×
ContextoExato

Mais de 1000 instituições prometem retirar investimentos em combustíveis fósseis

Mais de 1000 instituições prometem retirar investimentos em combustíveis fósseisFoto:

Cientistas afirmaram que a o fim dos combustíveis fósseis é essencial na luta contra o aquecimento global.

Por Mariana Duque - Anda / Foto: Pixabay - 24/12/2018 - 17:02:53

Mil instituições em todo o mundo prometeram se afastar das empresas de carvão, petróleo e gás devido a preocupações ambientais.

De acordo com o Independent, governos, universidades, companhias de seguros e bancos prometeram abandonar os combustíveis fósseisapós uma campanha global liderada pela organização sem fins lucrativos 350.org . O grupo se esforça para criar uma justiça climática e combater o aquecimento do planeta, buscando soluções energéticas limpas e renováveis.

A soma total de dinheiro sendo retirada dos investimentos desde que a campanha começou em 2012 está agora se aproximando de US $ 8 trilhões (£ 6,3 trilhões).

Os cientistas afirmam que a interrupção dos combustíveis fósseis é essencial na luta contra o aquecimento global . No entanto, os acordos internacionais são difíceis de negociar. Os esforços paralisaram na cúpula da COP24 , na medida em que os negociadores não conseguiram encontrar soluções para o financiamento verde.

“Enquanto os diplomatas nas negociações climáticas da ONU estão tendo dificuldade em progredir, nosso movimento mudou a forma como a sociedade percebe o papel das corporações desse tipo de combustível e está ativamente mantendo os combustíveis fósseis no solo”, disse May Boeve, diretor executivo da 350.org para o Independent.

Agora, organizações em 37 países e em grandes cidades como Nova Iorque prometeram abandonar o uso deste combustível.

Em julho, a Irlanda foi o primeiro país do mundo a se comprometer a vendar dos componentes de combustíveis fósseis do seu fundo de investimento nacional, no valor de € 8 bilhões.

Além disso, centenas de deputados em todo o Reino Unido estão pedindo que estes investimentos também sejam removidos de seus fundos de pensão.

Organizações de fé como os Quakers e a Igreja da Inglaterra lideraram a iniciativa, respondendo por quase 30% dos desinvestidores.

A causa está ganhando força, de acordo com o organizador da 350.org, Nico Haeringer. “Há apenas cinco anos tivemos 181 compromissos de desinvestimento e 50 bilhões de dólares deslocados das indústrias poluidoras e hoje somos mais de 1000 e nos aproximamos de US $ 8 trilhões”, disse Haeringer, acrescentando que é “um movimento moral e financeiro”.

Os ativistas pretendem recrutar milhões de pessoas para ajudar a diminuir a indústria de combustíveis fósseis e, por sua vez, combater as mudanças climáticas, segundo o Independent.

Outra indústria sob pressão devido ao seu impacto ambiental é a agricultura animal. No início deste ano, um estudo da Universidade de Oxford revelou que a maior contribuição que uma pessoa pode fazer para reduzir seu impacto no planeta era evitar produtos de origem animal e tornar-se vegana.

O principal autor do estudo, Joseph Poore, disse: “A agricultura é um setor que abrange toda a multiplicidade de problemas ambientais. Realmente são os produtos animais que são responsáveis por muito disso”. As informações são do Live Kindle.

Espera-se que as nações estabeleçam metas firmes para reduzir suas emissões de gases do efeito estufa até 2020, o mais tardar, e até essa data a 350.org quer alcançar US $ 12 trilhões em ativos desinvestidos.

Comentários para "Mais de 1000 instituições prometem retirar investimentos em combustíveis fósseis":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório