×
ContextoExato

Mais cultura, menos cortes. Reforma do Teatro Nacional é uma das reivindicações para 2020

Mais cultura, menos cortes. Reforma do Teatro Nacional é uma das reivindicações para 2020Foto: CorreioWeb

Advogados, publicitários, arquitetos, produtores e atores falam sobre as perspectivas para o cenário cultural brasiliense em 2020: reforma do Teatro Nacional e mais verbas estão entre as reivindicações

Irlam Rocha Lima-correioweb - 01/01/2020 - 09:49:59

Mais cultura, menos cortes

Brasilienses dão um abraço simbólico no Teatro Nacional: reforma do espaço é uma das reivindicações para 2020

O desprezo em relação à cultura, com cortes de recursos e até a censura a trabalhos de artistas e produtores no âmbito nacional marcaram de forma negativa a temporada de 2019. Em Brasília, isso também foi observado. Aqui, houve o cancelamento de patrocínios e a consequente diminuição de projetos em importantes palcos, como Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Teatro da Caixa, Sala Plínio Marcos e Clube do Choro.

Em compensação, a revitalização do Espaço Renato Russo, a realização de grandes eventos, o surgimento de novas casas de show e o crescente processo de ocupação com arte de áreas públicas da capital, como no Complexo Cultural da Funarte, no Parque da Cidade e no Canteiro Central do Setor Comercial Sul, devem ser destacados positivamente.

Por essas e outras razões, chega-se à conclusão de que as perspectivas para 2020 não são totalmente desanimadoras. Ouvidas pelo Correio e sem fugir do realismo, pessoas de segmentos diversos, que têm o saudável hábito de prestigiar espetáculos e outras manifestações artísticas na cidade, torcem por uma temporada melhor no novo ano na área da cultura.

 (Minervino Júnior/CB/D.A Press - 24/5/2018)

Carlos Ayres Brito, jurista

• A cultura faz parte da estrutura identitária de um povo. É o elo de pertencimento do indivíduo à coletividade e deve ser tratada como política pública, de matriz constitucional. Como assíduo espectador de espetáculos em locais como Clube do Choro, Caixa Cultural, Centro Cultural Banco do Brasil e Centro de Convenções Ulysses Guimarães, acredito que o governador Ibaneis Rocha, que é uma pessoa sensível, em 2020 vá investir ainda mais neste segmento, que é constitucionalmente prioritário.

 (Arquivo Pessoal)

Mariana Bitencourt, publicitária

• Torço para que projetos que se tornaram fixos na programação artísticas da cidade, como o Na Praia e o Funn Festival, se mantenham, e outros que ocorreram pela primeira vez em 2019, como o Pavilhão Luz, tenham continuidade. Espero também que a ocupação de espaços públicos com eventos como o Samba Urgente e casas voltadas para música, surgidas recentemente, entre elas a Floor, prosperem. Por outo lado, não acho saudável para quem consome cultura a competição entre produtoras, como as que vão promover os projetos Viva e Fuun Summer, agora em janeiro, nas mesmas datas.

 (Luis Nova/Esp. CB/D.A Press - 25/5/18)

José Carlos Coutinho, arquiteto

• Se depender dos poderes públicos, motivos não faltam para que eu esteja pessimista quanto a vários aspectos da cultura em 2020. Mas, por outro lado, confio na criatividade dos agentes culturais, nas pessoas que batalham pela cultura e nos artistas para reverter esta situação. Acredito nisso, por estar sempre presente em eventos que se tornaram fundamentais para a sedimentação de diferentes manifestações artísticas em Brasília, como o Festival de Cinema, os concertos da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, shows no Teatro da Caixa e no CCBB.

 (Arquivo Pessoal)

Larissa Mauro, atriz

• Tenho dúvidas quanto ao que vai ocorrer na área da cultura no DF em 2020, se tomar por base a atuação do Adão Cândido à frente da Secretaria de Cultura, no primeiro ano do governo Ibaneis. Muito pressionado pela classe artística, em função da suspensão de editais do FAC – Fundo de Apoio à Cultura — em 2019, ele acabou sendo substituído pelo Bartolomeu Rodrigues. Espero que o Bartô, nosso representante junto ao governo, abra um canal de diálogo conosco, que esteja do nosso lado, que dê início, de imediato, à reforma do Teatro Nacional.

 (Arquivo Pessoal)

Getúlio Lopes, reitor do UniCeub

• Ver o Teatro Nacional abandonado é algo que nos entristece bastante. É uma vergonha o templo da cultura brasiliense, referência para os mais importantes artistas nacionais e internacionais que se apresentaram na capital se manter fechado há tanto tempo. Ouço dizer que, finalmente, o governo vai iniciar a reforma a partir da Sala Martins Penna. Costumo assistir a espetáculos em outras salas, mas nada se assemelha à Villa-Lobos. Minha torcida é para que a cultura, em 2020, seja ainda mais viva na cidade.

 (Ronelio Cesar)

Lidiana Lima Rodrigues Santana, servidora pública

• Brasília é uma cidade vocacionada para a cultura. A cidade tanto acolhe os artistas que vêm de fora quanto produz arte de altíssima qualidade. Além disso, possui várias escolas formadoras de músicos, atores, cineastas, que depois saem daqui para brilhar no Brasil e no exterior. Minha expectativa é de que, em 2020, tenhamos ainda mais espetáculos para assistirmos e que novos espaços sejam abertos. Espero também que as diversas manifestações artísticas possam ser consumidas pelos moradores das cidades-satélites nos locais onde vivem.

 (Marilene Macedo)

Paulo Roberto Nogueira, psicólogo

• Assistir a espetáculos apresentados por artistas brasileiros e pelos que vêm de fora é algo que faz parte do meu cotidiano. Para mim, é tão importante aplaudir a performance dos acrobatas do Cirque du Soleil quanto ouvir o canto e a viola caipira de Zé Mulato & Cassiano, sem esquecer dos maravilhosos concertos da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional, sob a regência do maestro Cláudio Cohen. É uma pena que em espaços como o Teatro da Caixa e Centro Cultural Banco do Brasil e Clube do Choro as programações só tenham início em março ou abril. De qualquer forma, em se falando de cultura, é boa a minha expectativa para 2020.

 (Arquivo Pessoal)

Eliane Cruxen, advogada

• O que eu mais aguardo na área da cultura em Brasília em 2020 é a reabertura do Teatro Nacional. Sei que num primeiro momento só a Sala Martins Penna passará por reformas, mas já é alguma coisa. Entendo que temos outros espaços culturais na cidade que são pouco utilizados, como o Teatro da Unip, na Asa Sul, o Teatro Pedro Calmon, no Setor Militar Urbano. São locais que poderiam receber peças de teatro que são apresentadas no Rio de Janeiro e São Paulo e depois saem em turnê pelo país. Sou espectadora assídua de muitos espetáculos e vou continuar prestigiando no novo ano.

 (Arquivo Pessoal)

Matheus Hani, corretor de imóveis

• Tenho um gosto musical eclético. Aprecio shows de duplas sertanejas, de grupos de pagodes e de cantores de funk, assim como baladas de música eletrônica. Brasília acolhe bem esses eventos promovidos pelo projeto Na Praia e outros que ocorrem nas áreas interna e externa do Estádio Mané Garrincha e em casas noturnas. Espero que em 2020 a programação artística seja ainda mais recheada de atrações.

Comentários para "Mais cultura, menos cortes. Reforma do Teatro Nacional é uma das reivindicações para 2020":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório