×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de outubro de 2021

Em artigo, Nicole Kidman alerta para pandemia paralela de violência às mulheres

Em artigo, Nicole Kidman alerta para pandemia paralela de violência às mulheresFoto: Kyle Espeleta

Embaixadora da Boa Vontade Nicole Kidman em evento da ONU em 2018

Onu Mulheres - 02/01/2021 - 16:36:55

Embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres diz que conheceu melhor o flagelo através de seus personagens; ligações para linhas de apoio aumentaram em até cinco vezes nas primeiras semanas da pandemia; a cada três meses de bloqueio, mais 15 milhões de mulheres em todo o mundo são afetadas.

Num artigo de opinião, a atriz de Hollywood Nicole Kidman afirmou que “uma pandemia paralela está ocorrendo: a da violência às mulheres.”

Kidman, que é embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres, afirma que as chamadas telefônicas para linhas de apoio aumentaram em até cinco vezes nas primeiras semanas da crise global. Ela lembrou que “uma questão, que já era generalizada, tornou-se mais urgente.”

Unicef/Kate Holt

A cada três meses de bloqueio, mais 15 milhões de mulheres em todo o mundo são atingidas pela violência

Pandemia

A atriz pede que todos imaginem “como é a vida para as mulheres e meninas que, como todas as outras pessoas, precisam se abrigar em casa para ficarem seguras da Covid-19, quando a própria casa não é um lugar seguro.”

A cada três meses de bloqueio, mais 15 milhões de mulheres em todo o mundo são atingidas pela violência, enquanto os serviços de apoio, aconselhamento e abrigos para sobreviventes são severamente afetados.

Junto com a violência doméstica, tem havido um aumento de todos os tipos de violência a mulheres e meninas. A atriz destaca “o assédio nas ruas quase vazias, o bullying cibernético, e jovens que foram tiradas da escola e forçadas a se casar” por causa da falta de dinheiro na família.

Unama/Eric Kanalstein

Sistema de justiça afegão continua falhando vítimas de violência de gênero

Experiência

Nicole Kidman assumiu o posto de embaixadora da ONU Mulheres, em 2006, na agência anterior chamada Unifem. Ela conta que, de lá para cá, aprendeu muito e viu o impacto arrasador da violência de gênero no mundo.

A atriz ficou “totalmente chocada” quando ouviu, pela primeira vez, que uma em cada três mulheres e meninas sofre ou sofrerá violência durante a vida.

Nesse mesmo ano, ela visitou Kosovo, nos Bálcãs, e ouviu histórias de mulheres vítimas de violência sexual, viúvas e mulheres que buscavam familiares desaparecidos.

ONU Mulheres/Fahad Kaizer

Mulher em Daka, no Bangladesh, recebendo ajuda. Mulheres sofrem mais com as consequências da pandemia do que os homens

Papel

No artigo, a atriz lembra o papel de Celeste, uma advogada e sobrevivente de violência doméstica no seriado Big Little Lies, dizendo que a produção fortaleceu sua posição sobre o assunto.

Durante as gravações, ela se sentia “muito exposta, vulnerável e profundamente humilhada.” A atriz conta que conseguia demonstrar coragem durante as filmagens, mas ao chegar em casa, percebia o quanto havia sido afetada.

Nessa altura, ela se lembrava das histórias de força e resiliência que havia descoberto como embaixadora. Segundo ela, “todos têm um papel a desempenhar e o poder de contribuir para acabar com a violência a mulheres e meninas, mesmo durante esta pandemia.”

Para Nicole Kidman, o trabalho começa por ouvir e acreditar nos sobreviventes. A atriz afirma que “quando a pessoa é agredida, sua sobriedade, roupas e sexualidade são irrelevantes.”

Segundo ela, pequenas ações, como denunciar comportamentos tóxicos em um amigo ou compartilhar informações relevantes em um chat podem ser muito úteis.

OIT

Mulheres trabalhando em uma fábrica de roupas em Hai Phong, Vietnam.

