×
ContextoExato
Responsive image

Ibaneis Rocha espera vacinar toda a população do DF até outubro

Ibaneis Rocha espera vacinar toda a população do DF até outubroFoto: Renato Alves/Agencia Brasília

Hospital de campanha do Gama, inaugurado ontem, terá capacidade para 100 pacientes em estado grave. Unidade do Autódromo de Brasília será liberada na próxima sexta

Cibele Moreira E Samara Schwinel - Correioweb - 08/05/2021 - 09:45:36

Estimativa do governador Ibaneis Rocha (MDB) é de que toda a população estará imunizada nesse período. Entretanto, pandemia, segundo o emedebista, continuará demandando ações e cuidados por alguns anos diante da possibilidade de reinfecção

A população do Distrito Federal deve estar totalmente vacinada contra a covid-19 em meados de setembro a outubro. A previsão é do governador Ibaneis Rocha (MDB), que, durante a inauguração do hospital de campanha do Gama ontem, avaliou o andamento da imunização. “No ritmo da vacinação, antes de setembro ou outubro, não teremos toda a população do Distrito Federal vacinada. Sabemos que esse processo ainda vai demorar um pouco”, ressaltou. Ao todo, a população do DF com mais de 18 anos, público-alvo da campanha, é de 2.309.944, segundo dados da Codeplan. Atualmente, as pessoas com comorbidades são prioridade do governo. Para avançar na imunização desse grupo, o DF aguarda a chegada de 14 mil doses da inglesa Pfizer/BioNTech, além de 14, 4 mil da CoronaVac.

O DF vacinou, ontem, 10.810 pessoas com a primeira dose e 1.468 com a segunda. Ao todo, a capital do país já imunizou 501.729 pessoas com a primeira aplicação e 278.572 com as duas doses da vacina. De acordo com o GDF, até o momento, foram recebidas 973.010 doses de vacina.

A expectativa é de que os imunizantes chineses cheguem ao DF no fim da manhã de hoje, porém os da Pfizer ainda não têm data certa para chegarem. “Temos consciência da dificuldade na aquisição de vacinas. O país hoje tenta adquirir essas vacinas e não tem conseguido no número necessário”, completou o governador. Na próxima segunda-feira, a Secretaria de Saúde deve iniciar a aplicação das 5,8 mil unidades da Pfizer que chegaram na última semana e são carimbadas para o uso em pessoas com comorbidades.

Atualmente, podem ser vacinadas contra o coronavírus no DF pessoas com comorbidades, de 55 a 59 anos, mediante cadastro e agendamento prévio, e idosos a partir de 60 anos. Profissionais de saúde e de segurança pública também são vacinados mediante agendamento, porém, para abrir mais vagas para estes grupos, o GDF espera o recebimento de mais doses destinadas para as respectivas categorias.

Hospital de Campanha

Segundo Ibaneis, com os hospitais de campanha será possível retomar as cirurgias eletivas, com a transferência dos pacientes internados em UTIs nos hospitais regionais para a unidade de saúde temporária. “Queremos trazer todos os pacientes com covid-19, que não precisem de tratamento avançado, para os hospitais de campanha. Nós sabemos da necessidade da retomada das cirurgias eletivas que estão há muito tempo paradas”, ressaltou o governador do Distrito Federal. A expectativa é de que a unidade no Autódromo de Brasília seja entregue na próxima sexta-feira e, a de Ceilândia, em 15 dias.

Apesar do avanço da vacinação e da abertura dos hospitais de campanha, Ibaneis considera que a pandemia ainda está longe do fim. “Mesmo que (a população esteja) vacinada, temos ciência de que existem muitos casos de reinfecção. (A vacina) diminui a gravidade, mas vamos continuar convivendo com a covid durante muitos anos”, destacou.

Para Ibaneis Rocha, os três hospitais de campanhas contratos vão reforçar o atendimento com qualidade na prestação de serviço à população durante a pandemia do novo coronavírus. Os primeiros 22 pacientes do hospital de campanha do Gama foram transferidos horas após a inauguração, depois de o local passar por desinfecção. A unidade tem capacidade para 100 pacientes, pois conta com leitos de unidades de cuidados intermediários (UCIs) com ventilação mecânica e diálise, o que, segundo a Secretaria de Saúde, permite o atendimento a pacientes em estado grave.

O secretário de Saúde Osnei Okumoto explicou, durante o evento de inauguração, que só serão transferidos pacientes estáveis. “Um médico intensivista vai acompanhar esse paciente e nossa equipe vai observar se ele tem estabilidade para transporte”, esclareceu Okumoto. De acordo com o infectologista Leandro Machado, esse tipo de transferência é bem comum e não oferece grandes riscos aos pacientes. “Esse é um transporte corriqueiro de se fazer e que está na rotina de um hospital. Pacientes mais críticos e instáveis devem aguardar para serem transferidos por último, até que estejam estáveis”, explicou o infectologista. No trajeto entre um hospital e outro, o paciente terá todo o suporte necessário e acompanhamento médico.

Com o investimento de R$ 6,8 milhões, o hospital de campanha do Gama tem cinco alas que comportam 20 leitos cada. A unidade tem salas de triagem; para procedimentos invasivos; de insumos; de descompressão; de raios X ; e, de tomografias. Há uma área para farmácia e pontos de hemodiálise. O espaço também tem ponto de desembarque de ambulâncias; setor administrativo; sala de TI e de manutenção; espaços de descanso para médicos e enfermeiros; banheiros adaptados para Pessoas com Necessidades Especiais (PNE); copa e necrotério.

Vacinação

O Ministério da Saúde informou, ontem, que a previsão de chegada de doses da CoronaVac é para o fim da manhã de hoje. Para o DF serão destinadas 14.400 doses, já contando com os 10% de perda técnica. Ao todo, para a próxima semana, a Secretaria de Saúde terá disponível 40 mil vacinas para continuar o processo de imunização do grupo de comorbidades considerando o estoque atual e os novos imunizantes.

Ontem, o Ministério da Saúde informou ao GDF que houve um engano na informação de que as 50,3 mil doses de AstraZeneca recebidas na quinta-feira deveriam ser destinadas para pessoas com combordidades. Segundo o Governo Federal, na verdade, a leva deve ser usada para aplicação de segunda dose.

Trinta mortes registradas ontem

O Distrito Federal chegou a 8.056 óbitos pela covid-19, nesta sexta-feira, com o registro de mais 30 mortes. Somente nas últimas 24 horas, foram 820 infectados pela doença. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do DF. A média móvel de casos está em 867, sendo uma redução de 16,5% em relação ao número de 14 dias atrás. A taxa para mortes está em 36,86 — redução de 30% em comparação ao mesmo período.

Segundo o documento, dos óbitos notificados, duas pessoas tinham entre 30 e 39 anos; três entre 40 a 49; cinco entre 50 a 59; onze estavam na faixa etária de 60 a 69; cinco tinham entre 70 e 79; e 4 tinham 80 ou mais. As comorbidades foram identificadas em 22 pessoas. Os agravantes foram doenças cardiovasculares, distúrbios metabólicos, obesidade, nefropatia e pneumonia.

As maiores incidências da doença foram registradas nas regiões administrativas de Sobradinho 1, Lago Sul, Plano Piloto e Sudoeste/Octogonal. Em números absolutos, Ceilândia está no topo com 42.586 infecções, seguida de Plano Piloto (36.581), Taguatinga (30.875) e Samambaia (22.158).

A taxa de ocupação total dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) para uso adulto, pediátrico e neonatal está em 83,41% no Distrito Federal. O dado é do painel InfoSaúde — disponibilizado pela Secretaria de Saúde do DF e atualizado às 18h25 de ontem. Segundo a sala de situação, existem 75 leitos vagos na capital (com e sem suporte de hemodiálise), sendo 7 neonatal, 5 pediátrico e 63 para uso adulto. O total de leitos de UTI para pacientes com covid-19 é de 480, divididos entre hospitais da rede pública e particular do DF. Desse número, 377 estão ocupados e 28 estão bloqueados para manutenção

Comentários para "Ibaneis Rocha espera vacinar toda a população do DF até outubro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório