×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 02 de julho de 2022

Medalhas de Rebeca Andrade impulsionam diferentes gerações de ginastas no Brasil

Medalhas de Rebeca Andrade impulsionam diferentes gerações de ginastas no BrasilFoto: Divulgação CBG

A avaliação é da professora Adriana Alves, coordenadora da ginástica artística feminina da Confederação Brasileira de Ginástica

Por Gonçalo Júnior - 20/06/2022 - 17:08:43

Praticamente um ano depois de conquistar as medalhas de ouro (salto) e prata (individual geral) nos Jogos de Tóquio, Rebeca Andrade impulsiona diferentes gerações de atletas no Brasil. Não é um movimento identificado apenas entre crianças que procuram escolinhas de ginástica, mas também entre atletas mais experientes.

A avaliação é da professora Adriana Alves, coordenadora da ginástica artística feminina da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG). "A ginástica brasileira ainda vive o reflexo das conquistas da Rebeca. O efeito se reflete em todos, das mais jovens às mais experientes. Elas vislumbram chegar aonde a Rebeca chegou, com uma medalha olímpica", completa a especialista, já olhando para os Jogos de 2024, na França.

No atual ciclo olímpico, o Brasil terá a possibilidade de formar uma seleção a partir de atletas de gerações distintas. No primeiro bloco, estão as mais experientes, como a própria Rebeca, além de Jade Barbosa, Flávia Saraiva e Lorrane Oliveira, todas com várias participações em torneios internacionais e com grande chance de representar o Brasil nos Jogos de Paris 2024.

No segundo pelotão estão as chamadas adultas jovens, como Júlia Soares, Christal Bezerra e Ana Luísa Pires, que estão buscando afirmação internacional. É o processo de amadurecimento na passagem dos torneios nacionais para os internacionais que vai apontar os próximos grandes nomes, apontam os especialistas.

Em busca de espaço estão as atletas juvenis com grande potencial, como Andreza de Lima, Gabriela Barbosa e Josyane Calixto. E todas essas gerações se encontram nos torneios. No Troféu Brasil de Ginástica Artística, disputado em maio, em Porto Alegre (RS), Andreza ficou com o ouro no salto; Flávia Saraiva superou Rebeca Andrade na trave e faturou a primeira posição. "Essa junção de gerações irá possibilitar a melhor seleção para os próximos eventos, criando boas expectativas para a classificação olímpica", avalia Adriana Alves.

Em julho, a equipe brasileira disputa o Campeonato Pan-Americano de Ginástica Artística, Rítmica e Trampolim, classificatórios para os Jogos de Paris. Em 2022, haverá duas novidades em relação ao ano anterior: serão realizadas, em paralelo, as competições da categoria juvenil. Em 2021, o Pan de Ginástica Artística deu a vaga olímpica à Rebeca Andrade.



Comentários para "Medalhas de Rebeca Andrade impulsionam diferentes gerações de ginastas no Brasil":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Velopark volta ao calendário da Stock Car e terá estreia de Felipe Massa

Velopark volta ao calendário da Stock Car e terá estreia de Felipe Massa

Os primeiros treinos da rodada dupla no Velopark acontecem na sexta-feira. No sábado, o treino classificatório é às 9h15 e a largada, às 14h10. No domingo, a classificação começa 9h45 e a largada, às 14h10.

FIA, Fórmula 1 e Mercedes manifestam apoio a Hamilton após Piquet usar termo racista referindo-se ao piloto

FIA, Fórmula 1 e Mercedes manifestam apoio a Hamilton após Piquet usar termo racista referindo-se ao piloto

Ex-automobilista brasileiro chamou Hamilton de

Rafael Matos fatura ATP de Mallorca, seu 3º título de duplas este ano

Rafael Matos fatura ATP de Mallorca, seu 3º título de duplas este ano

Brasileiro e espanhol Vega Hernández estreiam quarta em Wimbledon

No futebol alemão, pessoas trans decidirão se disputam jogos masculinos ou femininos

No futebol alemão, pessoas trans decidirão se disputam jogos masculinos ou femininos

Brasil tem 4 milhões de pessoas trans e não binárias, revela estudo da Unesp, inédito no país

Coletivos esportivos LGBT+ avançam contra o preconceito com acolhimento e orgulho

Coletivos esportivos LGBT+ avançam contra o preconceito com acolhimento e orgulho

São grupos que unem a diversidade sexual e o acesso ao esporte.

Fifa e FIFPro anunciam parceria para combater discurso de ódio nas redes sociais

Fifa e FIFPro anunciam parceria para combater discurso de ódio nas redes sociais

As organizações vão desenvolver um suporte educacional e conselhos de saúde mental para todos os jogadores participantes dos torneios Fifa durante 2022 e 2023.

Em Portugal, Brasil faz campanha histórica no Mundial de natação paralímpica

Em Portugal, Brasil faz campanha histórica no Mundial de natação paralímpica

Delegação brasileira ficou na terceira posição geral com 53 medalhas

Miami se torna sede da Copa do Mundo de 2026. Mundial acontecerá nos EUA, no Canadá e no México

Miami se torna sede da Copa do Mundo de 2026. Mundial acontecerá nos EUA, no Canadá e no México

Esta será a segunda vez que uma cidade da Flórida sediará a Copa do Mundo. A primeira foi em 1994, quando Orlando sediou várias partidas da primeira fase e alguns jogos das oitavas de final.

Tetraplégicos trocam dedos pela boca e mostram que também têm espaço nos eSports

Tetraplégicos trocam dedos pela boca e mostram que também têm espaço nos eSports

O professor Li Li Min, titular do Departamento de Neurologia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), explica que o hábito de jogar provoca ganhos em processos de reabilitação de pessoas com tetraplegia

Conmebol condena expressões racistas da Fifa e questiona mudanças

Conmebol condena expressões racistas da Fifa e questiona mudanças

O segundo ponto de protesto na carta da Conmebol enviada à Fifa é a regulamentação das cinco modificações nos jogos sem uma consulta à entidade.

US Open vai permitir tenistas de Rússia e Belarus competindo sob bandeira neutra

US Open vai permitir tenistas de Rússia e Belarus competindo sob bandeira neutra

A postura da USTA se alinha à ATP e à WTA, que não impediram tenistas de nenhuma nacionalidade no circuito. Apenas vetaram o uso das bandeiras da Rússia e de Belarus por parte dos atletas, o mesmo que fará o US Open neste a