×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de maio de 2022

Discutir as eleições de 2022 agora é um desrespeito com a população do DF

Discutir as eleições de 2022 agora é um desrespeito com a população do DFFoto: Mario Roberto Duranorti

O momento é de compromisso com a vida humana

Redação Com Colaboradores - 07/01/2021 - 10:53:39

A principal pauta mundial na atualidade é, sem dúvida, a solução da pandemia de COVID-19. No entanto, muitos teimam em pautar assuntos de menor importância se comparados à saúde. É verdade que o mundo ainda não parou totalmente, porém não se mostra razoável gastar mais energias do que necessário em outras frentes que não aquelas voltadas para o combate à doença. Quase 12 meses se passaram desde que surgiram os primeiros casos de Covid no país e atingimos a dramática estatística de 200 mil mortes. Até agora o que vimos foi um despreparo e incompetência generalizada por parte das autoridades governamentais da saúde, afora a roubalheira descarada na construção de hospitais de campanha, superfaturamento dos testes, máscaras, luvas e tudo mais que envolvesse o combate ao vírus.

Sem vacinas ainda, o Brasil inteiro está atônito com o fato de que o governo federal sequer planejou a compra de seringas e agulhas para a tão esperada vacinação. É como se não se soubesse que a ciência mundial trabalhava dia e noite para desenvolver vacinas, e que uma hora as vacinas estariam prontas. E essa hora chegou, mas o presidente Bolsonaro preferiu negar a doença e jogar contra à ciência durante esse tempo todo. Sua ignorância pode ser chamada de irresponsabilidade.


A despeito do risco de vida que paira diariamente sobre todos nós, o pleito eleitoral de 2022 ganha espaço antecipado e desnecessário a todo instante. No plano nacional, as eleições para as presidências das duas Casas do Congresso não saem da mídia e o futuro do General Mourão com vice da chapa de Bolsonaro também é um assunto corriqueiro. Já aqui no Distrito Federal, nem mesmo a investigação da ladroagem na saúde que levou a alta cúpula da secretaria de saúde para a cadeia ainda é capaz de ocupar o seu lugar de destaque na mídia, o suficiente para refrear a ganância pelo poder, potencializadas ao extremo por alguns políticos locais.


É certo que o governador Ibaneis Rocha enfrenta um enorme desafio para viabilizar uma eventual reeleição, mesmo assim, parece não sair do seu radar a possibilidade de compor a chapa de Bolsonaro em 2022. “Cair para cima”, como se costuma dizer no jargão popular, é uma possibilidade, que nessa circunstância, agrada os ouvidos e a vaidade de Ibaneis.


A verdade é que futuro político de Ibaneis tem arrastado as pretensões de muitos. A exemplo das intrigas que já abalam a permanência de Mourão na chapa de Bolsonaro, um ambiente de conspiração se forma contra a manutenção do atual vice-governador do DF, Paco Britto, na chapa para uma eventual reeleição em 2022. Porém é voz corrente no Buriti que a relação entre o governador e o vice é a melhor possível. Muitos dizem que Paco Britto segue a postura com a qual Marco Maciel se manteve durante os 8 anos que ocupou a vice-presidência da república no governo FHC, quando se notabilizou pelo respeito a liturgia do cargo e pela lealdade ao companheiro de chapa.


Em política tudo pode acontecer, no entanto, a precipitação em se discutir o pleito eleitoral de 2022 é uma demonstração de total desrespeito com a população do Distrito Federal, que só espera, por agora, que as forças políticas locais se unam, independentemente de seus partidos, para pensarem e agirem em favor da solução para que cessem as mortes provocadas pelo COVID-19.


O momento exige compromisso exclusivo com a preservação da vida e de respeito com os mortos e suas famílias. As eleições serão apenas em 2022.


Comentários para "Discutir as eleições de 2022 agora é um desrespeito com a população do DF":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Portaria institui Rede Nacional de Polícias Judiciárias no Combate à Corrupção

Portaria institui Rede Nacional de Polícias Judiciárias no Combate à Corrupção

A coordenação da Renaccor estará vinculada à coordenação-geral de articulação institucional do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional

Precisamos nos mobilizar na defesa da vida e das terras dos povos indígenas

Precisamos nos mobilizar na defesa da vida e das terras dos povos indígenas

O marco temporal, que tramita no Supremo Tribunal Fedral, é a maior ameaça aos povos indígenas na atualidade.

Como o BTG correu contra o tempo para entregar três usinas ao governo

Como o BTG correu contra o tempo para entregar três usinas ao governo

Sede do BTG Pactual, em São Paulo; banco de investimento terá plataforma própria de criptomoedas

Lula aposta em Alckmin na cúpula e mira atração de apoio de tucanos

Lula aposta em Alckmin na cúpula e mira atração de apoio de tucanos

A ideia é arregimentar o apoio de tucanos que consideram prioridade uma aliança para derrotar o presidente Jair Bolsonaro

'Grupo que apoia Lula deixa marca dolorosa no MDB', diz Simon

'Grupo que apoia Lula deixa marca dolorosa no MDB', diz Simon

Simon afirma que, em caso de polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno, votaria, pela primeira vez na vida, em branco.

'Respeite estatuto', diz Doria ao presidente do PSDB por 'tentativas de golpe', segundo mídia

'Respeite estatuto', diz Doria ao presidente do PSDB por 'tentativas de golpe', segundo mídia

O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) enviou uma carta ao presidente do partido, Bruno Araújo, em que reclama de seguidas

Aécio diz que voto de Aloysio em Lula reflete

Aécio diz que voto de Aloysio em Lula reflete "candidatura artificial" do PSDB

Hoje, o PSDB tem o ex-governador de São Paulo João Doria como pré-candidato a presidente, mas negocia uma unificação da chapa com o MDB, que lançou a senadora Simone Tebet (MDB-MS).

Delegado da PF é rebaixado após investigar filho de Jair Bolsonaro

Delegado da PF é rebaixado após investigar filho de Jair Bolsonaro

O delegado Hugo de Barros Correa, ex-superintendente da Polícia Federal no Distrito Federal, se tornou o responsável pela implementação interna de planos de saúde da instituição.

Nenhum voto sequer foi fraudado em testes de ataque às urnas, diz TSE

Nenhum voto sequer foi fraudado em testes de ataque às urnas, diz TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou, nesta sexta-feira (13), que nenhuma tentativa de ataque às urnas eletrônicas foi capaz de alterar "sequer um voto", na última rodada de testes públicos de segurança nos equipamentos, que serão utilizadas nas eleições de outubro.

STF suspende forma como Estados aplicaram alíquota única do ICMS sobre diesel

STF suspende forma como Estados aplicaram alíquota única do ICMS sobre diesel

Em março, uma lei aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada por Bolsonaro definiu que deveria haver em todo o Brasil uma alíquota única do ICMS sobre o diesel.

Desenvolvimento emocional e democracia

Desenvolvimento emocional e democracia

Nas comunidades em que há uma proporção suficientemente elevada de indivíduos maduros, existe um estado de coisas que proporciona a base para o que chamamos democracia