou que a renúncia tem relação com as denúncias de fraudes na Saúde, relevadas pela operação Falso Negativo, do Ministério Público do DF. A ação apontou um suposto direcionamento para beneficiar empresas que fecharam contratos milionários com o GDF. A reportagem tenta contato com Sérgio.

Horas antes da carta de renúncia do diretor-geral do Iges, promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado mandaram um ofício sigiloso ao instituto requisitando a íntegra de sete contratos específicos de compras emergenciais. Os documentos tratam da aquisição de materiais pelo instituto, como a compra máscaras cirúrgicas, por dispensa de licitação.

Os promotores também querem acesso a documentos que detalham os procedimentos administrativos internos. Em nota, o Iges-DF disse que Sérgio Costa "precisou tratar da saúde" e que "ainda está se recuperando" ( leia íntegra da nota ao fim da reportagem ).

A Diretoria Executiva continua prestando todos os esclarecimentos para os órgãos de controle, incluindo, ao Ministério Público, que está recebendo todos os documentos requisitados."

Mulher de foragido em operação sobre fraude em testes rápidos deixa chefia no Iges-DF

Parte dos contratos firmados pelo órgão têm a assinatura de Larissa Ferraz Struck, que era chefe de compras diversas do instituto. Larissa é mulher de Iohan Andrade Struck, ex-subsecretário acusado de fraudes na compra de testes rápidos. Ele era chefe de compras da Secretaria de Saúde e está preso, após ter ficado 28 dias foragido.

A reportagem também apurou que pelo menos um desses processos exigidos pelo Ministério Público foi excluído integralmente do sistema do Iges-DF. Por isso, não há como saber qual era o objetivo da contratação. Nesse sistema, constam a assinatura e a matrícula de Larissa Struck como responsável pela exclusão. Questionada, ela não se pronunciou.

" O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF - IGESDF esclarece que o ex-diretor-presidente, Sergio Costa, precisou tratar da saúde. Ele foi submetido à uma cirurgia bariátrica, da qual ainda está se recuperando.

A Diretoria Executiva continua prestando todos os esclarecimentos para os órgãos de controle, incluindo, ao Ministério Público, que está recebendo todos os documentos requisitados.

Ressaltamos, ainda, que o IGESDF criou um grupo de trabalho de controladoria, que está auditando os processos relacionados a compras e contratação."

Comentários para "Diretor-geral do Iges-DF renuncia ao cargo após Ministério Público cobrar documentos de compras sem licitação":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório