×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 30 de junho de 2022

Manejo e prevenção da ferrugem da soja são desafios para produtor brasileiro

Manejo e prevenção da ferrugem da soja são desafios para produtor brasileiroFoto:

Folha de soja com esporos da ferrugem-asiática.

Por Lebna Landgraf / Da Embrapa Soja / Foto: Antonio Neto / Embrapa - 22/12/2018 - 09:15:17

Apesar das condições climáticas desfavoráveis para a infecção da ferrugem-asiática da soja, nas últimas semanas, por causa da seca em algumas das regiões produtoras, o número de focos registrados pelo Consórcio Antiferrugem até o momento (110) é bem maior do que os relatados no mesmo período do ano passado (24 ocorrências de 16 de setembro a 19 de dezembro de 2017).

“Isso está ocorrendo, provavelmente, porque houve condições que favoreceram a manutenção tanto de plantas voluntárias de soja (guaxas ou tigueras), quanto do fungo causador da ferrugem-asiática na entressafra e em várias regiões produtoras as precipitações possibilitaram a semeadura em setembro. Com isso, a ferrugem incidiu mais cedo que em outros anos, e com condições propícias para a sua proliferação”, explica a pesquisadora, Claudine Seixas, da Embrapa Soja.

O elevado custo de controle da ferrugem-asiática e as perdas anuais de produtividade (média de U$ 2,8 bilhões por safra), assim como a constatação de resistência do fungo causador da doença aos fungicidas sítio-específicos e a redução da eficiência desses produtos trazem um alerta a todos os atores envolvidos na produção de soja. “Entendo que a informação qualificada, baseada em resultados de pesquisa, é a melhor ferramenta para que técnicos e produtores tomem as decisões mais acertadas para manejar essa doença, que é um dos maiores desafios fitossanitários para a cultura”, diz o chefe de Transferência de Tecnologias da Embrapa Soja, Alexandre Cattelan.

Para disponibilizar conteúdo amplo e atualizado a Embrapa Soja está incrementando o hotsite “Ferrugem da soja: Manejo e Prevenção” . A plataforma reúne os principais resultados de pesquisa, as informações sobre o manejo, os sintomas e a identificação da doença, a atuação do Consórcio Antiferrugem, publicações, notas técnicas e vídeos com depoimentos de pesquisadores da Embrapa e de parceiros apresentando diferentes abordagens.

De acordo com o pesquisador Maurício Meyer, da Embrapa Soja, o manejo da ferrugem está ancorado em três estratégias, o uso de cultivares com genes de resistência, medidas legislativas como o vazio sanitário e a calendarização da semeadura da soja e o uso de fungicidas.

Vazio sanitário - A pesquisadora Claudine Seixas explica que o vazio sanitário é o período de, no mínimo, 60 dias sem plantas vivas de soja no campo. “O objetivo do vazio sanitário é reduzir a sobrevivência do fungo causador da ferrugem-asiática durante a entressafra e assim atrasar a ocorrência da doença na safra”, diz Claudine. No Brasil, 13 estados e o Distrito Federal adotaram essa medida, estabelecida por meio de normativas. E, além do Brasil, o Paraguai também estabeleceu o período de vazio sanitário, lá chamado de "pausa fitossanitária".

A pesquisadora explica que o fungo que causa a ferrugem-asiática é biotrófico, o que significa que precisa de hospedeiro vivo para se desenvolver e multiplicar. “Ao eliminarmos as plantas de soja na entressafra "quebramos" o ciclo da doença, reduzindo assim a quantidade de esporos (“sementes”) do fungo presentes no ambiente”, diz.

Calendarização da semeadura da soja – Essa medida prevê a determinação de data-limite para semear a soja na safra. É estabelecida por normativas estaduais, em sete estados produtores de soja: Goiás, Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina, Tocantins, Bahia e Mato Grosso do Sul. “O objetivo da calendarização é reduzir o número de aplicações de fungicidas ao longo da safra e, com isso, reduzir a pressão de seleção para resistência do fungo aos fungicidas”, explica Maurício Meyer. Já foram constatados no campo populações menos sensíveis a fungicidas "triazóis", "estrobilurinas" e "carboxamidas".

Segundo Meyer, as semeaduras tardias de soja podem receber populações do fungo já no início do desenvolvimento da lavoura, o que exige a antecipação do uso de fungicidas e demanda maior número de aplicações. “Quanto maior o número de aplicações, maior a exposição do fungo aos fungicidas e maior a chance de acelerar o processo de seleção de populações resistentes a esses fungicidas”, reforça Meyer. “E apesar da contribuição dos fungicidas, a redução da eficiência dos produtos disponíveis no mercado vem sendo observada desde a safra 2007/08 em função da adaptação do fungo”, explica. “E, segundo a indústria química, não há perspectiva de novos princípios ativos de fungicidas nos próximos anos. Por isso, a aplicação dessas medidas restritivas se faz necessária enquanto não houver uma solução definitiva para o problema”, reforça.

Mais informações no hotsite da Embrapa

Ferrugem da soja: manejo e prevenção: www.embrapa.br/soja/ferrugem

Comentários para "Manejo e prevenção da ferrugem da soja são desafios para produtor brasileiro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Tecnologia digital chega à alimentação

Tecnologia digital chega à alimentação

O impacto positivo de novas tecnologias é algo que se espera no dia a dia das cidades.

Suprema Corte dos EUA decide não analisar recurso da Bayer em caso de herbicida

Suprema Corte dos EUA decide não analisar recurso da Bayer em caso de herbicida

A Bayer diz que resolveu cerca de 107 mil de um total de 138 mil casos relacionados ao herbicida.

Normas de compliance e LGPD aplicadas ao agronegócio

Normas de compliance e LGPD aplicadas ao agronegócio

Apesar de ser tema que está em voga na atualidade, já há tempos que as políticas de incentivo à melhor responsabilidade social, ambiental e econômica atingem o agronegócio

Bayer apresenta soluções integradas para frutas e vegetais na 27ª Hortitec

Bayer apresenta soluções integradas para frutas e vegetais na 27ª Hortitec

Empresa apresentará novidades voltadas às áreas de proteção de cultivo e sementes de frutas e hortaliças

Agricultura irrigada e sua importância na produção de alimento: nexo água-alimento

Agricultura irrigada e sua importância na produção de alimento: nexo água-alimento

Para que o papel estratégico do Brasil de produtor mundial de alimentos possa ser consolidado, é importante que os nossos agricultores tenham segurança hídrica e energética

Da coleta ao reaproveitamento: Indústria de alimentos saudáveis preza por conduta sustentável em ciclo produtivo

Da coleta ao reaproveitamento: Indústria de alimentos saudáveis preza por conduta sustentável em ciclo produtivo

Iniciativas sustentáveis: de olho em toda a cadeia produtiva

Com mais milho à China, qual é o risco para a segurança alimentar brasileira?

Com mais milho à China, qual é o risco para a segurança alimentar brasileira?

Risco à segurança alimentar

Bayer amplia investimento e expande centro de inovação em Petrolina

Bayer amplia investimento e expande centro de inovação em Petrolina

Ampliação da área de cultivo protegido na maior unidade de pesquisa da multinacional no hemisfério sul vai acelerar desenvolvimento de novas tecnologias

Apicultores de Gaza enfrentam desafios à medida que mudanças climáticas afetam produção de mel

Apicultores de Gaza enfrentam desafios à medida que mudanças climáticas afetam produção de mel

Apicultor palestino trabalha em uma fazenda de abelhas na cidade de Beit Hanoun, no norte da Faixa de Gaza, no dia 6 de junho de 2022.

Criação humanitária de bovinos impacta na produtividade do agronegócio

Criação humanitária de bovinos impacta na produtividade do agronegócio

A condução inadequada na criação do animal pode gerar prejuízos ao produtor

Ferramenta para quebra do coco babaçu é tecnologia social em reta final de validação pelas quebradeiras de coco

Ferramenta para quebra do coco babaçu é tecnologia social em reta final de validação pelas quebradeiras de coco

Os recursos para o desenvolvimento da ferramenta vieram da Fundação de Amparo e Desenvolvimento Científico do Maranhão