×
ContextoExato

Guedes pontua pilares. Previdência, privatizações e simplificação de impostos

Guedes pontua pilares. Previdência, privatizações e simplificação de impostosFoto:

Cerimônia de transmissão de posse do ministro contou com a presença dos presidentes da Câmara e do Supremo Tribunal Federal.

Estadão Conteúdo - 03/01/2019 - 06:31:13

Cerimônia de transmissão de cargo oficializou nesta quarta-feira (2) Paulo Guedes como ministro da Economia. A nova pasta une os Ministérios da Fazenda, Planejamento e Indústria. Durante o primeiro discurso, ele pontou os três pilares de sua gestão: reforma da Previdência, privatizações e a simplificação e redução de impostos.

Guedes garantiu que a reforma da Previdência é a mais importante e será feita em conjunto com a sociedade, o Congresso e o Judiciário. Para o ministro, a imprensa é um quarto Poder e o esclarecimento sobre o tema da Seguridade é o "primeiro e maior desafio a ser enfrentado".


O novo ministro apelidou o projeto que reunirá a reforma da Previdência de "PEC do Pacto Federativo". Para ele, a política de aposentadoria atual é uma "fábrica da desigualdade", que paga aos ricos os maiores valores.

Guedes criticou o indexamento generalizado de gastos públicos, como altas aposentadores, e defendeu a manutenção do teto de gastos. Ele afirmou que se as mudanças da Previdência não forem aprovadas, ele vai propor "desobrigar e desvincular todas as despesas da União".

'Enxurrada' de mudanças
A nova gestão, de acordo com o ministro, vai propor diversas mudanças. "Não adianta eu vir falando 'medida um, medida dois e medida três'. Há uma enxurrada de medidas ainda. O que não vai faltar é notícia", disse.

Ele afirmou que cada um dos secretários quer propor de 10 a 15 medidas, e que as primeiras serão mais simples. Ele defendeu maior desburocraticação, como a digitalização dos serviços públicos básicos. Entre as ideias está identidade digital.

Guedes afirmou que o país precisa se abrir para o capital estrangeiro e defendeu um governo de descentralização de recursos públicos com auxílio de recursos privados. O ministro saiu em defesa da chamada " carteira verde e amarela " opcional. A proposta é dar ao trabalhador a opção de receber um salário maior, desde que ele aceite que o empregador não recolha os encargos previdenciários para a aposentadoria dos funcionários.

Diálogo
Guedes pediu conciliação na agenda. "Não existe um superministro. Não existe alguém que vai resolver o problema do Brasil sozinho", afirmou durante a fala. Em seguida afirmou que não deve haver dúvidas sobre o rumo do país, defendendo que temos uma "democracia resiliente", que passou de uma "aliança política de centro-esquerda" para "uma aliança de conservadores", de centro-direita.


Guedes afirmou que o excesso de gastos foi o maior dano a Brasil. "O descontrole sobre expansão dos gastos públicos é o mal maior", afirmou. E defendeu uma "reforma no Estado" para "atacar o problema fiscal". O novo ministro disparou críticas aos governos petistas, afirmando que "gastaram como se não houvesse amanhã" e prometeu "despedalar" as contas.

Comentários para "Guedes pontua pilares. Previdência, privatizações e simplificação de impostos":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório