×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de maio de 2022

Mãe de criança baleada na Baixada Fluminense desabafa: "Pago imposto para ver meu filho morto?"

Mãe de criança baleada na Baixada Fluminense desabafa: Foto: Reprodução - Portal Brasil de Fato

"Ninguém sabe a dor que estou passando", disse Ana Clara Santos, mãe de Kevin Lucas, de seis anos

Brasil De Fato | Rio De Janeiro (rj) - 07/01/2022 - 20:10:55

Kevin Lucas, de seis anos, foi atingido por um tiro no peito; mais duas crianças, de 13 e 9 anos, estão internadas

Uma criança de seis anos morreu na noite da última quinta-feira (6), no município de Queimados, na Baixada Fluminense, após ser atingida por um tiro no peito. Kevin Lucas brincava na casa de uma vizinha, no Morro da Torre, no momento dos disparos. Mais outras duas crianças, de 13 e 9 anos, foram atingidas e estão internadas.

Leia mais: Região metropolitana do RJ teve quatro crianças baleadas em menos de 10 dias, diz Fogo Cruzado

Moradores da comunidade acusam policiais de efetuarem os disparos. A Polícia Militar contestou a versão e informou que fazia patrulhamento de rotina em uma rua próxima ao morro quando uma viatura foi alvo de tiros. Os policiais afirmam que desceram da viatura e tentaram se esconder.

Na tarde desta sexta-feira (7), a mãe de Kevin, Ana Clara dos Santos, esteve no Instituto Médico Legal (IML), em Nova Iguaçu, para fazer o reconhecimento do corpo do menino. Diante de jornalistas, ela desabafou:

"Presidente, cadê? Eu pago imposto para ver meu filho morto? Ninguém sabe a dor que estou passando. Meu filho era uma criança saudável, esperta, inteligente. Não deixo meu filho largado, na mão de qualquer um. Só quero justiça. Sou trabalhadora como qualquer um", protestou a mãe do menino.

Leia também: Alerj aprova lei que impõe prioridade de investigações de crimes contra crianças

A deputada estadual Renata Santos (Psol) cobrou do governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL). Ela afirmou que o estado está sem uma política de segurança, que Castro tem apenas uma "política de morte".

"O governo Cláudio Castro deve se responsabilizar. Vamos ficar em cima para que a Lei Ágatha, que impõe prioridade na investigação de assassinatos de crianças, seja cumprida dessa vez", disse a parlamentar, nas redes sociais.

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Eduardo Miranda

Comentários para "Mãe de criança baleada na Baixada Fluminense desabafa: "Pago imposto para ver meu filho morto?"":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
‘Hoje está muito difícil ser uma artista negra no Brasil’, diz Luedji Luna

‘Hoje está muito difícil ser uma artista negra no Brasil’, diz Luedji Luna

Luedji Luna é cantora, baiana, nascida em Salvador. Aos 34 anos, coleciona alguns sucessos e está se preparando para uma turnê na Europa.

Dia Mundial da Doação de Leite realça o valor do aleitamento

Dia Mundial da Doação de Leite realça o valor do aleitamento

Banco de Leite Humano da Unifesp precisa de doadoras

Alcoólicos Anônimos só para mulheres tem impacto positivo

Alcoólicos Anônimos só para mulheres tem impacto positivo

Dados são de estudo realizado por pesquisadores da USP

Influenciadora digital compartilha a rotina de viver com a Doença de Crohn

Influenciadora digital compartilha a rotina de viver com a Doença de Crohn

Lorena fala que durante a adolescência se sentia isolada e até excluída, mas viu na internet um refúgio. Ela revela que demorou um tempo para falar sobre a doença e sua deficiência.

Especialista em finanças lança obra voltada a mulheres que querem independência financeira

Especialista em finanças lança obra voltada a mulheres que querem independência financeira

Para a escritora, a obra é necessária porque ajuda as mulheres a trilhar um caminho de mentalidade financeira abundante

No Dia das Mães, mulheres falam sobre adoção monoparental no Brasil

No Dia das Mães, mulheres falam sobre adoção monoparental no Brasil

A chamada adoção solo tem as mesmas regras do processo biparental

Mujeres Fuertes: Mães venezuelanas recebem apoio para conquistar autonomia no Brasil

Mujeres Fuertes: Mães venezuelanas recebem apoio para conquistar autonomia no Brasil

Conciliar família, trabalho e estudo é uma tarefa inevitável para mulheres mundo afora. Em Manaus, mães venezuelanas têm ganhado apoio em sua jornada

Bolsonaro sanciona Plano de Enfrentamento à Violência contra a Mulher

Bolsonaro sanciona Plano de Enfrentamento à Violência contra a Mulher

Lei integra a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social

Filme recupera a luta feminista pós-ditadura

Filme recupera a luta feminista pós-ditadura

O filme dá ideia perfeita da trajetória e das dificuldades dessa luta.

Meninas melhoram desempenho em matemática e se igualam a meninos

Meninas melhoram desempenho em matemática e se igualam a meninos

É o que revela estudo feito pela Unesco

Banco Mundial e cidades brasileiras em parceria contra violência de gênero

Banco Mundial e cidades brasileiras em parceria contra violência de gênero

Em 2006, a lei brasileira Maria da Penha trouxe o reconhecimento e a responsabilização criminal da violência contra a mulher, mas ainda existem muitos desafios a serem superados