Educação

A embaixadora da Boa Vontade lembra que cresceu com uma mãe feminista e, por isso, nunca lhe ocorreu que pudesse estar em desvantagem por ter nascido menina.

Hoje, como mãe, ela diz que “é importante alimentar a autoestima, desafiar os estereótipos e a discriminação e dar o exemplo para a geração mais jovem.”

A atriz termina com uma série de apelos para que as pessoas aprendam sobre o tema, entrem em contato se estiverem preocupadas com alguém, usem suas redes sociais para aumentar conscientização e, se tiverem essa possibilidade, façam uma doação para organizações de apoio aos sobreviventes.

Comentários para "Em artigo, Nicole Kidman alerta para pandemia paralela de violência às mulheres":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Tiffany diz que Tandara 'errou nas palavras' e minimiza novas declarações

Tiffany diz que Tandara 'errou nas palavras' e minimiza novas declarações

Tiffany voltará às quadras na próxima terça-feira, para o segundo jogo da decisão do Campeonato Paulista, em Barueri

Tandara critica mais uma vez a presença de transexuais: 'Minha opinião não muda'

Tandara critica mais uma vez a presença de transexuais: 'Minha opinião não muda'

Em 2018, eu dei uma entrevista, inclusive eu estava aqui em Osasco, quando eu disse que não concordava.

OMS reconhece legado de Henrietta Lacks à ciência e à saúde

OMS reconhece legado de Henrietta Lacks à ciência e à saúde

Chefe da OMS (à dir, em pé) recebe a família de Henrietta Lacks para uma homenagem na sede da agência.

Mostra ajuda a limpar estigmas e dá profundidade à Carolina Maria de Jesus

Mostra ajuda a limpar estigmas e dá profundidade à Carolina Maria de Jesus

A mostra tem entrada gratuita com agendamento prévio pelo site do IMS.

PSB vai ao STF contra Plano de Segurança de Bolsonaro que exclui feminicídio

PSB vai ao STF contra Plano de Segurança de Bolsonaro que exclui feminicídio

O PSB lembra na ação que, sem uma classificação particular, os feminicídios e as mortes causadas por violência policial vão sofrer um apagão de dados, o que dificulta a definição de políticas públicas para proteger os grupos vulneráveis.

Maria Ressa e o prêmio Nobel: A luta contra fake news é a luta pela democracia

Maria Ressa e o prêmio Nobel: A luta contra fake news é a luta pela democracia

Jornalista Maria Ressa foi condecorada com o Nobel da Paz em 2021; prêmio também foi concedido ao russo Dmitry Muratov -

''Renascer' me fez crescer muito', diz Adriana Esteves

''Renascer' me fez crescer muito', diz Adriana Esteves

A novela exclusivamente rural, que caiu no gosto do público, entrou agora para o catálogo da Globoplay e a partir desta segunda, 11, poderá ser assistida em edição completa - são 126 capítulos.

Dia Internacional da Menina reforça necessidade de acesso às ferramentas digitais

Dia Internacional da Menina reforça necessidade de acesso às ferramentas digitais

Divisão digital impacta empregabilidade, saúde reprodutiva e autonomia corporal de mulheres

Marieta Severo conta que as sequelas da Covid-19 prejudicam o seu trabalho

Marieta Severo conta que as sequelas da Covid-19 prejudicam o seu trabalho

Além da sua doença, Severo enfrentou ainda um AVC do marido, Aderbal Freire. A veterana de 74 anos disse que voltar a gravar novela tem ajudado a superar esse período desafiador.

"Nunca quiseram nos escutar, então criamos um ambiente nosso, de acolhimento", diz slammer

Vencedora da Final Gaúcha de Slam, Tiatã conversou com o Brasil de Fato RS sobre a arte das batalhas de poesia das ruas

Mulheres negras são as principais vítimas de feminicídio no DF

Mulheres negras são as principais vítimas de feminicídio no DF

Não nos matem