×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de maio de 2022

Liberação de cultivo da maconha pode colocar Brasil como grande exportador

Liberação de cultivo da maconha pode colocar Brasil como grande exportadorFoto: Portal UOL

Segundo o relatório, o Brasil tem aproximadamente 7,5 milhões de quilômetros quadrados de áreas disponíveis para o cultivo da planta.

Amanda Lemos-portal Uol - 24/12/2019 - 20:53:28

O enorme potencial agrícola e as condições climáticas favoráveis para o cultivo de Cannabis podem tornar o Brasil um grande exportador da planta, segundo pesquisa feita pela ADWA Cannabis, startup voltada para o desenvolvimento de tecnologias para cadeia produtiva da erva.

Em parceria com a UFV (Universidade Federal de Viçosa) e através do Departamento de Fitotecnia e do Grupo Brasileiro de estudo sobre a Cannabis sativa L., a startup quantificou as áreas com maior aptidão para o cultivo da erva, dividindo entre produção de fibras, flores e sementes. O relatório inclui espécies com alto teor de THC, a substância psicoativa da planta, e também baixo, o cânhamo.


Segundo o relatório, o Brasil tem aproximadamente 7,5 milhões de quilômetros quadrados de áreas disponíveis para o cultivo da planta.

"O valor da produção de um hectare de Cannabis é, em média, de US$ 52.000 para sementes e US$ 31.000 para fibras", afirma Sérgio Barbosa, fundador da startup.

O mercado da maconha voltado para fins terapêuticos tem atraído investidores em vários países, como Colômbia, Canadá e Uruguai.

Devido à alta produtividade da erva, que pode chegar a 12 toneladas de celulose por hectare, a Cannabis é uma opção para a indústria de papel e celulose, diz o estudo da startup.

Segundo o relatório regional sobre Cannabis na América Latina, produzido pela NewFrontier Data, a estimativa média de mercado total disponível é de US$ 9,75 bilhões —incluindo mercados legais, regulamentados, não regulamentados e ilícitos. Segundo as projeções do relatório, o Brasil tem o maior potencial na região e pode movimentar US$ 2,4 bilhões.

No início do mês, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou novas regras para registro de produtos à base de Cannabis para fins medicinais no país. A medida permite que empresas obtenham aval para venda desses produtos em farmácias, mas o cultivo foi vetado e enfrenta críticas do governo —em especial do ministro da Cidadania, Osmar Terra, que vê na medida um primeiro passo para a legalização da maconha. A agência nega essa possibilidade.

"O Brasil tem uma base do agronegócio muito forte e segura quando as coisas não estão bem. Se não nos atentarmos para isso, vamos ficar para trás", diz Barbosa. "É possível fazer de forma segura, o potencial agronômico que tem é questão de tempo."

A reportagem procurou a SRB (Sociedade Rural Brasileira) e a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), que não quiseram comentar o assunto por falta de especialistas voltados para o cultivo de cânhamo no país.

O cânhamo chegou ao Brasil com os portugueses no século 15, e houve tentativas de aumentar a produção na região Nordeste. O estímulo à cultura teve início em meados do século 18, quando o império português buscava alternativas para a confecção de tecidos, velas e cordoarias.

À época, o cultivo teve problemas para vingar. Entre os motivos estavam o baixo preço pago aos produtos e as cobranças de impostos a cultura. Até meados do século 20, existiam indústrias brasileiras que usavam o cânhamo para a produção têxtil, mas foram sendo fechadas.

Segundo João Ernesto de Carvalho, professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unicamp, existem várias teorias para o desaparecimento de cânhamo no Brasil. Uma delas é o reflexo de proibições nos Estados Unidos, quando Harry Anslinger, comissário do serviço de Narcóticos do país, declarou guerra à maconha. A posição de Anslinger não tinha apenas ligação à questão social, mas principalmente a motivos econômicos.

O cânhamo nos Estados Unidos era usado, principalmente, para a fabricação de papel por ser um meio mais barato do que a madeira. O republicano tinha ligações com a figuras da indústria, como a Hearst e a DuPont.

"Depois da Segunda Guerra, os EUA continuaram a liderar medidas proibicionistas. Eles impuseram para o mundo todo, mas eles continuaram com a criação de tecnologia na Cannabis", diz o professor.

"Esses desdobramentos fizeram com que limitassem estudos sobre a Cannabis no mundo inteiro, enquanto eles continuaram o processo."

Dados da Polícia Federal mostram que, no ano passado, 968 mil pés de maconha foram apreendidos, enquanto em 2019 o número subiu para 1 milhão.

Comentários para "Liberação de cultivo da maconha pode colocar Brasil como grande exportador":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Polícia investiga uso de estudantes de Medicina como 'mulas' do tráfico

Polícia investiga uso de estudantes de Medicina como 'mulas' do tráfico

Segundo o delegado, os traficantes pagam por volta de R$ 20 mil por quilo para comprar a droga e passam a comercializá-la no Brasil

"Democracia latino-americana está envenenada", afirma ex-presidente uruguaio Pepe Mujica

Em evento no Uruguai, o político aposentado cobrou uma união da população para barrar governos autoritários

Dia Internacional das Famílias destaca impacto da urbanização sobre os lares

Dia Internacional das Famílias destaca impacto da urbanização sobre os lares

A ONU marca em 15 de maio o Dia Internacional das Famílias com foco na urbanização e como melhorar a vida das pessoas nas cidades

Coreia do Norte confirma 21 novas mortes suspeitas de Covid-19

Coreia do Norte confirma 21 novas mortes suspeitas de Covid-19

Apesar das medidas restritivas para evitar a circulação de pessoas entre cidades, as descrições da mídia estatal norte-coreana indicam que a população não está confinada.

Espera de entrevista para visto norte-americano chega a 354 dias em SP

Espera de entrevista para visto norte-americano chega a 354 dias em SP

Nos demais consulados no país a demora é menor

"Sem Caribe, não há América": campanha busca visibilizar a necessidade da integração regional

Economista haitiano propõe uma "pedagogia das revoluções" como estratégia contra o domínio imperialista em toda a região

Filmes, livros e contos são recursos para quem quer saber mais sobre o Japão

Filmes, livros e contos são recursos para quem quer saber mais sobre o Japão

Conhecer alguns termos e palavras principais na língua japonesa também é uma forma de saber mais sobre o país, além de ajudar a se sentir mais próximo da cultura

Profissionais de MSF seguem detidos injustamente há 4 meses em Camarões

Profissionais de MSF seguem detidos injustamente há 4 meses em Camarões

Organização pede libertação imediata de enfermeira e motorista presos após socorrerem ferido

Norma internacional previne acidentes e incidência de doenças no trabalho

Norma internacional previne acidentes e incidência de doenças no trabalho

Campanha Abril Verde busca estimular a notificação de acidentes e doenças ocupacionais no país.

EUA: Republicanos ameaçam isenção fiscal da Disney por oposição a leis anti-LGBT

EUA: Republicanos ameaçam isenção fiscal da Disney por oposição a leis anti-LGBT

Alguns republicanos temem que as iniciativas possam sair pela culatra com eleitores moderados, que não concordam com uma agenda anti-LGBT.

OMS continua investigando causas de hepatite aguda em crianças na Europa

OMS continua investigando causas de hepatite aguda em crianças na Europa

Criança recebe vacina contra hepatite B, porém casos recentes não foram associados aos vírus tradicionais.