×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de janeiro de 2022

Em artigo, Nicole Kidman alerta para pandemia paralela de violência às mulheres

Em artigo, Nicole Kidman alerta para pandemia paralela de violência às mulheresFoto: Kyle Espeleta

Embaixadora da Boa Vontade Nicole Kidman em evento da ONU em 2018

Onu Mulheres - 02/01/2021 - 16:36:55

Embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres diz que conheceu melhor o flagelo através de seus personagens; ligações para linhas de apoio aumentaram em até cinco vezes nas primeiras semanas da pandemia; a cada três meses de bloqueio, mais 15 milhões de mulheres em todo o mundo são afetadas.

Num artigo de opinião, a atriz de Hollywood Nicole Kidman afirmou que “uma pandemia paralela está ocorrendo: a da violência às mulheres.”

Kidman, que é embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres, afirma que as chamadas telefônicas para linhas de apoio aumentaram em até cinco vezes nas primeiras semanas da crise global. Ela lembrou que “uma questão, que já era generalizada, tornou-se mais urgente.”

Unicef/Kate Holt

A cada três meses de bloqueio, mais 15 milhões de mulheres em todo o mundo são atingidas pela violência

Pandemia

A atriz pede que todos imaginem “como é a vida para as mulheres e meninas que, como todas as outras pessoas, precisam se abrigar em casa para ficarem seguras da Covid-19, quando a própria casa não é um lugar seguro.”

A cada três meses de bloqueio, mais 15 milhões de mulheres em todo o mundo são atingidas pela violência, enquanto os serviços de apoio, aconselhamento e abrigos para sobreviventes são severamente afetados.

Junto com a violência doméstica, tem havido um aumento de todos os tipos de violência a mulheres e meninas. A atriz destaca “o assédio nas ruas quase vazias, o bullying cibernético, e jovens que foram tiradas da escola e forçadas a se casar” por causa da falta de dinheiro na família.

Unama/Eric Kanalstein

Sistema de justiça afegão continua falhando vítimas de violência de gênero

Experiência

Nicole Kidman assumiu o posto de embaixadora da ONU Mulheres, em 2006, na agência anterior chamada Unifem. Ela conta que, de lá para cá, aprendeu muito e viu o impacto arrasador da violência de gênero no mundo.

A atriz ficou “totalmente chocada” quando ouviu, pela primeira vez, que uma em cada três mulheres e meninas sofre ou sofrerá violência durante a vida.

Nesse mesmo ano, ela visitou Kosovo, nos Bálcãs, e ouviu histórias de mulheres vítimas de violência sexual, viúvas e mulheres que buscavam familiares desaparecidos.

ONU Mulheres/Fahad Kaizer

Mulher em Daka, no Bangladesh, recebendo ajuda. Mulheres sofrem mais com as consequências da pandemia do que os homens

Papel

No artigo, a atriz lembra o papel de Celeste, uma advogada e sobrevivente de violência doméstica no seriado Big Little Lies, dizendo que a produção fortaleceu sua posição sobre o assunto.

Durante as gravações, ela se sentia “muito exposta, vulnerável e profundamente humilhada.” A atriz conta que conseguia demonstrar coragem durante as filmagens, mas ao chegar em casa, percebia o quanto havia sido afetada.

Nessa altura, ela se lembrava das histórias de força e resiliência que havia descoberto como embaixadora. Segundo ela, “todos têm um papel a desempenhar e o poder de contribuir para acabar com a violência a mulheres e meninas, mesmo durante esta pandemia.”

Para Nicole Kidman, o trabalho começa por ouvir e acreditar nos sobreviventes. A atriz afirma que “quando a pessoa é agredida, sua sobriedade, roupas e sexualidade são irrelevantes.”

Segundo ela, pequenas ações, como denunciar comportamentos tóxicos em um amigo ou compartilhar informações relevantes em um chat podem ser muito úteis.

OIT

Mulheres trabalhando em uma fábrica de roupas em Hai Phong, Vietnam.

Educação

A embaixadora da Boa Vontade lembra que cresceu com uma mãe feminista e, por isso, nunca lhe ocorreu que pudesse estar em desvantagem por ter nascido menina.

Hoje, como mãe, ela diz que “é importante alimentar a autoestima, desafiar os estereótipos e a discriminação e dar o exemplo para a geração mais jovem.”

A atriz termina com uma série de apelos para que as pessoas aprendam sobre o tema, entrem em contato se estiverem preocupadas com alguém, usem suas redes sociais para aumentar conscientização e, se tiverem essa possibilidade, façam uma doação para organizações de apoio aos sobreviventes.

Comentários para "Em artigo, Nicole Kidman alerta para pandemia paralela de violência às mulheres":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Mais mulheres viajam sozinhas ou com as amigas

Mais mulheres viajam sozinhas ou com as amigas

Proibidas de viajar sem autorização dos maridos até 1962 no País, mulheres já são maioria em decidir o destino das viagens e em buscas por intercâmbio

"Esporte não pode admitir novos Robinhos": Especialistas comentam condenação por estupro

Robinho foi o principal jogador da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2010; na foto, o ex-camisa 11 em partida contra o Chile

Chefe de direitos da ONU pede estratégias para garantir participação das mulheres nos processos de paz

Chefe de direitos da ONU pede estratégias para garantir participação das mulheres nos processos de paz

A alta-comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet (À esquerda na tela) fala por meio de um vídeo durante um debate aberto do Conselho de Segurança sobre mulheres, paz e segurança na sede da ONU em Nova York no dia 18 de janeiro de 2022. Michelle Bachelet pediu na terça-feira por estratégias e investimento para garantir a participação plena e significativa das mulheres nos processos de paz.

Morre a cantora Elza Soares aos 91 anos

Morre a cantora Elza Soares aos 91 anos

Elza fez sucesso interpretando clássicos como Se Acaso Você Chegasse, cuja gravação lançou em 1960.

Bachelet: “Decisões sobre a paz sem refletir vozes, realidades e direitos das mulheres não são sustentáveis”

Bachelet: “Decisões sobre a paz sem refletir vozes, realidades e direitos das mulheres não são sustentáveis”

Bachelet apontou ainda o efeito negativo da violência baseada no gênero e do uso da violência sexual como tática de guerra

Estudante de 62 anos formada na EJA inicia o ano na UnB

Estudante de 62 anos formada na EJA inicia o ano na UnB

Quem quiser seguir o mesmo caminho da diarista Maria da Conceição pode se matricular no programa, que abrirá vagas remanescentes em fevereiro

“Temos capacidade para fazer, somos empreendedoras e muito valentes”, afirma venezuelana

“Temos capacidade para fazer, somos empreendedoras e muito valentes”, afirma venezuelana

Yidri foi uma das mulheres empreendedoras beneficiadas em Roraima pelo Programa Conjunto LEAP

OCDE mostra como a desigualdade de gênero afeta brasileiras

OCDE mostra como a desigualdade de gênero afeta brasileiras

A Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é composta por 38 países membros e por 8 países parceiros, grupo do qual o Brasil faz parte

Maior acampamento de refugiados sírios sem mortes maternas após 14 mil partos

Maior acampamento de refugiados sírios sem mortes maternas após 14 mil partos

Unfpa administra operações dentro das instalações de saúde no maior acampamento acolhendo cidadãos da Síria

Natália Bonavides vai recorrer ao Judiciário por direito de resposta a Ratinho

Natália Bonavides vai recorrer ao Judiciário por direito de resposta a Ratinho

Segundo Natália, o direito de resposta "evidencia as mentiras contadas no programa e mostra a necessidade urgente de enfrentar a intolerância e o preconceito. A recusa em divulgá-la é uma confirmação daquilo que foi dito"

O trabalho das mulheres no enfrentamento às desigualdades sociais que pioraram com a pandemia

O trabalho das mulheres no enfrentamento às desigualdades sociais que pioraram com a pandemia

Mulheres da comunidade Aratu, em João Pessoa, aguardam por alimentos durante ação de solidariedade em 1° de maio de 2021.