×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 19 de janeiro de 2022

Mais de 500 procuradores pedem independência enquanto Bolsonaro corteja Aras

Mais de 500 procuradores pedem independência enquanto Bolsonaro corteja ArasFoto: Reprodução Estadão

Classe lançou manifesto que continua angariando assinaturas em todo o País, tendo as adesões aumentado nesta quinta, 28, após live na qual o presidente acenou com uma cadeira no Supremo Tribunal Federal para o procurador geral da República

Estadão Conteúdo - 28/05/2020 - 19:16:27

Em meio a elogios e visita do presidente Jair Bolsonaro ao procurador-geral da República Augusto Aras, mais de 500 procuradores da República de todo País assinam manifesto pela independência do Ministério Público Federal. O documento pede a inclusão no texto constitucional da regra de que o chefe do MPF deve ser escolhido com base em lista tríplice escolhida pelos membros da instituição, como acontece nos Ministérios Públicos de todas as unidades da federação.

O manifesto continua recebendo assinaturas. As adesões ganharam força e se multiplicaram rapidamente depois da live de Bolsonaro na noite desta quinta, 28, na qual o presidente afirmou que poderia indicar Aras a uma vaga no Supremo Tribunal Federal, dizendo ainda que o PGR está tendo uma ‘atuação excepcional’ . “Ele procura cada vez mais defender o livre mercado, o Governo Federal nessas questões que muitas vezes nos amarram”, declarou Bolsonaro em transmissão ao vivo.

O documento foi lançado na quarta, 27, mesmo dia em que a principal entidade da classe, a Associação Nacional dos Procuradores da República, divulgou nota afirmando que ‘é hora de retomar o debate sobre a constitucionalização da lista tríplice para a escolha do PGR’.

A ANPR defende que o procedimento colaborou ‘sobremaneira para a democracia interna do Ministério Público Federal e para o avanço da transparência e da independência da instituição’.”Que o momento atual impulsione a sociedade o Congresso Nacional a apoiarem a incorporação definitiva do procedimento (da lista tríplice) à Constituição, por meio de Emenda”, afirmou a entidade no texto.

As movimentações se dão no momento em que Aras pode denunciar o presidente no âmbito de inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) e investiga se Bolsonaro interferiu na Polícia Federal para proteger sua família e amigos.

A nota da ANPR faz alusão direta a tal ponto: “Considerando que cabe ao PGR investigar e acusar criminalmente o presidente da República, seria certamente mais adequado, partindo do princípio do fortalecimento institucional e da independência de atuação, que a lista fosse respeitada no âmbito do Ministério Público Federal”.

Aras foi o primeiro indicado à PGR em 16 anos que não constava na lista tríplice da PGR, formulada em votação entre procuradores . O primeiro colocado na lista ignorada por Bolsonaro foi o subprocurador-geral Mário Bonsaglia , que inclusive assina o manifesto elaborado nesta semana.

Simultaneamente à possibilidade de ser denunciado por Aras, o presidente faz cortejos ao PGR. Antes da afirmação sobre a vaga no STF, Bolsonaro fez uma visita inesperada à Procuradoria-Geral da República na segunda, 25, após se convidar para ‘apertar a mão’ do novo Procurador Federal dos Direitos do Cidadão subprocurador Carlos Alberto Vilhena, que era empossado na ocasião .

Medidas de Aras e interesses de Bolsonaro

Desde que assumiu o comando do Ministério Público Federal (MPF) em setembro de 2019, Aras vem tomando uma série de medidas que atendem aos interesses de Bolsonaro. A mais recente foi mudar de opinião e pedir a suspensão do inquérito das fake news, após uma operação autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, fechar o cerco contra o ‘gabinete do ódio’ e atingir empresários e youtubers bolsonaristas. Assim, Aras se tornou alvo de procuradores e de parlamentares da oposição, que criticam sua ‘inércia’ frente ao que chamam de excessos do chefe do Executivo.

A atuação de Aras foi contestada por seus pares até mesmo quando pediu a abertura das investigações sobre suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na PF. Na ocasião, mirou não só o presidente, mas também o ex-ministro Sérgio Moro, que fez as acusações contra o presidente.

Outro episódio contestado foi o pedido de apuração sobre ato antidemocrático convocado contra o STF em abril. Apesar do presidente ter participado da manifestação, inclusive discursando na mesma, o PGR livrou o presidente e focou o inquérito na organização e no financiamento dos atos. “As ações do procurador, até agora, indicam uma certa proteção ao presidente”, diz o advogado criminalista Davi Tangerino, professor da FGV-SP.

Comentários para "Mais de 500 procuradores pedem independência enquanto Bolsonaro corteja Aras":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Mônica Calazans, enfermeira e primeira vacinada no Brasil

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Fotografia tirada após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, que matou 272 pessoas

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Cerca de 50 categorias pedem reajustes de 20% a 28%

"A luta dos povos indígenas é uma luta válida e importante para todo o povo"

A Festa do Murici e Batiputá acontece entre os dias 12 e 15 de janeiro

Ministro de Minas e Energia quer o Cade investigando preços abusivos da Petrobras

Ministro de Minas e Energia quer o Cade investigando preços abusivos da Petrobras

Na avaliação do ministro, a investigação do Cade não tem atribuição de segurar o preço dos combustíveis. Mas pode corrigir práticas da empresa, caso fique configurada alguma distorção.

Coronavírus: Ciência e Tecnologia suspende trabalho presencial em quatro órgãos

Coronavírus: Ciência e Tecnologia suspende trabalho presencial em quatro órgãos

O Brasil enfrenta uma nova onda de aumentos de casos de covid-19 por causa da variante Ômicron

Câmara deve retomar trabalho remoto após aumento de casos de Covid-19

Câmara deve retomar trabalho remoto após aumento de casos de Covid-19

Medida ainda não foi oficializada pelo presidente da Casa

Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Pauta do ano coloca Supremo Tribunal Federal novamente em evidência, apontam especialistas

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, quem recebe a vacina contra a covid leva um livro para casa

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Em ato simbólico, xavante de 8 anos de Piracicaba recebeu imunizante

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Decisão pode ser revista caso prefeitura revise planejamento