×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de outubro de 2021

Governo de Brasília recorre ao Supremo para evitar perda de quase R$ 700 milhões ao ano

Governo de Brasília recorre ao Supremo para evitar perda de quase R$ 700 milhões ao anoFoto: CB. Poder

A Procuradoria pede, em tutela de urgência, que o STF determine que, até o julgamento do mérito da questão, a verba do imposto de renda incidente sobre remuneração, pensões e proventos de servidores das forças de segurança brasilienses fique com o GDF.

Correio Braziliense - 30/04/2019 - 22:12:55

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal recorreu, nesta terça-feira (30/04), ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar evitar que a capital perca os recursos referentes ao imposto de renda incidente sobre os salários e proventos de funcionários da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros. As remunerações desses profissionais são pagas com recursos do Fundo Constitucional do DF (FCDF), abastecido pelo Tesouro Nacional. A relatoria da matéria ficou nas mãos do ministro Marco Aurélio Mello.


O protocolo da ação declaratória cível originária na Suprema Corte ocorre um dia após o Tribunal de Contas da União (TCU) publicar o acórdão que estabelece que a cifra milionária pertence ao governo federal e, não, à capital. Com base na decisão, o Ministério da Economia reterá os valores a partir da folha salarial de abril. Em apenas um mês, o rombo nos cofres brasilienses seria de R$ 56,6 milhões. Em 2019, a baixa na arrecadação chegaria a R$ 680 milhões. O TCU ainda imputou uma dívida de R$ 10 bilhões ao GDF, referente ao passivo acumulado desde 2003, à época da implementação do Fundo Constitucional.


A Procuradoria pede, em tutela de urgência, que o STF determine que, até o julgamento do mérito da questão, a verba do imposto de renda incidente sobre remuneração, pensões e proventos de servidores das forças de segurança brasilienses fique com o GDF. “A necessidade de imediata reparação dos valores passados ou mesmo a perda dos recursos atuais representarão um gravíssimo problema para o DF, podendo inviabilizar a prestação de serviços públicos, a realização de investimentos e mesmo o pagamento de servidores públicos e fornecedores”, destaca a ação.


Depois da análise liminar, os procuradores requisitam que o STF reconheça, de forma definitiva, que os recursos pertencem ao GDF. Caso contrário, pedem ao menos que a União tenha direito somente ao imposto de renda recolhido após o trânsito em julgado da ação.


Os procuradores que assinam a petição argumentaram em cinco linhas distintas. Destacaram, por exemplo, que os policiais e bombeiros são servidores públicos distritais. Além disso, indicaram que, apesar de a União realizar o repasse dos recursos, o dever jurídico e a obrigação pelo pagamento da remuneração recaem sobre o GDF.


Mudança na Constituição


Simultaneamente, os senadores da capital tentarão mudar a Constituição Federal para evitar a perda bilionária. O projeto deve ser protocolado em até 15 dias, segundo Izalci Lucas (PSDB). A proposta precisa da assinatura de pelo menos 27 parlamentares para começar a tramitar.


A mudança ocorrerá no artigo 157, o qual prevê que pertence aos Estados e ao DF “o produto da arrecadação do imposto da União sobre renda e proventos de qualquer natureza, incidente na fonte sobre rendimentos pagos, a qualquer título, por eles, suas autarquias e pelas fundações que instituírem e mantiverem”.


Para Izalci Lucas, a PEC “esclareceria uma determinação constitucional em vigência”. “Ora, os servidores são do DF. Portanto, o imposto de renda deve voltar para cá. A União repassa os recursos para o governo local, mas é o GDF quem efetua o pagamento”, explicou. “É uma pena que o governador tenha decidido recorrer diretamente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em vez de apresentar embargos de declaração no TCU ou pedir a revisão da decisão, que culminaria na troca do relator. Ganharíamos tempo”, emendou.

Comentários para "Governo de Brasília recorre ao Supremo para evitar perda de quase R$ 700 milhões ao ano":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

O Zé Ninguém

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Em 2020, recusa à doação de órgãos por parentes ficou em 37,8%

Pesquisa revela que maioria dos brasileiros tem intenção de doar órgãos, mas não avisa a família

Pesquisa revela que maioria dos brasileiros tem intenção de doar órgãos, mas não avisa a família

“Seja doador de órgãos e avise sua família” se estenderá por todo ano de 2021. Uma doação pode salvar até oito vidas