×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 22 de outubro de 2021

Mestre em Economia ganha prêmio do Serviço Florestal Brasileiro

Mestre em Economia ganha prêmio do Serviço Florestal BrasileiroFoto: Agência Brasil

Edson conta que o PIB Florestal dá uma visão, ainda que mínima, de como os setores estão demandando, consumindo e ofertando energia, por exemplo.

Por Yara Aquino - Agência Brasil Brasília - 31/05/2019 - 17:46:52

Um projeto que trata de alternativas para a definição de um Produto Interno Bruto (PIB) Florestal foi o vencedor da categoria profissional do 6° Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal. A premiação nas categorias profissional e estudante foi entregue hoje (30), em Brasília, na Confederação Nacional da Indústria (CNI).


O vencedor é Edson Rodrigo Toledo Neto, mestre em Economia e engenheiro florestal. “Na prática tentamos traduzir como o capital natural é tratado dentro do sistema das contas nacionais. A conta de florestas não é simples de ser constituída dentro do sistema de contas e para obtenção do PIB”, explicou.

Edson Rodrigo Toledo Neto, 1º lugar na categoria profissional, durante cerimônia de entrega do 6º Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal, na Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Edson Rodrigo Toledo Neto, 1º lugar na categoria profissional, durante cerimônia de entrega do 6º Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Edson conta que o PIB Florestal dá uma visão, ainda que mínima, de como os setores estão demandando, consumindo e ofertando energia, por exemplo.

“A importância do trabalho é conseguir traduzir a oferta e demanda”, afirmou. O título do trabalho é “Alternativas para definição do PIB Florestal a partir do sistema de contas nacionais.”

Manejo da madeira

O plantio de florestas para a extração de madeira de forma planejada e sustentável para gerações de renda no noroeste do Estado do Rio de Janeiro foi o tema da vencedora do terceiro lugar na categoria estudante. A autora do projeto, Carla Johanna Lessa, desenvolveu o programa a partir de sua realidade local, no noroeste fluminense. A área tem atividade mais voltada ao agronegócio e também forte demanda por madeira e potencial de plantio de florestas.


A estudante avaliou que inserir o cultivo florestal poderia impulsionar o desenvolvimento econômico da região. “Isso de forma que sejam respeitadas todas questões ambientais, leis e, ao mesmo tempo, propicie benefícios ambientais à comunidade em geral”, contou.


Em um ano e meio de pesquisa, Carla conversou com comerciantes da região para compreender a logística da comercialização da madeira para comprovar a viabilidade de implementar a atividade.

Carla Johanna Lessa Silva, 3º lugar na categoria estudante, durante cerimônia de entrega do 6º Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal, na Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Carla Johanna Lessa Silva, 3º lugar na categoria estudante, durante cerimônia de entrega do 6º Prêmio Serviço Florestal Brasileiro (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Com o trabalho concluído, ela gostaria de colocar as ideias em prática para beneficiar a população local. “Precisamos de apoios governamentais e também temos o setor privado que é o produtor. Às vezes você chegar para um produtor e dizer para ele plantar floresta pode ser meio difícil ele encarar essa situação, mas é todo um processo de conscientização dessas pessoas”, explicou.

O projeto de Carla foi o trabalho da conclusão de curso na faculdade e tem o título “A estratégia do manejo da madeira e nível de planejamento urbano e regional: o caso do noroeste fluminense”.

O presidente do Serviço Florestal Brasileiro, Valdir Colatto, ressaltou a importância das pesquisas apresentadas nesta edição do prêmio, que tem temas como concessões florestais e Produto Interno Brasileiro - PIB – Verde.


Ele disse que é preciso harmonizar as áreas produtivas e do meio ambiente. “Vamos buscar harmonizar a produção, esse processo, e caminhar juntos que todos nós vamos ganhar com isso”, disse.

O prêmio

O prêmio foi idealizado pelo Serviço Florestal Brasileiro e visa estimular pesquisas em temas relacionados à economia e mercado, como foco em estudos sobre a produção florestal sustentável, seus desafios e as perspectivas socioeconômicas e ambientais.


Foram premiados três projetos na categoria profissional e três na estudante. Os valores pagos aos premiados vão de R$ 5 mil a R$ 25 mil.

Edição: Kleber Sampaio

Comentários para "Mestre em Economia ganha prêmio do Serviço Florestal Brasileiro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Na contramão do Acordo de Paris, países planejam mais que dobrar produção de combustíveis fósseis

Na contramão do Acordo de Paris, países planejam mais que dobrar produção de combustíveis fósseis

Emissões com a queima de carvão contribuem para a poluição em Ulaanbaatar, na Mongólia.

Estudo liga plano do Brasil para o clima a maior aquecimento

Estudo liga plano do Brasil para o clima a maior aquecimento

Na véspera da COP-26, na Escócia, que começa no dia 31, há uma expectativa sobre o que o Brasil vai apresentar.

Chefe do PNUD elogia esforços da China para proteger biodiversidade, depositando grandes esperanças na COP15

Chefe do PNUD elogia esforços da China para proteger biodiversidade, depositando grandes esperanças na COP15

Foto tirada em 27 de setembro de 2021 mostra uma vista no parque de Jiuzhaigou, no distrito de Jiuzhaigou, Província de Sichuan, sudoeste da China.

Comitê dos Direitos da Criança responsabiliza Brasil, Argentina, França, Alemanha e Turquia por falta de ação climática

Comitê dos Direitos da Criança responsabiliza Brasil, Argentina, França, Alemanha e Turquia por falta de ação climática

Ativista Greta em protesto junto da ONU

Projeto dos EUA para reduzir impacto do desmatamento pode afetar exportações do Brasil?

Projeto dos EUA para reduzir impacto do desmatamento pode afetar exportações do Brasil?

A Sputnik Brasil conversou com dois especialistas sobre o impacto que um novo projeto de lei norte-americano sobre desmatamento ilegal no mundo pode ter para as exportações brasileiras

Amazonas vira epicentro da exploração madeireira da Amazônia

Amazonas vira epicentro da exploração madeireira da Amazônia

O desmatamento em junho deste ano, conforme Imazon, apontam para o terceiro maior índice de destruição da vegetação nos últimos 10 anos.

Ação salva 70 jacarés que disputavam poça no Pantanal

Ação salva 70 jacarés que disputavam poça no Pantanal

Desde o início da intervenção na Ponte 3 da Rodovia Transpantaneira, caminhões-pipa de 16 mil litros fazem a reposição diária da água do corixo para beneficiar a população que permaneceu. Um trabalho de "enxugar gelo", segundo Martins, da Ecotrópica, porque o volume é consumido diariamente pelo uso e evaporação.

Paraíba perdeu 0,28 milhões de hectares de Caatinga nos últimos 36 anos

Paraíba perdeu 0,28 milhões de hectares de Caatinga nos últimos 36 anos

Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro e está sendo devastado, segundo Mapbiomas.

Seca histórica no Pantanal provoca maior vazante em 121 anos

Seca histórica no Pantanal provoca maior vazante em 121 anos

Expectativa é que chuva na região seja acima do esperado

Jaques Wagner cobra posição do Brasil para COP-26

Jaques Wagner cobra posição do Brasil para COP-26

O projeto em questão é o PL 528/21, que cria o Sistema Brasileiro de Comércio de Emissões (SBCE) para regular o mercado nacional de carbono

Área ocupada pela agricultura na Caatinga cresce 1456% em 36 anos; pastagens têm salto de 48%

Área ocupada pela agricultura na Caatinga cresce 1456% em 36 anos; pastagens têm salto de 48%

Estudo do MapBiomas mostra que 112 municípios da Caatinga perderam 0,3 milhões de hectares de vegetação nativa em 36 anos