×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 12 de agosto de 2022

Justiça Federal no Brasil se moderniza, mas tribunais ainda amargam demoras

Justiça Federal no Brasil se moderniza, mas tribunais ainda amargam demoras

Foto: Imagem de capa JU-online - Unicamp

Essa grandiosidade em termos de acesso à justiça, também vem ao encontro da morosidade com o que cidadão tem que enfrentar, em função ao tempo de decisão com relação a um processo

Por Dino - Estadão Conteúdo - 12/01/2022 - 10:57:24

A digitalização no ambiente de trabalho corporativo foi agilizada desde 2020, porém nos tribunais judiciais espalhados por todo o Brasil, iniciar um processo para um requer paciência e insistência. Os números do CNJ – Confederação Nacional de Justiça – atualizados em agosto de 2020, indicam que, mesmo com alguns avanços, os casos aumentaram, somente na Justiça Federal, cerca de 23%.

Para se ter uma ideia do tamanho dos tribunais no país, os estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul são considerados como de grande porte, sendo que os cinco maiores tribunais estaduais (TJRS, TJPR, TJSP, TJRJ e TJMG), concentram 64% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e 51% da população brasileira.

Essa grandiosidade em termos de acesso à justiça, também vem ao encontro da morosidade com o que cidadão tem que enfrentar, em função ao tempo de decisão com relação a um processo. Em média, em um tribunal do Rio Grande do Sul ou de São Paulo – novamente concentrando a análise nos locais considerados de grande porte – uma decisão pode levar até 4,5 anos para sair. Entre alguns fatores, o tempo processual leva em consideração a consolidação de depoimentos e evidências para se julgar um caso. Hoje, um julgamento e sua transcrição são feitos totalmente de maneira manual, com a coleta de depoimentos de testemunhas, réus e afins captados por um datilógrafo, que concentra toda documentação em pastas de um único processo, ao qual, o juiz deve ler por completo.


Entretanto, a modernização do setor público está chegando aos tribunais. Atualmente é possível utilizar um software de transcrição áudio visual das audiências, de forma a não somente digitalizar o processo, mas de gravar de forma segura, todo o julgamento, de forma criptografada e totalmente mantido em servidores de grande porte. “Tecnologias como esta irão auxiliar os tribunais do país a serem mais ágeis, economizando tempo e custo de pessoal, desonerando o setor e aumentando a credibilidade do cidadão”, denomina Paulo David, Diretor de Vendas e Marketing da XP On Tecnologia, empresa que trabalha com soluções de colaboração Zoom e digitalização. “A Key-On, solução de digitalização de tribunais, conta com recursos de armazenamento e integra totalmente com soluções Zoom Meetings, o que facilita audiências virtuais, com total segurança e gravação de depoimentos. Para acessar um trecho do caso, basta fazer uma busca pelo termo, sem necessidade de releitura de toda documentação, o que também prejudica o fechamento do caso”, finaliza

Website: https://www.xpon.com.br/key-on


Comentários para "Justiça Federal no Brasil se moderniza, mas tribunais ainda amargam demoras":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Casas sustentáveis: Entenda como esse modelo de residência gera economia

Casas sustentáveis: Entenda como esse modelo de residência gera economia

Trabalho remoto é o futuro na área da tecnologia

Trabalho remoto é o futuro na área da tecnologia

Alexandre diz que atos por democracia reforçam 'orgulho do sistema eleitoral'

Alexandre diz que atos por democracia reforçam 'orgulho do sistema eleitoral'

Celso de Mello: Manifesto representa 'severa advertência ao presidente Bolsonaro'

Celso de Mello: Manifesto representa 'severa advertência ao presidente Bolsonaro'

"Carta bate com o que faço aqui", diz professor que levou documento para Londres

Jovens ainda sofrem com recuperação lenta do mercado de trabalho, diz OIT

Jovens ainda sofrem com recuperação lenta do mercado de trabalho, diz OIT

José Carlos Dias destaca união do capital e trabalho e lê carta da Fiesp

José Carlos Dias destaca união do capital e trabalho e lê carta da Fiesp

Ação contra fraude notifica cinco postos de combustível no DF

Ação contra fraude notifica cinco postos de combustível no DF

Saiba o que são e como preparar as PANCs, plantas alimentícias não convencionais

Saiba o que são e como preparar as PANCs, plantas alimentícias não convencionais

Alvaro Vargas Llosa: 'O idiota latino-americano se reinventou'

Alvaro Vargas Llosa: 'O idiota latino-americano se reinventou'

'Os manifestos geram poder para a resistência', afirma Celso Lafer

'Os manifestos geram poder para a resistência', afirma Celso Lafer

No DF, políticos e militantes de esquerda têm sido vítimas de violência nas ruas

No DF, políticos e militantes de esquerda têm sido vítimas de violência nas ruas

DF é condenado a indenizar aluno que sofreu reação alérgica após ingerir alimento

DF é condenado a indenizar aluno que sofreu reação alérgica após ingerir alimento

MPDFT apoia criação de Frente Nacional de Combate a Cartéis

MPDFT apoia criação de Frente Nacional de Combate a Cartéis

Deputados distritais derrubam veto e demitidos da CEB recuperam emprego

Deputados distritais derrubam veto e demitidos da CEB recuperam emprego

Janaina Paschoal diz que Bolsonaro tenta 'destruí-la' e que carta é 'pró-Lula'

Janaina Paschoal diz que Bolsonaro tenta 'destruí-la' e que carta é 'pró-Lula'

Djavan volta com 'uma ode ao amor e à esperança'

Djavan volta com 'uma ode ao amor e à esperança'

BNDES leva a leilão antigo edifício-sede em Brasília

BNDES leva a leilão antigo edifício-sede em Brasília

Lideranças indígenas, testemunhas do crime contra Bruno e Dom, pedem proteção oficial

Lideranças indígenas, testemunhas do crime contra Bruno e Dom, pedem proteção oficial

Marinha suspende exercício em Alcatrazes após protestos de ambientalistas

Marinha suspende exercício em Alcatrazes após protestos de ambientalistas

Guedes minimiza comércio Brasil-França e avisa: 'É melhor nos tratarem bem ou vamos ligar o f***-se'

Guedes minimiza comércio Brasil-França e avisa: 'É melhor nos tratarem bem ou vamos ligar o f***-se'