×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 09 de dezembro de 2021

Ex-chefe do Exército é 'favorável' à liberação de remédio à base de canabidiol

Ex-chefe do Exército é 'favorável' à liberação de remédio à base de canabidiolFoto: Dida Sampaio/Estadão

Villas Boas disse que teme que resolução da Anvisa possa dar margem a "desvios" no uso da droga

Estadão Conteúdo - 04/12/2019 - 07:05:38

Assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional, do governo federal, o ex-comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas , disse que “é favorável” à liberação para comércio e produção de medicamentos à base de canabidiol, mas fez uma ressalva. “Antes, quero deixar bem claro que sou contra a liberação da maconha, não por motivo ideológico, mas porque as pesquisas científicas demonstram o quão nociva ela é”, declarou ao Estado.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nessa terça-feira, 3, por unanimidade, a regulamentação do registro e da venda de medicamentos à base de cannabis em farmácias e drogarias no Brasil. A norma entrará em vigor em 90 dias e, segundo a agência, deve melhorar vida de milhões de pacientes que dependem desses medicamentos. A diretoria da agência decidiu vetar, porém, o plantio da erva em território nacional para fins científicos e medicinais.


O general afirmou ainda que concorda com o veto o plantio de maconha em território nacional. “A fiscalização seria muito difícil”, argumentou. Questionado sobre se considerava a maconha uma droga ou um remédio, o general foi enfático: “Maconha é droga”.

Diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) em 2016, o ex-comandante não faz uso do canabidiol, pois o tratamento não é recomendado para o seu caso. “Houve uma recomendação por um médico italiano. Mas o meu neurologista no Brasil, Dr. Acary Souza Bulle Oliveira, disse que os mesmos benefícios do canabidiol poderiam ser encontrados em outros medicamentos. Então, eu não usei”, comentou.

O general fez questão de condenar o uso genérico de maconha. "A Associação Brasileira de Psiquiatria tem dados que mostram os efeitos destrutivos da droga. Os índices de suicídio crescem muito com o seu uso." E emendou: “Quanto ao uso medicinal, eu achava até um contrassenso não ser aprovado. Mas reitero que não sou a favor do uso da maconha, mas do uso medicinal do canabidiol”.

Sobre a proibição do plantio de maconha no País, o general disse ser contrário a qualquer flexibilização, "mesmo que para fins medicinais”. Depois de salientar que não sabe como essa questão é regulamentada, Villas Bôas falou sobre sua preocupação com a fiscalização, caso o cultivo fosse liberado. “Quais seriam os instrumentos necessários para essa fiscalização?”, questionou. "Não pode liberar a plantação porque a fiscalização seria muito difícil.”

Nesta quarta-feira, 4, o ex-comandante do Exército inaugura, em Brasília, o Instituto General Villas Bôas, que terá entre seus objetivos ajudar as pessoas com algum tipo de limitação a conviver com as doenças, conhecer seus direitos, trocar experiências de tratamentos e incluí-las na sociedade, mantendo-as ativas.

Para Entender

Confira dez questões sobre o uso medicinal da maconha

Anvisa liberou registro e comercialização de remédios à base de canabidiol em farmácias no Brasil

O instituto vai também tratar da preservação de suas ideias e de seu trabalho como oficial do Exército Brasileiro e debater o modelo de desenvolvimento do Brasil. Questionado sobre se pretende usar o instituto para defender o uso do canabidiol para tratamentos, o general respondeu: “Não se trata de defender e sim de proporcionar condições para que as pessoas que necessitam tenham condições de acesso. Claro que, condicionado à recomendação médica”.

Villas Bôas disse que nunca conversou com o presidente Jair Bolsonaro sobre a liberação do canabidiol para tratamento. Indagado se ainda pretende debater o assunto, argumentou que, primeiro, quer conversar com os ministérios da Saúde, da Justiça e da Cidadania, que estão envolvidos no caso. O ex-comandante demonstrou ainda uma certa preocupação com a possibilidade de desvios no uso da droga decorrentes da decisão da Anvisa. “É preciso ter responsabilidade com isso e uma estrutura de fiscalização adequada para evitar desvios.”

Comentários para "Ex-chefe do Exército é 'favorável' à liberação de remédio à base de canabidiol":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Multas aplicadas contra empresas de ônibus podem ser usadas para reduzir tarifas no DF

Multas aplicadas contra empresas de ônibus podem ser usadas para reduzir tarifas no DF

Decisão do Tribunal de Contas do DF pede estudo sobre compensação de multas de empresas de ônibus para redução ou controle da tarifa.

Participantes de audiência debatem falta de segurança e de manutenção na Rodoviária de Brasília

Participantes de audiência debatem falta de segurança e de manutenção na Rodoviária de Brasília

Recente decisão do governo de retornar a administração da rodoviária para a Secretaria de Transportes e Mobilidade foi bem recebida pelos participantes do debate proposto pelo deputado Chico Vigilante

População do DF pode escolher o imunizante contra a Covid-19

População do DF pode escolher o imunizante contra a Covid-19

Aproximadamente 211 mil moradores do DF já poderiam ter recebido a segunda dose, mas ainda não compareceram a um local de vacinação

Publicada resolução que define níveis do Lago Paranoá para 2022

Publicada resolução que define níveis do Lago Paranoá para 2022

Resolução da Adasa define os níveis altimétricos da água que devem ser mantidos no Lago Paranoá em 2022

Posto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto no DF disponibiliza doses contra a Covid-19

Posto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto no DF disponibiliza doses contra a Covid-19

Posto de Vacinação contra a covid-19 na Rodoviária do Plano Piloto está localizado na plataforma inferior, ao lado da administração

Detran-DF reforça orientações gerais a motociclistas

Detran-DF reforça orientações gerais a motociclistas

Campanhas de conscientização do Detran são constantes e têm como foco a segurança de todos

220 mil pessoas estão com a segunda dose da vacina atrasada no DF

220 mil pessoas estão com a segunda dose da vacina atrasada no DF

Há estoque de vacinas contra o coronavírus para primeira e segunda doses, dose de reforço e dose adicional; números revelam a efetividade da campanha

Biometria passa a ser oferecida em mais três postos do Na Hora

Biometria passa a ser oferecida em mais três postos do Na Hora

Postos do Na Hora de Taguatinga, Gama e Riacho Fundo passarão a oferecer o serviço de identificação biométrica

Aulas no DF começam em 14 de fevereiro de 2022

Aulas no DF começam em 14 de fevereiro de 2022

A portaria que define o calendário anual e semestral contendo todas as datas e eventos pedagógicos previstos será publicada nos próximos dias no Diário Oficial do DF

Entidades realizam ato contra tentativa de censura em escola do DF

Entidades realizam ato contra tentativa de censura em escola do DF

Em nota, corpo docente diz que repudia “toda e qualquer forma de perseguição, cerceamento e censura ao livre trabalho docente dessa Unidade de Ensino”.

Colorida e popular: Drag queen e ativista do MST lança pré-candidatura a deputada federal no DF

Colorida e popular: Drag queen e ativista do MST lança pré-candidatura a deputada federal no DF

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, participou do ato de filiação de Ruth Venceremos ao partido