×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de maio de 2022

Exportações de café solúvel do Brasil caem 4,7% devido ao conflito entre Ucrânia e Rússia

Exportações de café solúvel do Brasil caem 4,7% devido ao conflito entre Ucrânia e RússiaFoto: Agência Brasil / Valter Campanato

As vendas de café solúvel do Brasil no exterior caíram 4,7% no primeiro trimestre de 2022 devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia. A projeção anual de perdas no setor é de cerca de US$ 100 milhões (R$ 505,5 milhões), disse uma associação da indústria na sexta-feira (13).

Agência Sputnik De Noticias - 13/05/2022 - 19:57:16

"As exportações nacionais do produto caíram 4,7% no primeiro trimestre de 2022. Caíram 66.572 sacas de janeiro ao final de abril", informou a Associação Brasileira da Indústria do Café Solúvel (ABICS) em nota em seu site.

As vendas externas somaram o equivalente a 1.221.603 sacas de 60 quilos, enquanto no mesmo período do ano passado o país embarcou 1.282.454 sacas, acrescentou o texto.

"As duas nações [Ucrânia e Rússia] são responsáveis ​​por praticamente 13% do volume enviado pelo Brasil ao exterior, tendo importado, no ano passado, o equivalente a 534 mil sacas de café solúvel, o que gerou uma receita cambial de US$ 94,4 milhões [R$ 477,2 milhões]", disse Aguinaldo Lima, diretor de Relações Institucionais da ABICS.

Vários países latino-americanos viram suas exportações afetadas devido ao conflito na Ucrânia e às sanções impostas à Rússia por sua operação militar no país vizinho.

"A continuidade do conflito pode gerar grandes prejuízos na cadeia produtiva, afetando produtores e indústrias no Brasil. Considerando o cálculo dos números da Rússia e da Ucrânia em nossas exportações de solúveis, dependendo da duração do conflito, podemos projetar perdas de aproximadamente 500 mil sacas e cerca de US$ 100 milhões [R$ 505,5 milhões] a menos em divisas este ano", disse Lima.

Nesta semana, o presidente do Equador, Guillermo Lasso, disse que alguns setores de seu país perderão cerca de US$ 1,2 bilhão (R$ 6 bilhões) por não conseguirem enviar os produtos para destinos europeus devido a sanções e problemas logísticos.


Lima, por sua vez, disse que o setor brasileiro de café solúvel está "apreensivo e preocupado" com os impactos da crise, que gerou rupturas na cadeia global de suprimentos.


"Os russos não compraram nenhum solúvel do Brasil em abril deste ano e os ucranianos, apenas 519 sacas. No mesmo mês de 2021, por exemplo, eles haviam importado 30.759 sacas e 7.667 sacas, respectivamente", explicou.



Em 2021, a Rússia foi o segundo destino do café solúvel brasileiro. A Ucrânia, o sétimo.



No primeiro trimestre de 2022, o Brasil exportou seus cafés solúveis para 99 países, sendo os EUA o principal destino, com 19,2% do total, seguido pela Rússia que, apesar de registrar queda de 29,5% em suas compras, adquiriu 6,9% do total vendido.



Outros destinos foram Argentina, Indonésia, Japão e Birmânia.





Em 24 de fevereiro, a Rússia lançou uma operação militar especial no leste da Ucrânia em resposta aos pedidos de ajuda de duas repúblicas populares, anteriormente reconhecidas como um estado por Moscou, diante de ataques de forças de Kiev.



Comentários para "Exportações de café solúvel do Brasil caem 4,7% devido ao conflito entre Ucrânia e Rússia":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Movimentos populares criam programa Brasil de Todas as Cores por direitos da população LGBTQIA+

Movimentos populares criam programa Brasil de Todas as Cores por direitos da população LGBTQIA+

Documento elaborado por mais de 20 organizações tem objetivo de auxiliar na construção de políticas públicas

Com incertezas externas, fusões e aquisições passam por desaceleração

Com incertezas externas, fusões e aquisições passam por desaceleração

No ano passado, um total de 1.627 transações de fusão e aquisição ocorreram no País - avanço de 46% em relação a 2020

Quatro em cada dez brasileiros estão inadimplentes

Quatro em cada dez brasileiros estão inadimplentes

O total de inadimplentes, hoje, não é uma marca recorde. O maior contingente foi de 63,08 milhões, atingido em novembro de 2018, segundo a série do SPC Brasil, iniciada em janeiro de 2015.

Livro de Pochmann aborda abandono de projetos de país e ‘cancelamento do futuro’

Livro de Pochmann aborda abandono de projetos de país e ‘cancelamento do futuro’

Professor e economista reflete sobre transformações truncada do país e sua reprodução de um “passado trágico”

Consumidor deixa de pagar conta de luz para comprar alimentos

Consumidor deixa de pagar conta de luz para comprar alimentos

Desde que foi demitida de uma empresa de serviço de limpeza, Viviane vive com o seguro-desemprego de R$ 1.200. Foi a primeira vez que ela ficou inadimplente com o pagamento da conta de luz.

Preço do etanol cai em 16 Estados e no DF na semana, afirma ANP

Preço do etanol cai em 16 Estados e no DF na semana, afirma ANP

Na comparação mensal, o preço médio do biocombustível no País subiu 6,16%. O Estado com maior alta no período foi Alagoas, com 10,35% de valorização mensal do etanol, para R$ 5,746.

Jornalista brasileiro na Ucrânia preocupado que guerra comece a ser esquecida

Jornalista brasileiro na Ucrânia preocupado que guerra comece a ser esquecida

Jornalista brasileiro Hugo Bachega está acompanhando de perto a guerra na Ucrânia

Vale põe à venda áreas invadidas no Pará

Vale põe à venda áreas invadidas no Pará

Empresa desencoraja visitas de interessados por causa da violência

Brasileiro, porta-voz do Ocha, relata drama de ucranianos evacuados de Mariupol

Brasileiro, porta-voz do Ocha, relata drama de ucranianos evacuados de Mariupol

Civis de Mariupol deixam região após mais de dois meses sitiados.

Egito e Brasil começarão a negociar aumento de exportação de fertilizantes egípcios

Egito e Brasil começarão a negociar aumento de exportação de fertilizantes egípcios

Cairo assumiu o compromisso de dar prioridade às demandas de fertilizantes pedindo em contrapartida que tenha preferência no setor de exportação de frutas brasileiras.

Brasil 'está completamente perdido' em estratégia de semicondutores, diz economista

Brasil 'está completamente perdido' em estratégia de semicondutores, diz economista

A crise dos semicondutores tem gerado diversos problemas à indústria brasileira, principalmente a automotiva. A Sputnik Brasil entrevistou especialistas e representantes do setor de semicondutores para discutir como o Brasil pode se proteger de crises futuras.