×
ContextoExato

Excesso de uso de aparelhos eletrônicos na quarentena pode acarretar danos à visão

Excesso de uso de aparelhos eletrônicos na quarentena pode acarretar danos à visãoFoto: Google imagens

Tráfego de internet no Brasil aumentou 30% durante isolamento social

Por Camila Cortez Suprema Comunicação Integrada - 15/06/2020 - 16:20:08

Neste período de isolamento social em função do novo coronavírus foi registrado aumento médio de 30% no tráfego de internet no País, segundo o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil). O motivo para a explosão do tráfego é o fato de o lar ter virado um hub de tecnologias para o teletrabalho e aulas virtuais, além do mundo do entretenimento, com o massivo uso de serviços de streaming e a popularização das lives. Todavia, o uso exagerado de dispositivos eletrônicos pode acarretar sérios danos à saúde dos olhos em adultos e crianças, além da possibilidade de agravar problemas oftalmológicos já existentes.

Este hábito tem favorecido o aumento de casos da Síndrome da Vista Cansada. Com a vista fixada nas telas, recebendo a luz emitida pelo aparelho, as piscadas de olho tendem a ser mais espaçadas, resultando em ressecamento e fadiga ocular. Visão turva, vermelhidão nos olhos e tensão ocular também são sintomas do problema.

Já a Síndrome da Visão por Computador (CVS) é causada pelo uso excessivo dos aparelhos digitais que emitem luz azul, prejudicial para a retina. Além da exposição à luz azul, a proximidade da luz aos olhos também é danosa para as vistas.

A sensação de miopia, que é a dificuldade de enxergar de longe, pode ser outra consequência do problema. “A “falsa” miopia ocorre porque um músculo dentro do olho, chamado ciliar, se contrai para focalizar imagens próximas, esforçando-se para encontrar o foco. Com o esforço constante, ele entra em fadiga e para conseguir focalizar as imagens de longe, este músculo precisa estar relaxado”, explica o oftalmologista Hilton Medeiros, da Clínica de Olhos Dr. João Eugenio.

Pessoas que têm hipermetropia são mais suscetíveis a ter a falsa miopia porque esta disfunção por si só já é um tipo de dificuldade de enxergar de perto, pois o olho é um pouco menor do que o normal, o que provoca uma focalização errada da imagem que se forma após a retina. Dessa forma, para focar imagens de perto, o hipermétrope acaba fazendo um esforço exagerado e pode sofrer espasmos nessas musculaturas. "Os músculos se contraem e a visão permanece focada para perto, porém embaçada para longe, dando a falsa impressão de miopia", comenta o oftalmologista.

Em adultos, esse esforço repetitivo não necessariamente levará o paciente a ser míope de fato. No entanto, crianças com a visão em formação têm quase o dobro de chances de desenvolver miopia acomodativa e, a longo prazo, mais propensão a desenvolver miopia verdadeira.

Para saber se a miopia é “falsa” ou “verdadeira” o oftalmologista precisa fazer uma avaliação completa dos olhos. A miopia verdadeira ocorre quando o olho é mais longo do que o normal, o que faz com que os raios de luzes sejam focados muito antes na retina, prejudicando assim a visão de longe.

Embora os sintomas sejam os mesmos, os meios de correção são diferentes. Na verdadeira miopia, podem ser utilizados óculos e lentes de contato ou cirurgias reparadoras à laser, pois se trata de um problema anatômico. Para a falsa, pode ser indicado o uso de colírios, exercícios visuais e até óculos para perto.

A melhor forma de se prevenir contra as síndromes relacionadas ao uso excessivo de aparelhos eletrônicos é dar pausas no computador a cada hora e olhar para o horizonte, manter a tela do computador na altura da linha dos olhos, dar preferência a monitores com alta resolução, piscar mais vezes e, principalmente, reduzir a utilização destas tecnologias.

Comentários para "Excesso de uso de aparelhos eletrônicos na quarentena pode acarretar danos à visão":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório