×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de outubro de 2021

Em 20 dias, Bolsonaro fez 3 manobras para proteger "máquina" de fake news

Em 20 dias, Bolsonaro fez 3 manobras para proteger Foto: Reprodução/Facebook

Presidente apresentou Medida Provisória, Projeto de Lei e vetou artigos da nova LSN para fragilizar legislação

Portal Brasil De Fato - 20/09/2021 - 20:35:14

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou o mês de setembro para acelerar sua ofensiva para proteger sua "máquina" de notícias falsas a pouco mais de um ano das eleições presidenciais de 2022. Em menos de 20 dias, o chefe do Executivo lançou mão de diferentes estratégias para tratar sobre o tema.

A pauta ganhou centralidade nas ações do governo federal à medida que bolsonaristas e o próprio presidente se tornaram alvo de inquéritos movidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por disseminação de "fake news" e ataques ao sistema eleitoral.

A ofensiva para fragilizar ou alterar a legislação sobre o tema também coincide com as manifestações de 7 de setembro, no Dia da Independência. Uma das pautas dos atos foi a luta contra uma suposta censura das redes sociais ao pensamento conservador.

:: Grupos da igreja no WhatsApp são usados para disseminar desinformação, mostra pesquisa ::

No último dia 14, Bolsonaro participou de um evento para entrega do Prêmio Marechal Rondon de Comunicações. Na ocasião, o presidente afirmou que a disseminação das “fake news” não deve ser regulamentada no país.

“Fake news faz parte da nossa vida. Quem nunca contou uma mentirinha para a namorada?”, declarou o chefe do Executivo. “Não precisamos regular isso aí, deixemos o povo à vontade.”

Relembre a ofensiva em 3 atos:

2 de setembro: Bolsonaro impõe vetos ao projeto que substitui Lei de Segurança Nacional e fragiliza legislação

O presidente sancionou, com cinco vetos, a Lei 14.197/2021, que estabelece crimes contra o Estado democrático de direito e revoga a Lei de Segurança Nacional (LSN), criada na época da ditadura militar. O chefe do Executivo cortou, por exemplo, o trecho que transformava em crime o atentado ao direito de manifestação pacífica, prática que tem se proliferado no Brasil nos últimos anos, no contexto do avanço conservador.

A depender da gravidade da ação, o texto aprovado pelo Congresso previa pena de prisão variando de um a 12 anos para quem tentasse impedir, por meio de violência ou grave ameaça, protestos dessa natureza conduzidos por partidos políticos, movimentos populares, sindicatos e outros grupos.

Na justificativa do veto, o Planalto argumentou que a cláusula contraria o interesse público pelo que considera uma “dificuldade de caracterizar o que seria uma manifestação pacífica”. “Geraria grave insegurança jurídica para os agentes públicos das forças de segurança responsáveis pela manutenção da ordem”, diz o presidente.

Ele também vetou o artigo que fixava punição mais rigorosa para militares que cometem crimes contra o Estado democrático de direito. A norma previa, por exemplo, perda do posto e da patente, mas desagradou o presidente, para quem o trecho infringe o princípio da proporcionalidade por submeter os fardados a uma “situação mais gravosa” que a de outros agentes públicos.

6 de setembro: Bolsonaro edita Medida Provisória que muda Marco Civil da Internet e facilita fake news

O chefe do Executivo assinou, em 6 de setembro, uma Medida Provisória (MP) que alterava o Marco Civil da Internet. O novo texto, na prática, burocratizava as medidas contra fake news e dificultava a possibilidade das plataformas de redes sociais apagarem posts e vídeos mentirosos ou excluirem contas, total ou parcialmente, “exceto por justa causa”.

Entre pontos que representariam “justa causa”, a MP previa inadimplemento do usuário, contas criadas com o propósito de assumir ou simular identidade de terceiros para enganar o público e cumprimento de determinação judicial.

Editado às vésperas de atos golpistas de 7 de setembro, o texto vedava “aos provedores de redes sociais a adoção de critérios de moderação ou limitação do alcance da divulgação de conteúdo que impliquem censura de ordem política, ideológica, científica, artística ou religiosa”. Na prática, a medida dificultaria o combate aos boatos, informações distorcidas e mentiras disseminadas com objetivos políticos.

Em 14 de setembro, a MP foi devolvida à Presidência da República pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Isso significa que o texto não será analisado pelo Congresso Nacional e perdeu todos os efeitos que previa.

19 de setembro: Bolsonaro envia o Projeto de Lei ao Congresso na tentativa de ressuscitar a Medida Provisória

Bolsonaro enviou um Projeto de Lei ao Congresso neste domingo (19) na tentativa de ressuscitar a Medida Provisória 1.068. A íntegra do texto não foi divulgada.

Para o governo, o projeto defende “princípios da liberdade de expressão, de comunicação e manifestação de pensamento” e garante que “as relações entre usuários e provedores de redes sociais ocorram em um contexto marcado pela segurança jurídica e pelo respeito aos direitos fundamentais”.

Conforme pretendia a medida provisória e, agora, quer o projeto do Executivo, empresas como Instagram, Twitter e Facebook teriam obstáculos para realizar a remoção de conteúdo. Com a medida em vigor, por exemplo, teriam mais dificuldades para tirar do ar ameaças ao sistema democrático e notícias falsas sobre as urnas eletrônicas e sobre vacinas.

Edição: Anelize Moreira

Comentários para "Em 20 dias, Bolsonaro fez 3 manobras para proteger "máquina" de fake news":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
A contragosto, governo vê Câmara aprovar verba de R$ 234 mi para combater covid entre indígenas

A contragosto, governo vê Câmara aprovar verba de R$ 234 mi para combater covid entre indígenas

Indígenas são mais suscetíveis a doenças infectocontagiosas, por isso a pandemia ampliou as ameaças que circundam o segmento

Mais de 200 entidades lançam documento rejeitando MP que extingue Bolsa Família e PAA

Mais de 200 entidades lançam documento rejeitando MP que extingue Bolsa Família e PAA

A MP significa o fim do PAA, instrumento que permite que o poder público adquira a produção de alimentos da agricultura familiar camponesa e doe para instituições que atendem população em situação de vulnerabilidade

Governo não renovará operação das Forças Armadas na Amazônia, diz Mourão

Governo não renovará operação das Forças Armadas na Amazônia, diz Mourão

Mesmo com o fim da operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), militares continuarão a dar apoio logístico, disse o vice-presidente.

PF desarticula contrabando de ouro de terras indígenas venezuelanas

PF desarticula contrabando de ouro de terras indígenas venezuelanas

Operação La Cadena cumpre 40 mandados de prisão, busca e apreensão

Covid pode ter afetado 'cérebro' de Ciro Gomes, diz Lula após pedetista atacar Dilma Rousseff

Covid pode ter afetado 'cérebro' de Ciro Gomes, diz Lula após pedetista atacar Dilma Rousseff

'Vou decidir no ano que vem', diz Lula sobre ser candidato

"O mundo perdeu a admiração pelo Brasil", diz Gilberto Gil

Um dos maiores artistas da MPB e ex-ministro da Cultura lamentou o retrocesso nacional

Após leilão fracassado, oferta permanente de petróleo é

Após leilão fracassado, oferta permanente de petróleo é "ameaça eterna" em Fernando de Noronha

O arquipélago de Fernando de Noronha é considerado Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO desde 2001

Xuxa chama Bolsonaro de 'genocida' e pede que apoiadores deixem de segui-la no Instagram

Xuxa chama Bolsonaro de 'genocida' e pede que apoiadores deixem de segui-la no Instagram

“E você que é a favor da vida, assine o impeachment agora”, completou a apresentadora, ao compartilhar vídeo em que Bolsonaro reclamava por não ter conseguido ver o jogo do Santos por não estar vacinado

Ciro fala em conspiração de Lula por impeachment de Dilma, que o acusa de mentir

Ciro fala em conspiração de Lula por impeachment de Dilma, que o acusa de mentir

Em entrevista ao podcast Estadão Notícias, Ciro lembrou que nomes com os quais Lula ensaia uma reaproximação política hoje, como os emedebistas Renan Calheiros e Eunício Oliveira, patrocinaram a deposição de Dilma, tratada pelo PT como golpe.

Fascismo está na raiz do bolsonarismo, diz coordenador do Observatório da Extrema Direita

Fascismo está na raiz do bolsonarismo, diz coordenador do Observatório da Extrema Direita

Bolsonaro usou uma série de símbolos ligados ao integralismo em seu governo, como o slogan "Deus, Pátria e Família"

Invasão de guerrilheiros e atenção de 'países poderosos' na Amazônia ameaçam soberania do Brasil?

Invasão de guerrilheiros e atenção de 'países poderosos' na Amazônia ameaçam soberania do Brasil?

A Polícia Federal confirmou que estrangeiros suspeitos de ligação com dissidência das Farc estão entrando em território brasileiro devido ao avanço do garimpo ilegal de ouro. A Sputnik Brasil conversou com um especialista em questões de Defesa e Segurança para saber o que está por trás desta