×
ContextoExato

Mulheres de áreas rurais do DF produzem máscaras de tecido para superar crise da Covid-19

Mulheres de áreas rurais do DF produzem máscaras de tecido para superar crise da Covid-19Foto: Emater-DF/Divulgação

Agricultoras precisaram se 'reinventar' para garantir renda. Anvisa recomenda produção desses itens para prevenção contra novo coronavírus.

Por Larissa Passos, G1 Df - 12/04/2020 - 11:31:23

Com a pandemia do novo coronavírus, as mulheres das áreas rurais do Distrito Federal tiveram que se reinventar para garantir a renda. Para muitas delas, que já tinham alguma intimidade com o artesanato, a confecção de máscaras de tecido está sendo a alternativa.

Alane Oliveira, de 43 anos, é uma das que estão buscando alternativas para a família que mora na área rural do Paranoá. Como a venda de hortaliças e plantas "estão praticamente zero”, conforme explica, as máscaras viraram fonte de renda.

Produtora rural do DF, Alane Oliveira fazendo máscaras de tecido — Foto: Alane Oliveira/Arquivo Pessoal

Produtora rural do DF, Alane Oliveira fazendo máscaras de tecido — Foto: Alane Oliveira/Arquivo Pessoal

A agricultora começou a fabricar as máscaras depois que precisou comprar uma. Ela conta que achou a qualidade ruim, além do preço elevado, então, resolveu usar o seu dom de costura para produzir os itens para a família.

Deu tão certo que, com a ajuda dos filhos, Alane produz cerca de 200 máscaras por dia. Os pedidos são feitos por meio das redes sociais e ela vende cada unidade a R$ 5.

“Se todos precisam se proteger, eu ajudo.”

Máscara de tecido feita pela produtora rural do DF, Alane Oliveira — Foto: Alane Oliveira/Arquivo Pessoal

Máscara de tecido feita pela produtora rural do DF, Alane Oliveira — Foto: Alane Oliveira/Arquivo Pessoal

Segundo ela, a família está fechando um pacote com 500 máscaras para uma única empresa.

“Vamos a uma prevenção e ainda ganhar uma boa grana extra.”

Priscila Cutrim Oliveira, tem 33 anos e mora no Núcleo Rural de Planaltina. Ela é artesã há cinco anos e confeccionava peças em tecido, como bolsas, carteiras e peças para crianças.

No entanto, os pedidos diminuíram e a renda caiu depois da pandemia."O pessoal vê como supérfluo e tem também a forma de entrega, fica todo mundo preocupado", diz ela.

Artesã, Priscila Cutrim produzindo máscaras de tecido, no DF — Foto: Priscila Cutrim/Arquivo Pessoal

Artesã, Priscila Cutrim produzindo máscaras de tecido, no DF — Foto: Priscila Cutrim/Arquivo Pessoal

Priscila participa de um grupo de artesãs do DF onde uma integrante, que trabalha na área da saúde, decidiu ensinar as mulheres a produzir as máscaras de tecido, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde.

"Quando o ministro falou que podia usar as máscaras de tecido mesmo, a demanda estourou.”

Em casa, ela agora é responsável pela confecção das máscara e o marido faz as entregas. Por dia, a produção chega a 20 máscaras, que são vendidas a R$ 10 a unidade.

Máscara produzida pela artesã, Priscila Cutrim — Foto: Priscila Cutrim

Máscara produzida pela artesã, Priscila Cutrim — Foto: Priscila Cutrim

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ressalta a importância de estimular a população para a confecção de máscaras de tecido para se protegerem do novo coronavírus. O objetivo, diz a Anvisa, "é estimular a população a buscar uma solução de baixo custo e de mais fácil acesso para reforçar a proteção contra o novo coronavírus (Sars-CoV-19)".

"A medida também pretende evitar que as pessoas comprem máscaras profissionais e, com isso, desabasteçam os serviços de saúde e hospitais", diz a Anvisa.

De acordo com a agência, qualquer pessoa pode fazer uso de máscaras de uso não profissional, inclusive crianças e pessoas debilitadas. Mas, é importante respeitar regras como:

  • Não compartilhar
  • Lavar após o uso
  • Descartar em locais adequados

Quais os tecidos podem ser usados?

Segundo a Anvisa, as máscaras de tecido e artesanais devem ser feitas com tecidos 100% algodão ou cotton. Também pode ser utilizado o Tecido Não Tecido (TNT), feito de material sintético – "desde que o fabricante garanta que o produto não causa alergia e seja adequado para uso humano", alerta a agência.

Devem ser evitados os tecidos que podem irritar a pele, como poliéster puro e outros sintéticos. Além disso, a máscara deve ser feita nas medidas corretas para cobrir totalmente a boca e o nariz, sem deixar espaços nas laterais.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Comentários para "Mulheres de áreas rurais do DF produzem máscaras de tecido para superar crise da Covid-19":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório