×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de outubro de 2021

Ford anuncia fim da produção de carros no Brasil após um século e vai demitir 5 mil funcionários

Ford anuncia fim da produção de carros no Brasil após um século e vai demitir 5 mil funcionáriosFoto: Seu dinheiro

Montadora norte-americana informa que encerrará atividades nas três fábricas do País ainda em 2021; veículos serão importados de Argentina, Uruguai e demais origens

Estadão Conteúdo - 11/01/2021 - 18:14:51

Companhia, que fabricava veículos no País desde 1919, vinha fazendo cortes de pessoal nos últimos anos e sofrendo queda de vendas superior à do mercado; demissões vão afetar as operações brasileira e argentina

A montadora americana Ford anunciou nesta segunda-feira, 11, o fim de uma história de um século de produção de carros no Brasil. A montadora, que já tinha encerrado, em 2019, a produção em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, comunicou que vai fechar neste ano as demais fábricas no País: Camaçari (BA), onde produz os modelos EcoSport e Ka; Taubaté (SP), que produz motores; e Horizonte (CE), onde são montados os jipes da marca Troller.

Serão mantidos no Brasil a sede administrativa da montadora na América do Sul, em São Paulo, o centro de desenvolvimento de produto, na Bahia, e o campo de provas de Tatuí (SP). Questionada sobre o total de demissões, a companhia afirmou que 5 mil funcionários serão impactados no Brasil e na Argentina – no país vizinho, no entanto, as unidades de produção serão mantidas. No entanto, o impacto na economia, quando levados em conta fornecedores e terceirizados, deve ser bem mais significativo, apontam fontes do setor.

A produção será encerrada imediatamente em Camaçari e Taubaté, mantendo-se apenas a fabricação de peças por alguns meses para garantir disponibilidade dos estoques de pós-venda. A fábrica da Troller em Horizonte continuará operando até o quarto trimestre de 2021.

Perdas acima do mercado

A Ford, assim como todo o setor automotivo, vem enfrentando forte quedas nas vendas no Brasil. As perdas da montadora têm sido ainda piores do que a média do mercado. No acumulado de 2020, de acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a fatia da montadora americana era de 7,14%, atrás de General Motors, Fiat, Volkswagen e Hyundai, considerados os automóveis e comerciais leves.

Em 2020, foram emplacados cerca de 2 milhões de carros, conforme dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) . A Ford foi responsável por 118,4 mil, considerando apenas os automóveis, uma queda 39,7% em relação a 2019, quando o total chegou a 196,3 mil unidades. O Ford Ka foi o sexto modelo mais vendido non Brasil no ano passado. Em 2019, ele ocupou a segunda posição, segundo dados da Fenabrave.

Em comunicado, a Ford informa que tomou a decisão após anos de perdas significativas no Brasil. A multinacional americana acrescenta que a pandemia agravou o quadro de ociosidade e redução de vendas na indústria. "A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável", afirmou, em nota, Jim Farley, presidente da Ford.

Modelos descontinuados

As vendas do EcoSport e do Ka serão encerradas assim que terminarem os estoques. A empresa informa que vai trabalhar "imediatamente" em colaboração com os sindicatos e outros parceiros no desenvolvimento de um plano "justo e equilibrado" para minimizar os impactos do encerramento da produção. Primeira indústria automobilística a se instalar no Brasil, a Ford está no Brasil desde 1919.

A decisão de fechar as linhas de manufaturas brasileiras segue uma reestruturação dos negócios na América do Sul. A montadora diz que seguirá importando no Brasil utilitários esportivos, picapes, como a Ranger, e veículos comerciais de fábricas da Argentina, Uruguai e outras origens, mantendo "assistência total" ao consumidor brasileiro com operações de vendas, serviços, peças de reposição e garantia. Informou ainda que planeja acelerar o lançamento de diversos novos modelos conectados e eletrificados.

Saída custará US$ 4,1 bilhões

A decisão da Ford de encerrar a produção no Brasil terá impacto financeiro de aproximadamente US$ 4,1 bilhões em despesas não recorrentes, conforme informação divulgada pela montadora no anúncio de fechamento de três fábricas no País.

Do total, cerca de US$ 2,5 bilhões terão impacto direto no caixa do grupo americano, sendo, em sua maioria, relacionados a compensações, rescisões, acordos e outros pagamentos. Outros US$ 1,6 bilhão decorrem de impacto contábil atribuído à baixa de créditos fiscais, depreciação acelerada e amortização de ativos fixos.

No anúncio da decisão, Lyle Watters, presidente da Ford na América do Sul, destacou que, após reduzir custos em "todos os aspectos do negócio" e encerrar produtos não lucrativos, incluindo o fim da produção de caminhões, o ambiente econômico desfavorável, agravado pela pandemia, deixou claro que seria necessário "muito mais" para dar sustentabilidade e rentabilidade à operação.

Comentários para "Ford anuncia fim da produção de carros no Brasil após um século e vai demitir 5 mil funcionários":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Projeto que proíbe linguagem neutra em escolas pode ser votado na CLDF

Projeto que proíbe linguagem neutra em escolas pode ser votado na CLDF

Deputados distritais querem criminalizar uso de linguagem neutra em escolas e outras repartições públicas da capital

Mensalidade dos pequenos planos empresariais sobe e preocupa consumidores

Mensalidade dos pequenos planos empresariais sobe e preocupa consumidores

Reajuste abusivo pode ser revisto na Justiça

Como lidar com o trânsito na volta ao trabalho presencial?

Como lidar com o trânsito na volta ao trabalho presencial?

Para ajudar os motoristas a lidar com o tempo de deslocamento, o aplicativo de navegação Waze se uniu à plataforma de meditação Headspace. Ao utilizar o tema da parceria, os usuários podem aprender sobre relaxamento e concentração, além de ser lembrados de focar no presente.

Quase 3 milhões de novos processos na Justiça envolveram conflitos trabalhistas

Quase 3 milhões de novos processos na Justiça envolveram conflitos trabalhistas

Verbas indenizatórias provenientes de rescisões de contrato e responsabilização do empregador em casos que resultaram em indenização por dano moral estão entre os assuntos que terminaram em processo judicial. Segundo especialista, a gestão de conflitos no local de trabalho pode ajudar gestores e funcionários a se entenderem melhor

Por que o golpe do Whatsapp funciona?

Por que o golpe do Whatsapp funciona?

Roteirista Daniel Fraiha relata caso na família e analisa raízes das fraudes no Brasil

Como fazer a portabilidade de planos de saúde

Como fazer a portabilidade de planos de saúde

Primeira portabilidade pode ser feita após dois anos no plano original

Criança no carro? Cuidado redobrado!

Criança no carro? Cuidado redobrado!

Regras do Código de Trânsito Brasileiro, fiscalização e conscientização derrubam índice de letalidade no transporte de crianças com até 10 anos no DF

Idec lança guia com orientações para internautas sobre direitos nas mídias digitais

Idec lança guia com orientações para internautas sobre direitos nas mídias digitais

O material foi inicialmente desenvolvido pelo Observatorio Latinoamericano de Regulación, Medios y Convergencia

Entregadores de apps afirmam que a greve agora é por tempo indeterminado até terem respostas

Entregadores de apps afirmam que a greve agora é por tempo indeterminado até terem respostas

Em contexto de alta no preço do combustível, entregadores reivindicam melhores taxas de entrega, o fim da coleta dupla e dos bloqueios de conta sem justificativa

Greves de entregadores contra apps de delivery se espalham e já duram dias

Greves de entregadores contra apps de delivery se espalham e já duram dias

Divididos em bloqueios pela cidade, entregadores em Jundiaí estão de braços cruzados desde sábado (9)

Economia edita portaria e remaneja R$ 70 bi para pagar servidores e aposentados

Economia edita portaria e remaneja R$ 70 bi para pagar servidores e aposentados

Se não fossem os recursos da desvinculação dos fundos, a capacidade de honrar os pagamentos seria muito baixa, segundo apurou o Estadão/Broadcast. Sem a portaria, haveria risco real de