×
ContextoExato
Responsive image

Gilmar Mendes critica atraso do governo Bolsonaro em vacinação; “passou do tolerável”

Gilmar Mendes critica atraso do governo Bolsonaro em vacinação; “passou do tolerável”Foto: Fellipe Sampaio /STF

"Os atrasos e recalcitrâncias na importação das vacinas já passam do tolerável. Países vizinhos já estão iniciando a imunização", afirmou o ministro Gilmar Mendes

Portal Brasil 247 - 04/01/2021 - 08:06:04

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes usou a sua página nas redes sociais na noite deste domingo (3) para criticar a demora do governo brasileiro em adquirir vacina contra o coronavírus.

"Os atrasos e recalcitrâncias na importação das vacinas já passam do tolerável. Países vizinhos já estão iniciando a imunização", repudiou o ministro.

Mais de 40 países, inclusive da América Latina, começaram a imunizar suas populações contra a Covid. Vacinas da Pfizer/BioNTech, Moderna, Sputnik V, Sinovac e Sinopharm já imunizaram mais de 11 milhões de pessoas em todo o mundo. China foi o país que mais vacinou até agora.

O governo Bolsonaro, no entanto, apresentou um plano de vacinação para começar até o fim de janeiro, mas sequer conseguiu fazer a compra de seringas e agulhas e também não há nenhuma data definitiva.

"Estabelecer um cronograma de vacinação é medida urgente. A ignorância não pode prevalecer sobre a ciência", acrescentou o ministro Gilmar Mendes.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pediu ao Ministério da Economia que restrinja a exportação de seringas e agulhas para a imunização da Covid-19.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários para "Gilmar Mendes critica atraso do governo Bolsonaro em vacinação; “passou do tolerável”":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório