×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de maio de 2022

Homicídios e roubos caem nas cidades do 'Em Frente Brasil'

Homicídios e roubos caem nas cidades do 'Em Frente Brasil'Foto: Público

Primeira fase do Programa foi implementada no fim de agosto pelo ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública); relatório aponta queda dos crimes entre setembro e novembro de 2019 em comparação ao mesmo período do ano anterior e acompanha redução iniciada em janeiro

Estadão Conteúdo - 03/12/2019 - 10:45:58

O número de homicídios e de roubos caiu nos municípios que integram o projeto-piloto do Programa Em Frente Brasil, iniciativa anunciada pelo governo federal para reduzir a violência e a criminalidade. Segundo relatório trimestral do projeto, entre setembro e novembro de 2019, houve redução de 28,8%, em média, nos roubos em Ananindeua (PA), Goiânia (GO), Paulista (PE), Cariacica (ES) e São José dos Pinhais (PR), com relação ao mesmo período do ano anterior. O número de homicídios dolosos apresentou uma queda maior, de 44,7%.

O relatório foi elaborado com base nos dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública.


Foto: Reprodução

Ainda segundo o levantamento, a redução dos roubos segue uma tendência desde janeiro, em comparação aos meses do ano anterior. Desde o início de 2019, os números relacionados a tais crimes são menores, mês a mês, do que os de 2018 nas cinco cidades do projeto-piloto. Há exceções apenas nos dados referentes ao mês de fevereiro das duas últimas.

Foto: Reprodução

Já com relação aos homicídios dolosos, também pode-se observar queda, desde janeiro. No entanto, algumas cidades, em certos meses de 2019, apresentaram aumento no número de assassinatos: em Caricica, em fevereiro, abril e outubro; em Goiânia, em janeiro; em Paulista, em maio e agosto; em São José dos Pinhais em abril, em maio e outubro.

A primeira fase do Programa Nacional de Enfrentamento à Criminalidade Violenta foi implementada no fim de agosto pelo ministro Sérgio Moro. O projeto pretende reduzir os crimes violentos – como homicídios, feminicídios, estupros, latrocínios e roubos – nas cidades com maiores índices de assassinatos.

O projeto prevê investimentos de R$ 4 milhões na segurança pública de cada cidade do projeto-piloto até o fim de 2019, além de ações conjuntas entre a União, os estados e os municípios.

O Programa envolve os ministérios da Justiça e Segurança Pública, da Cidadania, da Educação, da Saúde, do Desenvolvimento Regional, da Economia, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e da Casa Civil. Além disso, integram o projeto a Advocacia-Geral da União (AGU) e órgãos estaduais e municipais.

Serão investidos R$ 20 milhões para financiar as atividades, sendo R$ 4 milhões para cada município, ao longo dos próximos seis meses.

A primeira fase do projeto, batizada de ‘choque de segurança’, tem o objeto de reduzir, a curto prazo, os índices de criminalidade nas cidades. Para isso, prevê a atuação de uma força-tarefa – formada pelas Polícias civil, militar e federal – para desarticular grupos criminosos.

A segunda etapa do programa diz repeito a elaboração de um plano local de segurança com integração a um conjunto de ações de políticas públicas em outras áreas, para reduzir as vulnerabilidades sociais que causam os altos índices de violência nessas regiões. / Com informações da Agência Brasil

Comentários para "Homicídios e roubos caem nas cidades do 'Em Frente Brasil'":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Exportações de café solúvel do Brasil caem 4,7% devido ao conflito entre Ucrânia e Rússia

Exportações de café solúvel do Brasil caem 4,7% devido ao conflito entre Ucrânia e Rússia

As vendas de café solúvel do Brasil no exterior caíram 4,7% no primeiro trimestre de 2022 devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia. A projeção anual de perdas no setor é de cerca de US$ 100 milhões (R$ 505,5 milhões), disse uma associação da indústria na sexta-feira (13).

Brasileiro, porta-voz do Ocha, relata drama de ucranianos evacuados de Mariupol

Brasileiro, porta-voz do Ocha, relata drama de ucranianos evacuados de Mariupol

Civis de Mariupol deixam região após mais de dois meses sitiados.

Egito e Brasil começarão a negociar aumento de exportação de fertilizantes egípcios

Egito e Brasil começarão a negociar aumento de exportação de fertilizantes egípcios

Cairo assumiu o compromisso de dar prioridade às demandas de fertilizantes pedindo em contrapartida que tenha preferência no setor de exportação de frutas brasileiras.

Brasil 'está completamente perdido' em estratégia de semicondutores, diz economista

Brasil 'está completamente perdido' em estratégia de semicondutores, diz economista

A crise dos semicondutores tem gerado diversos problemas à indústria brasileira, principalmente a automotiva. A Sputnik Brasil entrevistou especialistas e representantes do setor de semicondutores para discutir como o Brasil pode se proteger de crises futuras.

Helio Santos: “O dia 14 de maio de 1888 é o dia mais longo da nossa história”

Helio Santos: “O dia 14 de maio de 1888 é o dia mais longo da nossa história”

Ativista histórico contra o racismo alerta que a pauta nunca foi tratada de acordo com sua dimensão

Crise econômica gera êxodo de empresários para o exterior, diz especialista

Crise econômica gera êxodo de empresários para o exterior, diz especialista

Empresas veem futuro promissor fora do país

"Já temos sinais de uma nova onda de evasão de cérebros", afirma doutor em História da Ciência

Em entrevista, Olival Freire Júnior fala sobre o impacto do não investimento em ciência no Brasil

Apenas 64% das empresas no Brasil apostam em Compliance

Apenas 64% das empresas no Brasil apostam em Compliance

Contar com um advogado especializado em compliance é um diferencial

Projeto Creative SP vai levar 10 empresas para a Feira de Frankfurt

Projeto Creative SP vai levar 10 empresas para a Feira de Frankfurt

Dez empresas ou instituições paulistas vão poder participar da Feira do Livro de Frankfurt este ano dentro do projeto Creative SP.

Inflação de abril é a mais alta em 26 anos; acumulado de 12 meses, o maior em duas décadas

Inflação de abril é a mais alta em 26 anos; acumulado de 12 meses, o maior em duas décadas

Preços subiram em quase todos os itens avaliados; destaque para alimentos, gás, remédios e, novamente, combustíveis

Brasil não avançou no entendimento de quem financia fake news, diz pesquisadora

Brasil não avançou no entendimento de quem financia fake news, diz pesquisadora

“Seria importante que a Polícia Federal e o TSE se envolvessem”, segundo Flávia Lefèvre, do Intervozes