×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de outubro de 2021

Mudança no passe livre trava na Câmara Legislativa em Brasília

Mudança no passe livre trava na Câmara Legislativa em BrasíliaFoto: Correio Braziliense

Críticas ao projeto que limita as passagens gratuitas a estudantes de escolas públicas e a alunos de baixa renda da rede privada pode ser retirado da Câmara Legislativa. Deputados distritais defendem proposta alternativa à apresentada pelo Executivo

Por Helena Mader-correio Braziliense - 09/05/2019 - 08:16:02

Três meses depois de o Executivo apresentar, em regime de urgência, um projeto de lei com novas regras para o passe livre estudantil, a proposta está parada na Câmara Legislativa, sem previsão de votação. Diante da dificuldade de emplacar o assunto, o GDF não descarta retirar a proposta da Casa. Deputados governistas admitem que não há interesse do Palácio do Buriti em pautar o tema, que gerou uma das maiores polêmicas desde o início da gestão.

O texto, protocolado em fevereiro, restringe as passagens gratuitas a estudantes de escolas públicas e alunos de instituições privadas com renda familiar de até quatro salários mínimos. O projeto prevê uma redução dos gastos com passe livre de R$ 300 milhões para R$ 185 milhões ao ano, o que representaria uma economia de R$ 115 milhões anuais. Segundo o Buriti, alternativas à proposta estão em debate.

Desde 20 de março, não há andamentos no trâmite do PL nº 123/2019, que muda o sistema de gratuidade no sistema de transporte. De forma reservada, deputados da base aliada de Ibaneis Rocha reconhecem que não há mais interesse em enfrentar a polêmica. “As alterações feitas na ideia original, ampliando demais o benefício, reduziu a economia possível e, com isso, até o próprio governo perdeu o interesse na proposta”, contou, de forma reservada, um dos governistas. “E ninguém da base quer enfrentar a fúria dos estudantes”, acrescentou.

Relator do PL na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Reginaldo Veras (PDT) diz que os distritais nem cogitam mais a inclusão do projeto do passe livre em pauta. “O próprio governo demonstra não ter mais interesse. Esse assunto desgasta demais o GDF e, se for a plenário, é imenso o risco de derrota para o Buriti”, comentou Veras. “Ou o governo retira o projeto, ou ele ficará parado na Casa, corroendo o Executivo como um câncer”, disse o pedetista. “Se o governo retirar o projeto da Câmara, há outras medidas de contenção que podem ser debatidas”, finaliza Veras, que fez um relatório na CCJ contrário ao PL do Executivo.


Emendas


Até agora, foram apresentadas 10 emendas na Comissão de Educação, Saúde e Cultura e três na Comissão de Transporte e Mobilidade Urbana. Muitas das propostas protocoladas pelos parlamentares aumentam as despesas do Executivo e reduzem a economia, em comparação com o projeto originalmente protocolado pelo Buriti. Não há cálculos do impacto que essas emendas causariam nos gastos públicos.

O secretário de Relações Parlamentares do GDF, Bispo Renato Andrade, diz que o governador Ibaneis Rocha tem feito reuniões com parlamentares, tanto da base quanto da oposição, para ouvi-los a respeito de opções viáveis. Bispo Renato reconhece que a proposta pode ser retirada. “Se houver alternativa, ele pode optar por esse caminho. O governo precisa reduzir os gastos e acabar com as fraudes. Se for apresentada alguma proposta melhor do que essa, ela será analisada. O governador está ouvindo todos os deputados”, diz o ex-distrital, hoje responsável pela interlocução entre o Palácio do Buriti e a Câmara.


Sugestões


Relator do projeto na Comissão de Educação, Saúde e Cultura, o distrital Jorge Vianna (Podemos), que é da base, diz que a grande quantidade de emendas protocoladas atrapalha o debate. “A melhor opção seria o governador retirar o projeto e, se for o caso, enviar outro texto incorporando parte das emendas. O que vejo é que há uma resistência muito grande em votar uma proposta que retira benefícios da população”, comenta Vianna.

O presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), diz que ainda não foi informado sobre uma possível retirada do projeto do passe livre, mas reconhece que hoje não há votos para aprová-lo. “Os deputados têm recebido muitas sugestões sobre o tema. Eu tive a visita, por exemplo, do DCE (Diretório Central Estudantil) da Universidade de Brasília (UnB) e de grupos de estudantes. Vamos ouvir a sociedade e debater”, ressaltou Prudente.

Ao apresentar o projeto de lei, em fevereiro, o governador Ibaneis Rocha e integrantes do governo destacaram a necessidade de alterar as regras do passe livre para reduzir o rombo nas contas públicas. Um dos principais argumentos do GDF para mudar as normas do benefício no DF é o fato de que a legislação da capital é a mais permissiva em todo o Brasil. Em outras capitais, todos os estudantes pagam um terço do valor da tarifa ou o passe livre vale apenas para escolas públicas. Algumas cidades aplicam critérios de renda para beneficiar alunos carentes de instituições privadas.

"Se houver alternativa, ele pode optar por esse caminho. O governo precisa reduzir os gastos e acabar com as fraudes. Se for apresentada alguma proposta melhor do que essa, ela será analisada. O governador está ouvindo todos os deputados" Bispo Renato Andrade, secretário de Relações Parlamentares do GDF

220 mil

Total de estudantes que usaram o passe livre no ano passado


R$ 300 milhões

Gasto do GDF em 2018 com o benefício


R$ 115 milhões

Economia estimada com o projeto do governo


Protesto

Em fevereiro, estudantes e integrantes de movimentos estudantis e sociais participaram de reunião com parlamentares da Câmara Legislativa, promoveram ato na Rodoviária do Planto Piloto e seguiram até o Palácio do Buriti. Segundo a Polícia Militar, eram cerca de 150 manifestantes, mas a organização estimou a participação de 500 estudantes.



O que diz o projeto

O Projeto de Lei nº 123/2019, de autoria do Executivo local, muda as regras do programa do passe estudantil. Hoje, qualquer aluno de instituição pública ou privada tem direito ao benefício da gratuidade no transporte. O projeto prevê que estudantes do ensino fundamental ao superior regularmente matriculados em instituições públicas de ensino terão isenção de tarifa. Os alunos de instituições privadas que comprovarem renda familiar inferior a quatro salários mínimos, que tiverem bolsa de estudos ou que forem beneficiários de programa de financiamento estudantil também terão gratuidade. A regra alcança estudantes que tenham um dos pais beneficiário de programas assistenciais do DF ou da União.

Comentários para "Mudança no passe livre trava na Câmara Legislativa em Brasília":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

O sonho de ser modelo, ela relata, começou aos 16 anos, quando foi internada com meningite bacteriana e ficou dez dias em coma.

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Segundo as investigações da polícia, o gerente cometeu atitude discriminatória contra a delegada Ana Paula Barroso, que é negra no último dia 14 de setembro.

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

O Zé Ninguém