×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de agosto de 2022

Natal; artistas nordestinos se unem para celebrar os frutos da agricultura familiar

Natal; artistas nordestinos se unem para celebrar os frutos da agricultura familiar

Foto: O sanfoneiro Mestrinho (SE) foi um dos grandes nomes da primeira Festa da Colheita - Pedro Stropasolas

São João potiguar reuniu Mestrinho, Maciel Salú, Lia de Itamaracá, e outros nomes da cultura popular nordestina

Pedro Stropasolas - Brasil De Fato | Natal (rn) - 11/07/2022 - 18:46:02

É pelo embalo da rabeca de Maciel Salú que a música celebra os frutos da agricultura familiar. Em Natal (RN), ele e outros artistas levaram ao São João potiguar a força de uma região construída por camponesas e camponeses.

"A maioria da nossa cultura popular vem dessas pessoas que trabalham na agricultura. E são cortadores de cana que trabalham no roçado. Que está ali plantando feijão, que planta o milho. Então a nossa cultura vem desse povo, desse povo negro. De mulheres negras também que trabalham no roçado, que são empregadas domésticas e são agricultoras", pontua Salú.

Assista ao vídeo:



A primeira Grande Festa da Colheita reuniu mais de 1.200 agricultores e 32 artistas, em um momento único de celebração da vida no campo. O encontro inédito, com mais de 300 toneladas de alimentos compartilhados e comercializados, aconteceu na primeira edição da Feira Nordestina da Agricultura Familiar e Economia Solidária.

"O São João é uma festa da colheita. A gente celebra a fartura na mesa que não existe nos outros meses, né? É tanto que a gente segue um calendário de plantação. A gente planta em dia de São José e depois colhe a primeira colheita em dia de Santo Antônio, 13 de junho. A segunda colheita, no São João, é dia 24. E se for tudo bom mesmo no final do mês ainda tem a terceira colheita. Para gente também é o momento de afirmação nordestina", explica Max Medeiros, oordenador de produção cultural da Fundação José Augusto (RN) e responsável pela curadoria e seleção dos artistas.

Para o instrumentista Carlos Zens, músicas como o Arapuá no cabelo e o Fuxico de feira são obras que retratam os laços que unem as colheitas e a cultura popular.

"São músicas que falam desse agreste. Minha mãe é do agreste aqui do Rio Grande do Norte, divisa com a Paraíba. Então isso aí é muito natural, ou o sertão aqui do Seridó, então tudo respira essa produção nativa desses agricultores e guerreiros da agricultura familiar", pontua.

"Então vamos mostrar que o nosso país é forte na agricultura para mudar esse quadro de miséria, de fome", completa o flautista e exímio arranjador potiguar.

Dona Iza, Carlos Zens e a rainha da ciranda, Lia de Itamaracá, subiram ao palco juntos em Natal (RN) / Pedro Stropasolas

Assim como a de Carlos Zens, a infância de uma grande mestra do Boi de Reis de Natal também foi na agricultura. Ao lado da rainha da ciranda Lia de Itamaracá, Odaiza Pontes Galvão reviveu os festejos juninos de quando era menina.

"Eu brincava de ciranda, sabe? Nessa época ninguém falava em quadrilha, só falava em ciranda. Botava roupa, às vezes brincava com a roupa mesmo de casa, porque não tinha condição de comprar e assim ia, até hoje", relembra a Guardiã do Auto do Boi de Reis Manoel Marinheiro (RN).

Um dos grandes nomes do evento, o sanfoneiro Mestrinho também celebrou a volta da principal manifestação popular do Nordeste, após dois anos de interrupção em decorrência da pandemia.

Ao Brasil de Fato, ele destaca os segredos da sanfona, instrumento consagrado por seu ídolo Luiz Gonzaga, e que ele revive com maestria em músicas como "Te faço um Cafuné".

"Te Faço um Cafuné" é um dos grandes sucessos do sanfonista / Pedro Stropasolas

"É um instrumento que consagra e que ele (Luiz Gonzaga) colocou uma marca registrada, como instrumento nordestino, instrumento que tem o poder de emocionar as pessoas, né? Dependendo do jeito que você toca esse instrumento, ele vai retribuir muitas coisas boas na sua vida se você souber tratá-lo bem", explica.

Para o sergipano, a celebração da agricultura familiar nordestina também se relaciona com o seu passado.

"Eu fui criado no sítio da minha vó em Carira, um interiorzão, é o que eu mais sinto saudade hoje, né? De ver todos aqueles cactos, todas aqueles pé de fruta, pinha, enfim, correr no campo livremente, isso é o que eu mais sinto falta hoje e foi um prazer tocar para eles aqui. Todos felizes da vida. E com certeza a gente tem que melhorar muita coisa para que a agricultura cresça cada vez mais no nosso país", finaliza.

Edição: Vivian Virissimo

Comentários para "Natal; artistas nordestinos se unem para celebrar os frutos da agricultura familiar":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro