×
ContextoExato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 23 de outubro de 2018


Ex-vice-presidente da Argentina é condenado a mais de 5 anos de prisão

Ex-vice-presidente da Argentina é condenado a mais de 5 anos de prisão

Além de ministro, Boudou foi vice-presidente de Cristina Kirchner de 2011 a 2015.

Da Redação / Do Sputnik / Foto: Fotos Públicas - 08/08/2018 - 09:43:27

O ex-vice-presidente da Argentina Amado Boudou foi condenado nesta terça-feira (7) a cinco anos e 10 meses de prisão por um caso de corrupção que envolve a compra de uma empresa de impressão de papel-moeda.

O 4° Tribunal Federal de Buenos Aires decidiu que em 2010 o então ministro da Economia Boudou intercedeu para evitar a falência da companhia Ciccone em troca de ficar com a empresa através um laranja. O Judiciário decidiu que ele é "autor criminalmente responsável de corrupção passiva (tendo subornos) e negociações incompatíveis com o serviço civil".

Além de ministro, Boudou foi vice-presidente de Cristina Kirchner de 2011 a 2015. 
Boudou declarou-se inocente e afirma que a decisão judicial faz parte de uma perseguição contra ele e a esquerdista Cristina Kirchner.

"Os políticos que seguem o caminho que os poderosos decidem não têm problemas. Os políticos que decidem mudar a realidade, são perseguidos(…) Há uma questão de vingança, há uma questão de vingança de classe", disse Boudou antes de conhecer o veredicto.

O antigo vice-presidente também precisará pagar uma multa de cerca de US$ 3,2 mil e não poderá mais ocupar cargos públicos. 

Boudou ainda poderá recorrer da decisão.

O antigo vice-presidente foi preso por outro caso no início de novembro de 2017 sob a acusação de lavagem de dinheiro e associação ilícita. Ele foi libertado da prisão em janeiro depois de um tribunal ter decidido que ele provavelmente não interferiria no caso e que ele poderá esperar o julgamento em liberdade.

Comentários para "Ex-vice-presidente da Argentina é condenado a mais de 5 anos de prisão":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório