×
ContextoExato

Escolas fechadas, vidas preservadas

Escolas fechadas, vidas preservadasFoto: Divulgação CPERS

A escola tem uma característica marcante: é um espaço de afeto e relações pessoais

Helenir Aguiar Schürer* - Brasil De Fato | Porto Alegre (rs) - 27/05/2020 - 00:02:04

Governador, nossas escolas não podem ser transformadas em bombas biológicas

O que temos de mais importante dentro das escolas? Pessoas.

Vendo as tratativas para elaborar os protocolos de retorno às aulas após a quarentena de combate à covid-19, observo que a preocupação maior é com a higienização, máscaras, água, sabão, álcool em gel, corrimões, maçanetas, tapetes e utensílios descartáveis, entre outros.

:: CPERS reforça que não há segurança para voltar às aulas presenciais no RS ::

Fui, por oito anos, professora das séries iniciais.

A escola tem uma característica marcante: é um espaço de afeto e relações pessoais.

Pergunto: quem, nesses protocolos, está pensando no lado afetivo das crianças e dos adolescentes? Diferentemente de uma carteira ou cadeira, como fazer com que se mantenham numa distância segura?

Como explicar aos nossos pequenos que não poderão abraçar a professora ou a “tia da merenda”?

Como fazê-los entender que o distanciamento é obrigatório? Como garantir que não compreendam o afastamento como rejeição?

Quantos psicólogos teremos ao dispor da rede para cuidar dos aspectos emocionais dos nossos jovens e crianças? Como impedir que os pequenos se aproximem do colega, no recreio, para brincar?

Como mantê-los seguros na chegada à escola e ao sair? Quem fará a medição de temperatura?

Como evitar o “ficar” dos jovens e adolescentes?

Como será realizado o atendimento individual, tão precioso ao ensino-aprendizagem?

Quem cuidará do restante da turma quando ela for dividida e o professor estiver em uma das salas?

Como abrir escolas antes do pico? Como, se nem sabemos quando será o pico?

A escola é muito mais do que os seus objetos e espaços físicos. Escola é gente. É vida.

Governador, nossas escolas não podem ser transformadas em bombas biológicas. Faltam testes, falta controle, falta segurança. Não falte com as nossas vidas.

Escolas fechadas, vidas preservadas.

*Helenir Aguiar Schürer é presidente do CPERS/Sindicato.

**Texto publicado originalmente no site do sindicato.

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira e Vivian Fernandes

Comentários para "Escolas fechadas, vidas preservadas":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório