×
ContextoExato
Responsive image

MP do DF obtém condenação de 12 réus da operação Mr. Hyde por organização criminosa

MP do DF obtém condenação de 12 réus da operação Mr. Hyde por organização criminosaFoto: CorreioWeb

Além de médicos, sócios e funcionários da empresa TM Medical foram condenados

Secretaria De Comunicação Do Mpdft - 01/09/2020 - 19:20:59

Doze envolvidos na “máfia das próteses” foram condenados pelo crime de organização criminosa, voltada para a obtenção de ganhos e vantagens de formas ilícitas contra planos de saúde e pacientes. A sentença é do dia 28 de agosto. As investigações comprovaram a utilização de declarações fraudulentas e documentos falsificados para impor às vítimas cirurgias e procedimentos desnecessários. Também eram utilizadas órteses e próteses de má qualidade, além de material cirúrgico fora do prazo de validade. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) em 2016.

Segundo o MPDFT, os funcionários da empresa TM Medical orientavam os médicos, preenchendo ou colaborando no preenchimento de relatórios que indicavam os equipamentos e suprimentos para as cirurgias, tendo como objetivo obter orçamento mais alto, nem que para isto fossem incluídos itens e procedimentos desnecessários. Os médicos também costumavam direcionar as empresas que iriam participar de concorrência prévia, simulando tomada de preços falsa, enquanto já estava determinado que a TM Medical seria a ganhadora, antes mesmo da chegada dos documentos ao plano de saúde.

Os sócios e funcionários da empresa acompanhavam a tomadas de preços e geriam os recursos que deveriam ser feitos exclusivamente pelos médicos. Além disso, durante os procedimentos cirúrgicos, ocorriam fraudes que incluíam a troca de materiais indicados no processo de autorização dos planos de saúde, tudo para que fosse utilizado material de qualidade ou preço inferior, aumentando o lucro do esquema fraudulento. As fraudes, de acordo com o MP, eram acobertadas por meio da troca de lacres falsificados pela TM Medical e que eram manipulados durante a cirurgia pelos próprios funcionários.

Na sentença, da 2ª Vara Criminal de Brasília, o juiz destacou que: “A densa e minudente investigação dá conta, portanto, de um complexo esquema criminoso que visa fraudar pacientes e planos de saúde, causando, não raro, até mesmo lesões corporais de natureza grave e gravíssima nos pacientes. Consta, inclusive, que uma das pacientes quase teria ido a óbito em razão de cirurgia desnecessária”.

Penas

O médico Jhonny Wesley Gonçalves Martins e o empresário Micael Bezerra Alves, donos da TM Medical, foram condenados pelo crime de organização criminosa a 5 anos e 3 meses de prisão. Mariza Aparecida Rezende Marins, esposa de Jhonny Wesley, foi condenada a 4 anos e 6 meses de reclusão, em regime fechado.

Os médicos Rogério Gomes Damasceno, Wenner Costa Cantanhêde, Henry Greidinger Campos, Marco de Agassiz Almeida Vasques e Juliano Luiz Mendonça Cabral também foram condenados a 4 anos e 6 meses de prisão. Sócio da TM Medical, Edson Luiz Mendonça Cabral recebeu punição de 4 anos e 4 meses em regime fechado. A sentença definiu, ainda, pena de 3 anos e 9 meses de reclusão para os funcionários da TM Medical Danielle Beserra de Oliveira, Rosângela Silva de Sousa e Sammer Oliveira.

O MPDFT analisa se entrará com recurso contra a sentença porque quatro réus foram absolvidos.

Operação Mr Hyde

A condenação do grupo é resultado da operação Mister Hyde, cuja primeira fase foi deflagrada em setembro de 2016 pelo MPDFT com a Polícia Civil. Com a divulgação das denúncias, centenas de vítimas do esquema procuraram a polícia e o Ministério Público para prestar depoimento. Os relatos incluem mutilações e tentativa de homicídio. O grupo criminoso teria movimentado milhões de reais em cirurgias, equipamentos e propinas.

Processo: 2016.01.1.098809-5

Comentários para "MP do DF obtém condenação de 12 réus da operação Mr. Hyde por organização criminosa":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório