×
ContextoExato
Responsive image

Entre lockdown e home office, 2020 foi ano ruim para ladrões

Entre lockdown e home office, 2020 foi ano ruim para ladrõesFoto: Portal DW de Noticias

Muitos criminosos sequer encontraram oportunidade de cometer o roubo

Richard Connor - Portal Dw De Noticias - 02/04/2021 - 17:43:46

Novo coronavírus atinge o mundo com dureza, e entre as "classes profissionais" castigadas estão os assaltantes residenciais: para seu azar, a população agora passa tempo demais em casa.

A confederação do setor de seguros da Alemanha, GDV, divulgou na quinta-feira (31/03) que o número de roubos residenciais no país atingiu o nível mais baixo desde as primeiras estatísticas disponíveis, em 1998. Houve 85 mil reivindicações de seguro em 2020, 10 mil a menos do que no ano interior.

"A queda dos arrombamentos se deve em grande parte à população passar tão mais tempo em casa, devido à pandemia de covid-19", explicou o presidente da GDV, Jörg Asmussen. "Muitas vezes os ladrões nem tiveram oportunidade para cometer o crime."

Também em consequência do confinamento e do trabalho à distância, as indenizações por roubo caíram para 230 milhões de euros, 70 milhões de euros a menos do que em 2019. O valor médio também encolheu cerca de 10%, girando em torno de 2.750 euros. A tendência decrescente dos pedidos de ressarcimento entre 2019 e 2020 foi registrada em todos os 16 estados alemães.

Por outro lado, o número de roubos residenciais no país já vinha caindo desde 2015, depois de um crescimento contínuo a partir de 2008, chegando a um pico de 167.136, quase o dobro da cifra de 2020.

Asmussen explica que grande parte dos proprietários de imóveis da Alemanha está investindo em tecnologia de segurança mais eficaz, o que tem compensado. Quase a metade das tentativas de arrombamento falha por os criminosos não conseguirem penetrar nas casas suficientemente rápido.

  • Roubo da Mona Lisa, em 1911

    OS MAIS ESPETACULARES ROUBOS DE OBRAS DE ARTE DA HISTÓRIA

    Quando o sorriso de Mona Lisa desapareceu

    Em 1911, o retrato feminino mais famoso do mundo – "Mona Lisa", de Leonardo da Vinci – foi roubado. Um jovem italiano, Vincenzo Peruggia, furtou a imagem do Louvre depois de se vestir como um empregado do museu parisiense e esconder a obra debaixo do casaco. A pintura reapareceu em 1913, após um comerciante de arte denunciar Peruggia à polícia.

LEIA MAIS

Museu italiano percebe roubo após devolução de obra pela polícia

Autoridades encontram pintura de 500 anos em apartamento em Nápoles e constatam que furto passou despercebido. Museu está fechado há meses devido à pandemia e não tinha sinais de arrombamento.

Polícia detém suspeitos de roubo espetacular em museu alemão

Quase um ano depois do audacioso roubo de joias do século 18 no valor de um bilhão de euros num museu em Dresden, gigantesca operação policial em Berlim detém homens "fortemente suspeitos" de terem participado do roubo.

Cresce número de roubo de parafernália nazista na Europa

Depois de uma série de roubos na Holanda, uniformes nazistas foram levados de um museu na Dinamarca. O que poderia estar por trás dessa tendência crescente?

Ladrões levam 1 bilhão de euros em joias de museu em Dresden

Sem equivalente na Europa, coleções do século 18 pertenciam a príncipe da Saxônia. Criminosos podem ter sabotado luz da área no horário do roubo.

Mais armas, mais segurança: a questionável lógica de Bolsonaro

Especialistas afirmam que mais armas também representam mais violência e simplesmente facilitar acesso a elas dificilmente ajudará a resolver os problemas de segurança no Brasil.

Comentários para "Entre lockdown e home office, 2020 foi ano ruim para ladrões":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório