×
ContextoExato

Microsoft testa semana de trabalho de quatro dias no Japão

Microsoft testa semana de trabalho de quatro dias no JapãoFoto: Pixabay

Ainda não é certeza que a divisão da Microsoft do Japão vai implementar essa iniciativa a longo prazo

Estadão Conteúdo - 05/11/2019 - 14:29:17

A divisão da Microsoft no Japão fez um teste com seus funcionários: reduziu a semana de trabalho para quatro dias durante o mês de agosto, dando folga para a equipe às sextas sem mexer nos salários. O resultado foi um aumento de produtividade de 40% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com a agência de notícias Bloomberg .

A Microsoft emprega hoje cerca de 2,3 mil pessoas no Japão, país conhecido por suas longas jornadas de trabalho. A nova estratégia reduziu os custos da empresa, mesmo sem alterar os salários dos funcionários.

Ainda não é certeza que a divisão da Microsoft do Japão vai implementar essa iniciativa a longo prazo

A redução dos dias de trabalho fez com que o tempo fosse otimizado. Reuniões longas foram reduzidas para discussões de 30 minutos, e os funcionários foram encorajados a usar plataformas digitais para se comunicarem em vez de marcar reuniões. A empresa também registrou uma diminuição de 23% no uso de energia elétrica e a impressão de papel caiu em 59%.

Cerca de 92% dos funcionários disseram que ficaram satisfeitos com a redução das horas.

De acordo com o jornal The Guardian , ainda não é certeza de que a divisão da Microsoft do Japão implementará essa iniciativa a longo prazo. A Bloomberg afirma que a empresa conduzirá outras mudanças de jornada de trabalho para que os funcionários tirem folgas de forma “mais flexível e inteligente”.

Outras companhias ao redor do mundo já testaram esse modelo. Na Nova Zelândia, uma empresa adotou a semana de trabalho de quatro dias durante dois meses no ano passado e percebeu uma melhora no rendimento dos funcionários, além de diminuição de estresse.

Comentários para "Microsoft testa semana de trabalho de quatro dias no Japão":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório