×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de maio de 2022

Eletricitários realizam ato em Brasília contra a privatização da Eletrobras

Eletricitários realizam ato em Brasília contra a privatização da EletrobrasFoto: Arquivo/STIU-DF

A empresa, que é responsável por 30% da geração e 50% da transmissão de energia elétrica no país, foi incluída no PND em 2017, ainda no governo de Michel Temer.

Roberta Quintino - Brasil De Fato | Brasília (df) - 21/01/2022 - 07:52:41

Manifestantes alertam que a medida traz mais aumentos na conta de luz da população e precarização no serviço prestado.

Entre as pautas prioritárias do governo federal para 2022 está a privatização da Eletrobras. A empresa, que é responsável por 30% da geração e 50% da transmissão de energia elétrica no país, foi incluída no Plano Nacional de Desestatização (PND) em 2017, ainda no governo de Michel Temer.

Para denunciar as várias irregularidades no processo de privatização da Eletrobras, dirigentes sindicais, parlamentares e trabalhadores da Eletronorte, subsidiária da Eletrobras, realizaram uma ato público nesta quinta-feira (20) na sede da empresa em Brasília. Na ocasião, os participantes alertaram que a medida traz impactos irreparáveis para o país, à população e para a categoria eletricitária.

A Eletrobras é o principal ator na expansão do sistema elétrico brasileiro, impulsionando diretamente o desenvolvimento econômico e social de todo o país. / Foto: Arquivo/STIU-DF

A atividade também inaugurou politicamente a nova sede da Eletronorte em Brasília, visto que a estatal se mudou de sede no mês de dezembro de 2021. Antes a empresa era situada no Setor Comercial Norte e agora está localizada na quadra 504 da Asa Norte.

Segundo os dirigentes sindicais, a privatização da Eletrobras promove a perda da segurança energética e soberania nacional, a precarização dos serviços prestados, aumentos abusivos na conta de luz, demissão em massa e, consequentemente, aumento da desigualdade social.

Para Victor Frota, diretor do Sindicato dos Urbanitários no DF (STIU-DF), a Eletrobras é o principal ator na expansão do sistema elétrico brasileiro, impulsionando diretamente o desenvolvimento econômico e social de todo o país.

“Privatizar a Eletrobras é colocar o Brasil em risco constante de apagão. Além de penalizar a população com o aumento exorbitante na conta de luz da classe trabalhadora. Em plena crise de desemprego, pandemia, aumento dos insumos básicos, entregar a nossa empresa é potencializar ainda mais esse problemas”, disse o dirigente.

Frota lembra que a companhia de energia da cidade, a CEB, foi privatizada há um ano e “de lá para cá os apagões têm sido frequentes com demora para a religação do sistema devido a pouca quantidade de trabalhadores na empresa para manutenção”.

:: Queixas no Procon-DF crescem 532% após privatização da CEB e população fica no escuro ::

“Como bem sabe a população do DF, quando se vende uma companhia de energia elétrica responsável pela prestação de serviço essencial, a conta de luz aumenta e o serviço piora muito. Diante de tudo isso, nós não queremos a privatização da Eletrobras, pois as consequências serão de apagões e tarifaços para toda população do Brasil”, alerta.

Atropelo

Ele ressalta que o governo tem atropelado o processo de privatização para tentar entregar a estatal antes das eleições. “Para isso, tem pressionado o Tribunal de Contas da União (TCU) para apreciar a questão o quanto antes, e nas empresas do grupo, a direção pressiona os trabalhadores para acelerarem demandas que viabilizam a venda da Eletrobras”.

:: Artigo | Privatização da Eletrobras deverá causar 25% de aumento na conta de luz ::

O TCU, que analisa a privatização da estatal, encontrou irregularidades nos documentos apresentados pela direção da Eletrobras à instituição. Desta forma, o ministro Vital do Rego pediu vistas ao processo, paralisando a análise no Tribunal até que as pendências sejam resolvidas.

No ato, a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) criticou o projeto de desmonte do setor elétrico brasileiro e reafirmou o compromisso em defesa da maior estatal elétrica da América Latina. Na Câmara dos Deputados, Kokay votou contra a Medida Provisória 1.031/2021 que autorizou a privatização da Eletrobras.

:: PARTE 1 | Se Bolsonaro continuar, o Brasil vai apagar! ::

Recentemente, o engenheiro e diretor do Instituto Ilumina, Roberto Pereira D'Araujo, encaminhou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), órgão responsável pela desestatização da Eletrobras, um documento sobre o processo de privatização da estatal que aponta os riscos da privatização da maior estatal elétrica da América Latina.

:: PARTE 2 | Se Bolsonaro continuar, o Brasil vai apagar!

D'Araujo destaca que o Brasil será o único país no mundo a entregar uma empresa tão estratégica ao setor privado, podendo provocar insegurança energética e jurídica, além da perda da soberania nacional.

“Se o Brasil privatizar a Eletrobras, além de ser o único a adotar essa estratégia no planeta, estará vendendo uma empresa pública sem ter noção de quanto ela vale, criando insegurança jurídica e custos para a economia brasileira”, observa o engenheiro.

:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato DF no seu Whatsapp ::

Edição: Flávia Quirino

Comentários para "Eletricitários realizam ato em Brasília contra a privatização da Eletrobras":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Primeiro sorteio do ano do Nota Legal será em 28 de junho

Primeiro sorteio do ano do Nota Legal será em 28 de junho

Prêmios somam R$ 3 milhões; para participar, os consumidores devem estar cadastrados no site do programa e não ter débitos em aberto com a Receita do DF

Museus sob a gestão do GDF têm entrada gratuita. Confira!

Museus sob a gestão do GDF têm entrada gratuita. Confira!

Para manter cinco espaços culturais adequados para visitação e preservar os acervos, o GDF investiu,de 2019 a 2021, R$ 3,255 milhões

DF ultrapassa os 700 mil casos positivos de Covid-19

DF ultrapassa os 700 mil casos positivos de Covid-19

Taxa de transmissão vem subindo nas últimas semanas

Brasil tem 4.486 denúncias de violações de direitos contra crianças

Brasil tem 4.486 denúncias de violações de direitos contra crianças

Hoje é o Dia de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças

Agências do trabalhador têm 248 vagas nesta quarta. Uma pode ser sua!

Agências do trabalhador têm 248 vagas nesta quarta. Uma pode ser sua!

Garçom, vendedor pracista, carpinteiro e recepcionista são profissões com muitas oportunidades disponíveis para diferentes níveis de escolaridade

Servidores do Tesouro decidem em assembleia entrar em greve a partir do dia 23

Servidores do Tesouro decidem em assembleia entrar em greve a partir do dia 23

Com a decisão dos servidores do Tesouro, o número de carreiras em greve sobe para três.

Na Praça dos Três Poderes, grafiteiros pintam painéis sobre liberdade

Na Praça dos Três Poderes, grafiteiros pintam painéis sobre liberdade

Ação faz parte das comemorações dos 200 anos da Independência

Brasília sedia Semana do Governo Aberto

Brasília sedia Semana do Governo Aberto

Iniciativa é da CGU, governo de Santa Catarina e prefeituras

Justiça autoriza remoção imediata de ocupação ilegal na Torre Digital

Justiça autoriza remoção imediata de ocupação ilegal na Torre Digital

Cabe recurso da decisão.

Parlamentares e entidades reprovam militarização nas escolas do DF

Parlamentares e entidades reprovam militarização nas escolas do DF

Ministério Público revoga Nota Técnica que tornava legal a implementação de gestão compartilhada na rede de ensino.

Servidores da CGU convocam assembleia para dia 20 para decidir se entram em greve

Servidores da CGU convocam assembleia para dia 20 para decidir se entram em greve

Até o momento, os servidores do Banco Central (BC) e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão de braços cruzados.