×
ContextoExato
Responsive image

Moradores de condomínio do DF são condenados por construir em Área de Preservação Permanente

Moradores de condomínio do DF são condenados por construir em Área de Preservação PermanenteFoto: Secretaria de Comunicação do MPDFT

Obra causou prejuízos diretos e indiretos ao meio ambiente

Secretaria De Comunicação Do Mpdft - 06/08/2020 - 16:32:36

A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema) obteve a condenação criminal em decorrência da realização de obra de construção civil irregular em área de preservação permanente do Córrego Capão Grande. As penas foram fixadas em um ano e dois meses de detenção, além de multa. As construções foram erguidas no interior do Condomínio RK, em Sobradinho.

A ação dos réus causou prejuízos diretos à unidade de conservação, com supressão da cobertura vegetal, compactação do solo e intervenção no afloramento natural de água. Também houve prejuízos indiretos: as alterações identificadas contribuem para quebra do equilíbrio ecológico, o que causa o afastamento da fauna nativa, expõe o solo a processos erosivos mais intensos e altera a recarga dos aquíferos e o regime hidrológico dos afluentes atingidos. Todas as alterações foram feitas no interior do Condomínio RK, em Sobradinho.

Na decisão, que acompanhou a posição defendida pelo Ministério Público, consta que “as Áreas de Preservação Permanentes são instrumentos de relevante interesse ambiental, que proporcionam o desenvolvimento sustentável, uma vez que garantem a preservação dos recursos hídricos, a estabilidade geológica e a biodiversidade, o fluxo gênico da fauna e da flora, a proteção do solo e, por fim, o bem estar das populações humanas”.

Comentários para "Moradores de condomínio do DF são condenados por construir em Área de Preservação Permanente":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório