×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de outubro de 2021

Enviada da ONU descreve “situação desoladora” no Haiti

Enviada da ONU descreve “situação desoladora” no HaitiFoto: Minustah/Logan Abassi

Informe ao Conselho de Segurança sublinha que o mundo precisa apoiar a emergência para as vítimas do tremor

Agência Onu News De Noticias - 04/10/2021 - 16:53:07

Representante aponta manto de impunidade limitando buscas pelo assassinato do presidente Jovenel Moise; ações de apoio a 800 mil afetados pelo terremoto carecem de mais de US$187 milhões; vacinação contra a Covid-19 chegou a apenas 1% da população do país mais pobre das Américas.

A chefe da Missão da ONU para Apoio à Justiça no Haiti, Binuh, disse que a situação do país “só pode ser caracterizada como desoladora”. Helen La Lime pediu ao mundo que assegure que o Haiti não se torne uma crise esquecida, pedindo apoio à emergência.

Falando em sessão do Conselho de Segurança, Helen La Lime lembrou que um mês depois do assassinato do presidente Jovenel Moise, ocorrido em 7 de julho, o país foi atingido pelo terremoto que afetou mais de 800 mil pessoas no sudoeste. A combinação dos eventos ditou o adiamento de eleições nacionais e locais.

Garantias

Em relação às investigações do assassinato do chefe de Estado haitiano, ela disse que deve ser levantado o “manto de impunidade que há muito tempo envolve o Haiti”.

Para que a justiça prevaleça nesse e em vários casos emblemáticos, La Lime pediu que os intervenientes trabalhem de “forma independente, em ambiente tranquilo e com garantia de proteção na identificação e no processamento dos responsáveis.”

Um trabalhador ajuda humanitário da ONU planeja as necessidades das pessoas afetadas pelo terremoto de magnitude 7,2 no Haiti

Ocha/Matteo Minasi

Um trabalhador ajuda humanitário da ONU planeja as necessidades das pessoas afetadas pelo terremoto de magnitude 7,2 no Haiti


Ainda em relação ao sistema judicial haitiano, a enviada contou que 82% dos reclusos do país não foram julgados, uma das mais altas taxas no mundo.

Quanto à questão humanitária causada pelo terremoto de 14 de agosto, a representante disse que a complexidade requer maior cooperação para sustentar e aumentar as capacidades e promover medidas de saúde e sociais na pandemia.

Unicef

O informe coincidiu com uma nota do Fundo da ONU para a Infância, Unicef, destacando que cerca de 70% das escolas do sudoeste ainda estão danificadas ou destruídas.

Como parte da campanha de volta às aulas, a agência chama a atenção para os cerca de 300 mil menores de idade começando gradualmente a retomar aos centros de ensino nos três departamentos afetados pelo sismo.

Em momento de vacinação, o país somente teve 60 mil unidades administradas até o momento em menos 1% da população elegível.

O informe ao Conselho de Segurança sublinha que o mundo precisa apoiar a emergência para as vítimas do tremor, com US$ 187,3 milhões, além da resposta humanitária até 2022, que está calculada em US$ 235,6 milhões.

Uma família que perdeu a casa após o terremoto em agosto no Haiti.

Foto: © UNICEF/Georges Harry Rouzier

Uma família que perdeu a casa após o terremoto em agosto no Haiti.

Comentários para "Enviada da ONU descreve “situação desoladora” no Haiti":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
No grupo de risco, pessoas com HIV têm menos acesso a vacinas contra Covid-19

No grupo de risco, pessoas com HIV têm menos acesso a vacinas contra Covid-19

Iniciativa quer arrecadar até US$ 5 milhões para o período entre 2021 e 2022

Agressões contra crianças e adolescentes no Brasil chegam a quase 120 mil

Agressões contra crianças e adolescentes no Brasil chegam a quase 120 mil

Em 2020, foram registradas mais de 150 mil denúncias

Desigualdade cresce mais no Brasil do que em outros países, aponta FGV

Desigualdade cresce mais no Brasil do que em outros países, aponta FGV

'Meu filho esqueceu as letras'

Acesso ao meio ambiente saudável é declarado um direito humano

Acesso ao meio ambiente saudável é declarado um direito humano

Árvores são plantadas na República Democrática do Congo para ajudar a combater a mudança climática.

1,3 bilhão de pessoas vivem na pobreza; grupos étnicos e mulheres são os mais afetados

1,3 bilhão de pessoas vivem na pobreza; grupos étnicos e mulheres são os mais afetados

Cerca de metade das pessoas em situação de pobreza são menores de 18 anos

Como pessoas comuns construíram histórias incríveis

Como pessoas comuns construíram histórias incríveis

“Histórias inspiradoras são muito importantes. A ausência delas pode criar um deserto imaginativo, um empobrecimento da nossa capacidade de fantasiar e sonhar”, explica o psicanalista Christian Dunker.

Massacre do Carandiru completa 29 anos sem nenhum agente responsabilizado

Massacre do Carandiru completa 29 anos sem nenhum agente responsabilizado

Em meio à impunidade, depois de 29 anos o caso ainda transcende o sistema prisional

Quase 50 crianças brasileiras, filhas de haitianos, já foram deportadas pelos EUA

Quase 50 crianças brasileiras, filhas de haitianos, já foram deportadas pelos EUA

O Haiti enfrenta uma combinação de crises política, social e humanitária

Comitê da ONU preocupado com desaparecimentos de afrodescendentes no Brasil

Comitê da ONU preocupado com desaparecimentos de afrodescendentes no Brasil

Complexo da Maré, no Rio de Janeiro.

Gestão Bolsonaro vai distribuir alimentos de baixo valor nutricional a comunidades indígenas

Gestão Bolsonaro vai distribuir alimentos de baixo valor nutricional a comunidades indígenas

Organizações indígenas afirmam que não foram consultadas sobre os itens que deveriam ou não ser distribuídos

Redução da pobreza da China é

Redução da pobreza da China é "conquista notável", diz Brookings

Aldeãs colhem pimentas frescas na aldeia de Qinggangba, vila de Tangtou, no distrito de Sinan, Província de Guizhou, sudoeste da China, em 12 de agosto de 2020.